A dúvida de Provérbios 31.10 – homenagem à mulher presbiteriana

“Mulher virtuosa, quem a achará?”. Essa é a dúvida do escritor de Pv 31.10. Essa “mulher virtuosa” (excelente, exemplar) mostra-se com as seguintes qualidades:

Tem um bom caráter

É o tesouro maior de seu marido, pois, “o seu valor muito excede ao de finas joias” (v.10).

É digna da confiança do seu marido, o qual lhe confia seus recursos para multiplicar suas riquezas (v.11), e só lhe faz bem (v.12).

É uma habilidosa administradora dos recursos da família

Não é preguiçosa, pois, trabalha com as próprias mãos atendendo ao bom andamento da sua casa (v.27). Não posa de “madame”, de “dondoca” (v.13). Como um navio mercante que singra os mares em busca de riquezas, essa mulher não mede esforços para sustentar sua família (v.14,15).

Também se mostra uma habilidosa negociante, e com as suas rendas (e não as do marido!) aumenta as propriedades da família (v.16).

Mas, mesmo trabalhando “fora”, não se descuida de sua casa, pois, a sua lâmpada não se apaga à noite. Isso para os nossos dias parece algo simples demais, mas, naqueles tempos, as lâmpadas deviam ser mantadas sempre acesas porque não era fácil produzir fogo. Com todo o cansaço do dia, essa mulher mantinha-se sempre alerta durante às madrugadas.

Não esbanja as economias da família comprando roupas caras. Em vez disso, ela mesma tece suas roupas e as costura (v.19). Ninguém em sua casa passa apuros nem mesmo no mais rigoroso inverno (v.21,22).

Ela não “nada de acordo com a moda” mundana e extravagante. Em vez disso, ela é a sua própria estilista e dita a moda para as outras mulheres, pois, os vestidos que ela faz para vender (v.24), porque a principal caraterística dessa mulher á a “força e a dignidade” (v.25). Por essa razão não se veste e nem se comporta de forma vulgar como as mulheres ímpias. Ela sabe que mais importante do que tudo é ter seu coração “unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus” (1Pe 3.4).

Ela é generosa e misericordiosa

Entende que tudo o que conquistou não é só para si e sua família, e, por isso mesmo, reserva um pouco para compartilhar com os necessitados. Ela estende a mão ao necessitado e abre sua mão ao aflito (v.20).

 

Ela honra o seu esposo e cuida de seus filhos

Entre os homens mais respeitados está o seu marido, e ele é admirado até mesmo pelas autoridades (v.23). Não o ridiculariza em público e nem em casa quando ele comete algum erro. Em vez disso, seus lábios falam com sabedoria instruindo a todos com bondade (v.26). A disciplina cheia de amor é levada a sério por ela, pois, seus filhos não a veem como uma carrasca e amargurada, mas, sim, como ditosa, bem-aventurada, muito, muito feliz.

Ela é um exemplo até mesmo para outras mulheres virtuosas

Seu exemplo é seguido até mesmo por aquelas mulheres que também são consideradas virtuosas. Seu comportamento ecoa as palavras do apóstolo Paulo ao jovem pastor Timóteo que deveria ser “padrão para os fiéis” (1Tm 4.12). Ela age assim porque compreendeu que a verdadeira beleza que a beleza física se passa com o tempo, porém, a beleza de um coração unido a Cristo, cheio da graça de Deus e de temor por Ele com certeza nunca acabará, mas, prorromperá pelos dias de sua vida e ecoaram na eternidade para o louvor e glória do Senhor Deus.

Diante de tudo isso, talvez você, mulher presbiteriana está pensando: “Como conseguirei reunir tudo isso em minha pessoa? Como ser uma boa dona de casa, boa mão, boa esposa, e ainda uma mulher empreendedora ajudando nas despesas de casa trabalhando fora sem em momento algum perder a qualidade do que estou fazendo?”. A pergunta que o escritor sagrado fez no v.10 não é respondida nos v.10-29, mas, sim, no v.30.

A mulher virtuosa não é a que faz tudo isso e acumula bens para essa vida, mas, sim, “a mulher que teme ao SENHOR”. Querida irmã, mulher presbiteriana, não caia na armadilha de querer ser bem sucedida nesta vida sem ter uma vida cheia de temor a Deus. Lá fora existem muitas mulheres que fazem tudo o que os v.10-29 dizem, mas, passam longe do v.30. Ganharam o mundo inteiro, mas, perderam a sua alma.

Lembre-se de que o seu maior tesouro é Deus. A vida sem Ele ou fora de Seus princípios é a mais terrível ilusão. Você, mulher presbiteriana, tem o maior de todos os privilégios que nem toda a riqueza deste mundo, nem todo o prestígio da sociedade ou qualquer outra coisa parecida pode lhe dar, a saber, a salvação eterna e o privilégio de servir a Deus e viver para a glória Dele. Não se nivele pelas mulheres deste mundo, por mais bem sucedidas que elas pareçam ser. Não se comporte como elas, não se vista como elas, não fale como elas, não pense como elas, isso seria trocar o ouro pelo estrume, o tesouro pela palha. No céu não entrarão mulheres virtuosas que fazem o que os v.10-29 dizem e se esquecem do v.30. No céu entrarão aquelas que são virtuosas e que cumprem tudo o que os v.10-29 dizem com base no que diz o v.30.

Parabéns pelo seu dia, mulher presbiteriana.

Rev. Olivar Alves Pereira

 

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Aconselhamento Bíblico, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

2 Responses to A dúvida de Provérbios 31.10 – homenagem à mulher presbiteriana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.