A EXEGESE EQUIVOCADA DA TEOLOGIA INCLUSIVA (argumentando contra a teologia gay)

Essa “teologia” é a que é ensinada pela tal “Igreja Inclusiva”, ou como é mais popularmente conhecida “teologia gay” e respectivamente, “igreja gay”.Dois personagens bíblicos prediletos dessa turma são Davi e Jônatas. Em 1Sm 18.1-5 e 2Sm 1.26 fala-se do amor que um tinha pelo outro. “Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma” 1Sm 18.3 e
“Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; tu eras amabilíssimo para comigo! Excepcional era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres”. (2Sm 1.26).
Temos que lidar com este fato tendo em vista duas interpretações:
1) Ou eles eram homossexuais e o homossexualismo não é pecado, pois, Deus não os castigou;
2) ou Deus não os castigou porque eles não eram homossexuais e o amor que um tinha pelo outro não era uma expressão do homossexualismo.
 
A primeira interpretação (que é a da teologia inclusiva) está totalmente equivocada, pois, contraria as demais partes das Escrituras Sagradas que declaram que o homossexualismo é pecado, é uma abominação aos olhos de Deus (Lv 18.22) e atrai a ira justa de Deus trazendo condenação a quem pratica tal coisa (Gn 19.1-29; Rm 1.24-27; 1Co 6.9; 1Tm 1.10). As Escrituras não condenam algo em uma passagem e em outra, o aprova. O que é considerado como pecado numa passagem o será em todas as partes das Escrituras que tratam do assunto.
 
Assim sendo, a interpretação correta é a que mostra que o amor de Jônatas e Davi não era um “amor homossexual” (a Bíblia não chama de “amor” as ações homossexuais, mas, sim de “pecado”, “abominação”), mas, sim, a mais sincera amizade, o mais puro amor que não somente é possível como também ordenado entre os filhos de Deus, a saber, o amor sacrificial, que está disposto a morrer pelo bem do outro. E foi justamente isso que Jônatas e Davi fizeram um pelo outro.
 
Se esse amor dos dois tivesse sido um ato ou sentimento homossexual, Deus teria punido severamente a Davi (e a Jônatas) como fizera em outras ocasiões em que Davi pecara, tal como no adultério com Bate-Seba e o assassinato encomendado de Urias (2Sm 11 e 12).
 
A teologia inclusiva (assim como todas as demais teologias equivocadas, depravadas e mentirosas) me faz lembrar as palavras de Pedro sobre os ensinos de Paulo:
“…ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (2Pe 3.16). Sim, os ignorantes e instáveis vivem deturpando as Escrituras com a finalidade de respaldarem seus pecados e sentirem-se confortáveis consigo mesmos. O que tais ignorantes e instáveis se esquecem é que um dia estarão diante de Deus e Lhe prestarão contas de todas as palavras e ações frívolas (Rm 14.12; Hb 4.13; 1Pe 4.5).

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos – ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.

This entry was posted in Aconselhamento Bíblico, Apologética. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *