A Soberana Vontade de Deus – 25ª Mensagem

A Presença de Deus em Tempos Difíceis

Parte I

At 11.19-30

              Iniciamos hoje a quarta seção do Livro de Atos (At 11.19 – 12.25), a qual nos mostra a Igreja de Cristo numa fase de transição e expandindo suas fronteiras para outras nações.

              Nesta fase também vemos que a perseguição contra a Igreja se intensificou. Contudo, não faltou à Igreja o cuidado de Deus no meio de toda essa perseguição e luta. Por isso, meditaremos hoje e na próxima mensagem também, sobre: A presença de Deus em tempos difíceis.

              Todo crente está sujeito a passar por momentos difíceis em sua vida. Não existe vida cristã sem luta, e todas as lutas pelas quais passamos há um único objetivo: a nossa fé. Nossos inimigos farão de tudo para demover-nos da nossa fé, mas, Deus nos dará amplos recursos para não só permanecermos firmes como também crescermos ainda mais na fé. E é só isso que importa. Em meio às suas lutas não foque nas circunstâncias, mas, sim, na real presença de Deus em sua vida. Lute pela sua fé em Cristo, lute com fé em Cristo.

              A presença de Deus em tempos difíceis se faz ver

1)     Pela mão do Senhor com Seu povo, v.19-21

Exposição v.19-21:19 Então, os que foram dispersos por causa da tribulação que sobreveio a Estêvão se espalharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus.  20 Alguns deles, porém, que eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos, anunciando-lhes o evangelho do Senhor Jesus.  21 A mão do Senhor estava com eles, e muitos, crendo, se converteram ao Senhor”.

              Lucas retoma o assunto sobre a perseguição contra a Igreja que ele havia começado a relatar em At 8.1-3. A perseguição que começara com a morte de Estêvão fez com que os cristãos se espalhassem até à Fenícia (região costeira), à ilha de Chipre e à Antioquia, capital da Síria. Eles não tinham nenhum contato com os gentios, mas, pregavam a Palavra “somente aos judeus”.

              Mas, isso não era uma regra seguida por todos os cristãos. Havia entre eles os que “eram de Chipre e de Cirene e que foram até Antioquia, falavam também aos gregos”. E a mensagem que levavam era “o evangelho do Senhor Jesus”.

              Pela mão de Deus, isto é, por Sua divina providência aquela perseguição transformou-se num instrumento para propagação do Evangelho. Pela providência de Deus muitos foram alcançados pelo Evangelho “e muitos, crendo, se converteram ao Senhor”.

              O que poderia ser visto como o desamparo de Deus (a perseguição) passou a ser visto como a manifestação da mão de Deus amparando aqueles irmãos.

Aplicação v.19-21: irmão, este é um grande desafio para sua fé: ver a mão de Deus providenciando tudo o que lhe for necessário em meio aos tempos difíceis de sua vida. Saiba, creia e viva a verdade de que Deus pode transformar tempos difíceis de sua vida em oportunidades singulares de vitória, porque o que Ele muda de fato não são as circunstâncias, mas, sim, seu coração. Em meio aos tempos difíceis da perseguição, Deus estava convertendo corações, promovendo a fé naqueles corações. O mesmo Ele faz também com o seu coração, a saber, promovendo e fortalecendo sua fé.

              A presença de Deus em tempos difíceis também se faz ver

2)     Pela manifestação da Sua Graça, v.22,23

 

Exposição v.22,23:22 A notícia a respeito deles chegou aos ouvidos da igreja que estava em Jerusalém; e enviaram Barnabé até Antioquia.  23 Tendo ele chegado e, vendo a graça de Deus, alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor”.

              Há pouco tempo atrás, os judeus não tinham qualquer contato com os gentios. Somente depois que Pedro relatou aos apóstolos e cristãos em Jerusalém o que Deus fizera pelos gentios derramando sobre eles o Seu Santo Espírito é que eles então passaram a ver os gentios convertidos como irmãos em Cristo.

              Boas notícias foram trazidas aos irmãos em Jerusalém os quais decidiram enviar Barnabé à Antioquia, não para demonstrar autoridade ou proeminência sobre eles, mas, para acompanha-los nesse crescimento. E foi justamente isso que Barnabé fez quando lá chegou. Ele fez jus ao significado de seu nome “filho da exortação”, e “alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor”.

              Mas, por que ele alegrou-se? A resposta é que “Tendo ele chegado e, vendo a graça de Deus”. Eis uma verdade sobremodo maravilhosa: a graça de Deus é algo que a gente vê. Alguém pode fingir amar, ser crente, ser comprometido com Deus, mas, se tem algo que a pessoa não consegue fingir é ter a graça de Deus quando não a tem. Somente quem foi trazido pela boa mão de Deus para a vida em Cristo é que pode demonstrar a graça de Deus em seu viver diário. A graça não é um fruto da nossa fé, mas, sim a fé é um fruto da graça de Deus em nós.    Em tempos difíceis a graça de Deus se faz visível na vida dos Seus filhos.

Aplicação v.22,23: Quando você estiver passando por um tempo difícil em sua vida clame não somente pela graça de Deus em sua vida para lhe fortalecer, mas, clame também a Deus para que a graça Dele seja visível me sua vida e outros possam ver o que Deus está fazendo em sua vida.

              Em tempos difíceis a presença de Deus se faz ver em nossa vida

3)     Pela instrução na Palavra, v.24-26

 

Exposição v.24-26:24 Porque era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor.  25 E partiu Barnabé para Tarso à procura de Saulo;  26 tendo-o encontrado, levou-o para Antioquia. E, por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão. Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos”.

              Barnabé foi enviado para os irmãos em Antioquia para exortá-los a ficarem firmes na fé, pois, viriam tempos em que eles seriam postos à prova – a fé não pode ser um estado de euforia, mas, tem de ser consistente para enfrentar as lutas. Barnabé “era homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé”. O mesmo foi dito de Estêvão (At 6.5).

              Muitos outros estavam se convertendo a Cristo, e que fez com que o trabalho de Barnabé exigisse a ajuda de outro irmão capacitado para ensinar. Foi aí que Barnabé saiu à procura de Saulo na cidade de Tarso. Encontrando-o trouxe-o para ajuda-lo no seu trabalho junto àqueles irmãos e “por todo um ano, se reuniram naquela igreja e ensinaram numerosa multidão”. O que eles ensinaram foi a Palavra de Deus, e de tal forma eles acolheram os ensinamentos de Barnabé e Saulo que “Em Antioquia, foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos”. Alguns estudiosos apontam que este termo foi no sentido pejorativo, um apelido zombeteiro, significando literalmente “pequenos cristos”. Contudo, vendo todo o contexto aqui, essa afirmação parece não ter consistência, pois, foi em decorrência do belo testemunho daqueles irmãos é que receberam este nome.

Aplicação v.24-26: Em tempos difíceis Deus nunca deixará você sem a instrução da Sua Palavra. Ele levantará servos Dele para ajuda-lo a entender o que a Sua Palavra diz; Ele abrirá o seu entendimento para receber Sua Palavra. Em tempos difíceis Deus fortalecerá a sua fé por meio da Sua Palavra, e, assim fazendo lapidará o seu caráter para ser cada vez mais parecido com o de Cristo.

              Por fim, em tempos difíceis a presença de Deus ser faz ver

4)     Pelo amor fraternal, v.27-30

Exposição v.27-30:27 Naqueles dias, desceram alguns profetas de Jerusalém para Antioquia,  28 e, apresentando-se um deles, chamado Ágabo, dava a entender, pelo Espírito, que estava para vir grande fome por todo o mundo, a qual sobreveio nos dias de Cláudio.  29 Os discípulos, cada um conforme as suas posses, resolveram enviar socorro aos irmãos que moravam na Judeia;  30 o que eles, com efeito, fizeram, enviando-o aos presbíteros por intermédio de Barnabé e de Saulo”.

              Os profetas aqui neste texto eram homens capacitados pelo Espírito Santo, e diferiam dos do Antigo Testamento no sentido de que aqueles profetizavam, mormente, sobre a vinda do Messias. Os do Novo Testamento pregavam a Palavra de Deus e os ensinamentos de Cristo com autoridade e rigor, assim como prediziam o que haveria de acontecer. Um destes era um homem chamado Ágabo que aparece novamente em At 21.10. Ele “dava a entender, pelo Espírito, que estava para vir grande fome por todo o mundo, a qual sobreveio nos dias de Cláudio”. Conforme dados históricos essa fome aconteceu no ano 46 d.C. Tempos muito difíceis que foram amenizados pelo amor dos irmãos de Antioquia que levantaram uma oferta e a enviaram para os irmãos que moravam na Judeia através de Barnabé e Saulo. Assim aqueles tempos difíceis se tornaram mais suportáveis.

Aplicação v.27-30: Você já recebeu uma ajuda em tempos difíceis? Você já demonstrou amor ajudando alguém que passava por tempos difíceis? Como diz Pv 17.17: “Em todo tempo ama o amigo e na angústia se faz o irmão”, ou seja, um amigo que mantém a amizade é como um irmão em tempos difíceis. Irmãos de verdade estão juntos em tempos difíceis. Comunhão de verdade se vê em tempos de dificuldade. Entre se alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram, prefira chorar com os que choram.

Conclusão

              Se Deus tiver para você passar por um tempo difícil em sua vida saiba que Ele sempre estará presente com você providenciando tudo o que você necessitar para passar pela tribulação; Ele sempre manifestará a Sua graça em sua vida, dará a orientação por meio de Sua Palavra e cercará você de irmãos na fé com quem você poderá compartilhar sua vida. Tão somente, confie Nele e não permita que nada e nem ninguém venha demover você da sua fé em Cristo.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em Atos dos Apóstolos, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.