A Soberana Vontade de Deus – 34ª Mensagem

A Segunda Viagem Missionária

Cultivando o Coração na Palavra

At 17.1-15

              O presente texto descreve a evangelização de duas cidades da Macedônia: Tessalônica (mais ao norte) e Bereia (ao sudoeste). Encontramos várias semelhanças entre as duas cidades:

A mesma estratégia evangelística foi adotada: Paulo e Silas buscaram as sinagogas judaicas para cultuarem a Deus e pregarem o Evangelho

Exposição v.1: “Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus”;

Exposição v.10: E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus”;

A mesma mensagem foi proclamada: vemos que o conteúdo da mensagem deles eram as Escrituras, termo este que indica o Antigo Testamento, com o qual eles comprovavam às pessoas que em Jesus se cumpriram todas as profecias, pois, Ele é o Messias, o Cristo.

Exposição v.2: “Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras” (v.2);

Exposição v.11: “Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim”. Na mensagem deles o ponto central era a ressurreição de Cristo conforme vemos no v.3 “expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vos anuncio”.

 

Os mesmos resultados foram obtidos: em Tessalônica o número de judeus convertidos menor que o de Bereia, mas, em ambos os lugares houveram muitas conversões a Cristo:

Exposição v.4: “Alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres”.

Exposição v.12: “Com isso, muitos deles creram, mulheres gregas de alta posição e não poucos homens”.

Os mesmos inimigos se levantaram contra Paulo e Silas: Tanto em Tessalônica quanto em Bereia, os judeus invejosos por verem muitos judeus e gentios prosélitos do judaísmo se convertendo ao Evangelho se levantaram contra Paulo e Silas:

Exposição v.5: “Os judeus, porém, movidos de inveja, trazendo consigo alguns homens maus dentre a malandragem, ajuntando a turba, alvoroçaram a cidade e, assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para o meio do povo”.

Exposição v.13:  “Mas, logo que os judeus de Tessalônica souberam que a palavra de Deus era anunciada por Paulo também em Bereia, foram lá excitar e perturbar o povo”. 

O mesmo livramento foi dado a Paulo e Silas: em Tessalônica, os irmãos os protegeram assumindo os riscos por defende-los:

Exposição v.6,7: “Porém, não os encontrando, arrastaram Jasom e alguns irmãos perante as autoridades, clamando: Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui, 7 os quais Jasom hospedou. Todos estes procedem contra os decretos de César, afirmando ser Jesus outro rei”.

              Em Bereia os irmãos se reuniram e escoltaram Paulo até Atenas deixando-o em segurança.

Exposição v.14,15: 14 Então, os irmãos promoveram, sem detença, a partida de Paulo para os lados do mar. Porém Silas e Timóteo continuaram ali.  15 Os responsáveis por Paulo levaram-no até Atenas e regressaram trazendo ordem a Silas e Timóteo para que, o mais depressa possível, fossem ter com ele”.

              Mas, houve uma diferença muito grande entre os crentes de Tessalônica e os de Bereia. Lucas relata no v.11 que: “Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim”.

              Dessa forma, os crentes de Bereia são para nós um exemplo de crentes que cultivavam o seu coração na Palavra de Deus. E é sobre isso que quero meditar com os irmãos nesta ocasião: Cultivando o coração na Palavra.

              A Palavra de Deus sempre foi perseguida. Sempre foi atacada por inimigos, mas, sempre triunfou. Precisamos entender que temos em nossas mãos o tesouro mais precioso que existe, a maior de todas as riquezas desta vida.

              Precisamos cultivar o nosso coração na Palavra de Deus; precisamos alicerça-lo na Palavra, alimenta-lo com Ela, e revestir-nos com seus ensinamentos uma vez que a recebemos por meio do Espírito Santo.

              Para cultivarmos o nosso coração na Palavra de Deus é necessário:

1)     Termos mentalidade nobre para com a Palavra

 

              Lucas diz que os bereianos “eram mais nobres que os de Tessalônica”. A palavra que aqui foi traduzida por “nobres” quer dizer “alguém de nobre nascimento”, mas, o contexto aqui indica que eles tinham uma mentalidade aberta para receberem a Palavra de Deus. Eles eram judeus como os de Tessalônica, tinham as mesmas crenças e as mesmas normas de vida, mas, enquanto em Tessalônica Paulo “por três sábados arrazoou com eles acerca das Escrituras, 3 expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos”, os de Bereia receberam a Palavra de Deus com uma mentalidade mais aberta. Os verbos “arrazoar”, “expor” e “demonstrar” indicam uma ação de Paulo e extremo esforço e empenho para que os irmãos de Tessalônica compreendessem a Palavra de Deus e que todo o Antigo Testamento se cumprira em Jesus Cristo. É ainda muito curioso o fato de que Paulo posteriormente tenha escrito aos tessalonicenses duas cartas para tratar do mesmo assunto: a ressurreição e a volta de Cristo. Parece-nos que eles ainda tinham alguma resistência. Porém, os bereianos bem diferentes dos irmãos de Tessalônica, pois tinham uma mentalidade nobre, aberta, receptiva ao Evangelho.

              Com certeza, essa mente aberta para o Evangelho que os bereianos tinham era resultado da ação do Espírito Santo em seus corações. É por isso que temos de pedir incansavelmente ao Espírito Santo que nos ajude a entender e a atender ao que Palavra diz.

              Para cultivarmos o nosso coração na Palavra de Deus é necessário:

2)     Estimarmos grandemente a Palavra

 

              Não devemos ver os tessalonicenses como pessoas não inteligentes. Não se tratava de inteligência ou falta dela, mas, sim, disposição para receber a Palavra de Deus. A palavra que aqui foi traduzida por “avidez” indica que eles a receberam como o maior tesouro que haviam recebido em suas vidas; como alguém faminto que recebe um pedaço de pão e se alimenta.

              Os bereianos receberam a Palavra de Deus “com toda avidez”, com grande disposição. Para eles as Escrituras não eram apenas um pergaminho escrito ou um livro que transmitia uma mensagem divina, mas, sim, a verdade revelada aos pais pelos profetas (Hb 1.1-4) de onde eles extraíam toda a base para sua fé. É importante ressaltarmos que estes irmãos só tinham o Antigo Testamento como Escrituras Sagradas, pois, o Novo Testamento não havia nem começado a ser escrito nessa época.

              Temos que dizer como o salmista no Sl 119. 97: Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia!”. Devemos lembrar que a principal marca de um servo de Deus é o seu amor pela Palavra de Deus e o seu cumprimento da mesma como disse o Senhor Jesus:

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (Jo 14.15).

               Para cultivarmos o nosso coração na Palavra de Deus precisamos

3)     Estudarmos dedicadamente a Palavra

 

               Os crentes bereianos examinavam as “Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim”. Dia após dia eles examinavam o Antigo Testamento para ver se o que Paulo e Silas pregavam estava de acordo. O verbo “examinar” aqui quer dizer “fazer uma pesquisa cuidadosa, como num julgamento legal”[1], como um investigador que busca cautelosamente por provas a fim de dar bases para as afirmações diante de um tribunal.

               Enquanto os crentes de Tessalônica tiveram apenas três sábados de instrução bíblica, os de Bereia examinavam e estudavam as Escrituras dedicadamente todos os dias; enquanto os de Tessalônica necessitavam de que Paulo arrazoasse, expusesse e demonstrasse as verdades sobre Cristo, os de Bereia buscavam nas Escrituras o embasamento não só para o que Paulo dizia, mas, para a própria fé deles.

               Crentes que se contentam apenas com a mensagem que ouvem uma vez por semana, que não gastam seu tempo estudando e meditando na Palavra e não aproveitam as oportunidades que a Igreja oferece para estudar a Palavra juntos, não crescem, não encontram forças para lutar quando surgem as adversidades, são presas fáceis para o inimigo, são inconstantes, imaturos.

               Como tem faltado em nossos dias esse tipo de crente “bereianos”. Infelizmente, por não terem o hábito saudável de examinar acuradamente as Escrituras para conferir se o que estão ouvindo é ou não de acordo com a Palavra de Deus, muitos de nós estão engatinhando na fé enquanto já deveriam estar correndo com perseverança a carreira que nos foi proposta (Hb 12.1-3).

Aplicações:  Olhando para os crentes de Tessalônica e para os de Bereia a qual deles você se assemelha?

               Você tem uma mentalidade aberta para redefinir suas ações e motivações de acordo com o que a Palavra de Deus diz?

               Você tem a Palavra de Deus em grande estima como sendo o maior tesouro que você já recebeu?

               Como você tem demonstrado isso? Por meio de um estudo dedicado, demonstrando ter fome e sede da Palavra e saciando o seu coração somente nela?

               Com que frequência você tem estudado a Bíblia?

               Qual foi o último versículo dela que você memorizou?

               E como você tem aplicado essas verdades ao seu coração?

               Só podemos conhecer a Deus através de Jesus Cristo, e só poderemos conhecer a Jesus Cristo por meio da Bíblia. E somente conhecendo a Cristo é que seremos transformados no mais profundo de nosso coração.

Conclusão

               A Palavra de Deus ao mesmo tempo em que transforma os corações eleitos, também transtorna os corações réprobos (cf. v.6).

               Não amenizemos o teor da Palavra de Deus, não façamos com que ela se torne palatável aos pecadores. Em vez disso, que a preguemos como ela é sem temermos transtornar o ambiente em que estivermos tal como fizeram Paulo e Silas.

               Que Deus em Sua infinita bondade nos dê uma mente aberta e receptiva à Sua Palavra, um amor e estima por ela a ponto de nada ser mais valioso do que ela para nós, e também que Ele nos incomode a sermos estudantes e praticantes mais fervorosos e dedicados da Sua Palavra para a glória Dele.



[1] RIENECKER e ROGERS, 1988, p.225.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em Atos dos Apóstolos. Bookmark the permalink.

2 Responses to A Soberana Vontade de Deus – 34ª Mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.