A Soberana Vontade de Deus – 21ª Mensagem

Seguindo o Exemplo de Cristo

At 9.32-43

[audio:http://ubuntuone.com/3wzTt0B6CNx0aZgIM2Cz7U]

No presente texto, Lucas voltando sua atenção para o apóstolo Pedro e seu ministério na Palestina, mais especificamente na região litorânea, ele nos mostra algumas características de Pedro relacionadas à vida cristã, apontando para o fato de o crente em Cristo é alguém que busca imitar a Cristo em tudo. Seu parâmetro é Cristo, seu ideal de vida espelha-se em Cristo, e pelo poder de Cristo em sua vida ele busca esse ideal. Por isso, nessa ocasião eu quero meditar com você sobre: Seguindo o exemplo de Cristo.

Devemos seguir o exemplo de Cristo:

1)     No cuidado com os que nos foram confiados, v.32

 

Exposição v.32: “Passando Pedro por toda parte, desceu também aos santos que habitavam em Lida”.

Era uma prática comum dos apóstolos e líderes da Igreja Primitiva estarem sempre em contato com as comunidades de crentes para confirmar a fé em seus corações. “Passando Pedro por toda parte”, isto é, por toda a região da Palestina, ele então desceu para os “santos que habitavam em Lida”. Esta cidade era a antiga Lode dos tempos do Antigo Testamento que o império romano mudou seu nome para Lida.

A questão aqui é: quem levou o Evangelho a essa região? Com toda certeza foi o evangelista e diácono Filipe (cf. At 8.40). Pedro então estava confirmando o trabalho de Filipe.

Como crentes em Cristo Jesus temos o dever de confirmar a obra realizada pelos que vieram antes de nós. Cuidamos uns dos outros com o Evangelho que nos foi deixado. Vemos isso na vida de outros servos de Deus, como Paulo, que sempre cuidou daqueles que lhe foram confiados confirmando em suas vidas aquilo que receberam por parte de outros servos de Deus. Em 1Co 3.6-11 Paulo diz: “Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus.  7 De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.  8 Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho.  9 Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós.  10 Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica.  11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo”.

Aplicação v.29-31: Como você tem cuidado das pessoas que Deus colocou em sua responsabilidade? Você tem buscado confirmar em seus corações a Palavra de Deus que um dia receberam? Tem procurado ensinar-lhes a Palavra de Deus para que vivam para a glória Dele?

Devemos seguir o exemplo de Cristo

2)     Na compaixão com os que sofrem, v.33-39

 

Temos aqui duas situações em que Pedro demonstrou compaixão por aqueles que estavam sofrendo: na cura de Eneias e na ressurreição de Dorcas. Em ambos os casos ele foi instrumento de Deus na realização de milagres.

Exposição v.33-35: “Encontrou ali certo homem, chamado Enéias, que havia oito anos jazia de cama, pois era paralítico.  34 Disse-lhe Pedro: Eneias, Jesus Cristo te cura! Levanta-te e arruma o teu leito. Ele, imediatamente, se levantou.  35 Viram-no todos os habitantes de Lida e Sarona, os quais se converteram ao Senhor”.

Na cidade de Lida havia um homem chamado Eneias que estava acamado e impossibilitado de andar já se fazia oito anos. Não sabemos mais informações sobre ele. Não sabemos até mesmo se ele era um discípulo. Só sabemos que todos os habitantes das cidades de Lida e Sarona quando viram o milagre realizado em sua vida vieram a crer em Jesus.

Eneias sofria de paralisia há oito anos. Mas, no momento em que Pedro o viu moveu-se de compaixão por ele e por isso, se dirigiu a ele dizendo: “Eneias, Jesus Cristo te cura! Levanta-te e arruma o teu leito”. É importante notar que Pedro não trouxe para si a responsabilidade, mas, sim, apontou para Cristo como quem tem o poder de curar. Pedro se colocou apenas como um instrumento e não roubou para si a glória que é de Cristo. E porque Cristo operou um milagre ali Eneias “imediatamente, se levantou”. Ele não somente se levantou como também arrumou o seu leito numa demonstração de que este não lhe seria mais necessário para aquele fim. O seu leito agora seria como o de qualquer outra pessoa sadia: seria apenas para o repouso noturno, e não mais para passar a sua vida ali.

Este milagre tinha um objetivo ainda maior: a conversão das pessoas daquelas cidades. E foi justamente isso que aconteceu.

A compaixão de Pedro para com Eneias foi o instrumento que Deus usou para alcançar aqueles corações. Em sua compaixão por Eneias, Pedro apontou para Cristo que é o único que pode realmente transformar uma vida.

Aplicação v.33-35: Tenha sempre em seu coração compaixão pelas pessoas. Mas, em sua compaixão não busque resolver os problemas delas com o seu poder, mas, sim, com o poder de Cristo. A melhor maneira de demonstrar compaixão pelas pessoas é conduzindo-as a Cristo.

Exposição v.36-39: “Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia.  37 Ora, aconteceu, naqueles dias, que ela adoeceu e veio a morrer; e, depois de a lavarem, puseram-na no cenáculo.  38 Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens que lhe pedissem: Não demores em vir ter conosco.  39 Pedro atendeu e foi com eles. Tendo chegado, conduziram-no para o cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas”.

Outro milagre foi realizado por Cristo através de Pedro foi a ressurreição de Dorcas. Jope era uma importante cidade portuária desde os tempos do Antigo Testamento. Ali vivia uma discípula de Cristo chamada Tabita (nome aramaico) que também era chamada de Dorcas (nome grego), cujo significado é “gazela”. O seu testemunho trazia a beleza graciosa de uma gazela: “era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia”. Contudo, por causa de uma enfermidade veio a falecer. Levaram o seu corpo para um cenáculo, um quarto na parte superior de sua casa que geralmente servia como hospedaria para visitantes.

Sabendo que Pedro estava perto de Jope mandaram dois homens daquela comunidade irem à procura de Pedro e pedir-lhe que viesse com eles, e “Pedro atendeu e foi com eles”. Em lá chegando, Pedro deparou-se com uma cena comovente, pois, “todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas”.

Aplicação v.36-39: tenha em seu coração compaixão pelos que sofrem. Você precisa se compadecer daqueles que sofrem com perdas das mais diversas. Você precisa estar disposto a atender ao clamor das pessoas e fazer o que lhe for possível fazer, e o que lhe for impossível, entregue nas mãos de Cristo. Essa compaixão tem de ser vista em você.

Devemos imitar a Cristo também

3)     No nosso comportamento, v.40-43

Observe que o comportamento de Pedro aqui ao realizar esse milagre foi em alguns aspectos semelhante ao de Cristo quando Ele ressuscitou a filha de Jairo, fato registrado em Mc 5.35-43.

Exposição v.40-42: “Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pondo-se de joelhos, orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se.  41 Ele, dando-lhe a mão, levantou-a; e, chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva.  42 Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor”.

Assim como o Senhor Jesus fizera a todos saírem da casa (Mc 5.40), Pedro também fez com que todos saíssem ali do recinto. No caso de Jesus, Ele ainda levou consigo o pai e a mãe, bem como Pedro, Tiago e João. Pedro fez como o Senhor Jesus.

Cristo tomou a menina pela mão e ordenou que ela se levantasse (Mc 5.41); Pedro ordenou ao cadáver que se levantasse, e somente depois que ela abriu os olhos e se assentou é que ele a tomou pela mão.

Mas, uma semelhança impressionante aqui é vista nas palavras de Jesus e de Pedro aos dois cadáveres. Jesus disse: “Talitá cumi! que quer dizer: Menina, eu te mando, levanta-te!” (Mc 5.41). E Pedro disse: “Tabita cumi!” ou como está em nossa tradução: “Tabita, levanta-te!”. Somente um “b” e um “l” diferem as duas sentenças.

Outra semelhança entre os dois milagres é que de imediato as duas voltaram à vida.

Mas, há uma diferença muito importante aqui. Jesus tomou a menina pela mão e deu a ordem; Pedro deu a ordem e depois tomou Dorcas pela mão. Ainda que a questão cerimonial possa estar presente aqui (um judeu não tocaria num morto), não vem ao caso, embora nos chame a atenção o fato de Cristo sendo um judeu ter tocado no cadáver da menina, enquanto que Pedro não o fez.

Aparentemente, Pedro fez algo mais notável que Cristo, mas, isso não é verdade. Jesus embora tenha todo o poder para somente com Sua Palavra fazer as coisas acontecerem, Ele é o único que realmente pode fazer milagres com Seu toque ou com Sua Palavra. Pedro não tinha poder algum em si mesmo; ele só podia agir pela autoridade de Cristo e por esse motivo antes de tudo ele pôs-se de joelhos e orou pedindo a Deus o milagre. Dessa forma ele apontou para Cristo novamente, assim como fizera no caso de Eneias. Jesus não dependia de ninguém; Pedro dependia de Jesus.

Aplicação v.40-42: No seu comportamento Cristo tem de ser o seu padrão se você quiser que Cristo seja glorificado através da sua vida.

Por fim, devemos imitar a Cristo

4)     Nos nossos relacionamentos, v.43

Exposição v.43: “Pedro ficou em Jope muitos dias, em casa de um curtidor chamado Simão”.

Havia muita coisa ainda a ser feita ali em Jope e por isso Pedro ficou ali muitos dias durante os quais se hospedou na casa de Simão cuja profissão era de curtidor de couro. Essa profissão era considerada pelos judeus algo imundo pelo fato de lidar com animais mortos. O simples fato de estar em contato com alguém que tinha essa profissão já trazia sérias dificuldades para um judeu. Mas, foi ali que Pedro se hospedou.

O que podemos ver nisso é Deus preparando o coração de Pedro para o ministério com os gentios começando com o centurião Cornélio (At 10). O que chama a atenção aqui é que assim como Jesus, Pedro também andou com os considerados “imundos”. Ele não se afastou deles como fica claro aqui.

Aplicação v.43: Em seus relacionamentos você tem de estar pronto para estar em contato com quem quer que seja com o propósito de levar-lhe a Palavra de Deus e vê-lo sendo purificado por ela. O que contamina não é o estar com os pecadores, mas, sim, fazer o que eles fazem. Cristo esteve com eles e não Se contaminou com seus pecados.

Conclusão

O grande objetivo de seguir o exemplo de Cristo e imitá-Lo é apontar para Ele dando toda a glória que Lhe é devida. Precisamos de Cristo para sermos como Cristo para glorificarmos a Cristo. Que assim possamos viver cada dia de nossa vida!

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em Atos dos Apóstolos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.