A Soberana Vontade de Deus – 37ª Mensagem

A Terceira Viagem Missionária

At 18.23 – 21.16

O Conhecimento de Deus

At 18.23-28

                  Iniciamos hoje a terceira viagem missionária de Paulo.

 

Exposição v.23:23 Havendo passado ali algum tempo, saiu, atravessando sucessivamente a região da Galácia e Frígia, confirmando todos os discípulos”.

              Quanto tempo Paulo passou em Jerusalém não sabemos exatamente, mas, não deve ter sido mais do que seis meses. Percorrendo lugares onde ele já havia anunciado o Evangelho, agora ele voltava com o propósito de estar “confirmando todos os discípulos”. Sempre vemos este zelo que Paulo tinha com as igrejas. Ele não somente as plantava, mas, também lhes dava o devido acompanhamento para continuarem firmes e crescendo na graça do Senhor. Tão importante quanto anunciar o Evangelho é confirmar os discípulos por meio da instrução e acompanhamento pastoral.

              Interrompendo sua narrativa sobre as atividades de Paulo, Lucas apresenta outro grande servo de Deus e pregador do Evangelho chamado Apolo.

             

Exposição v.24-26:24 Nesse meio tempo, chegou a Éfeso um judeu, natural de Alexandria, chamado Apolo, homem eloquente e poderoso nas Escrituras. 25 Era ele instruído no caminho do Senhor; e, sendo fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão a respeito de Jesus, conhecendo apenas o batismo de João.  26 Ele, pois, começou a falar ousadamente na sinagoga. Ouvindo-o, porém, Priscila e Áqüila, tomaram-no consigo e, com mais exatidão, lhe expuseram o caminho de Deus”.

              A cidade de Alexandria ficava no Egito. Lá havia uma escola famosa por sua filosofia, literatura e retórica que influenciou muitos os judeus que lá viviam, cerca de 1 milhão de judeus[1]. A língua grega era o idioma falado ali. Em Alexandria o Antigo Testamento foi traduzido para a língua grega numa tentativa de fazer aqueles judeus de fala grega entenderem as Escrituras Sagradas. Apolo com certeza era fruto do judaísmo alexandrino[2].

              Apolo é descrito como:

“eloquente e poderoso nas Escrituras”, ele era um homem muito culto e sabia muito bem usar seus conhecimentos das Escrituras Sagradas na pregação;

“instruído no caminho do Senhor”, ele havia recebido o Evangelho por meio daqueles peregrinos do Pentecostes (At 2.10), e fora devidamente instruído no Evangelho;

“fervoroso de espírito”, isto é, cheio de entusiasmo;  

“ensinava com precisão a respeito de Jesus”, com seu coração fervendo de amor por Cristo e entusiasmado com a poderosa mensagem das Escrituras, ensinava a respeito do nascimento, vida e morte de Jesus. E também,

“começou a falar ousadamente na sinagoga”, pois, os judeus de Éfeso já haviam recebido o Evangelho por meio de Paulo e até insistiram com ele para permanecer com eles para lhes ensinar mais a respeito de Jesus. Assim, Apolo estava cercado por pessoas interessadas em conhecer mais de Deus tendo o seu coração fervendo de entusiasmo para ensinar-lhes. Este é o sonho de todo pregador do Evangelho e pastor!

              Mas, Apolo ainda tinha muito que aprender sobre o “caminho de Deus”. Por esta razão o casal, Priscila e Áquila se aproximaram dele e o instruíram ainda mais.

 

Exposição v.27,28:27 Querendo ele percorrer a Acaia, animaram-no os irmãos e escreveram aos discípulos para o receberem. Tendo chegado, auxiliou muito aqueles que, mediante a graça, haviam crido;  28 porque, com grande poder, convencia publicamente os judeus, provando, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus”.

              O coração de Apolo também pulsava por pregar o Evangelho em outros lugares. Manifestando o desejo de ir à Acaia, e em especial à cidade de Corinto (cf. At 19.1), foi animado e até recomendado pelos irmãos de Éfeso aos irmãos de Corinto que o recebessem.

              Lá chegando, ele foi um instrumento de Deus na vida daqueles irmãos “porque, com grande poder, convencia publicamente os judeus, provando, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus” (v.28).

              Quando lemos 1Co 1 ficamos sabendo que Apolo foi bem recebido por eles. Devido à sua oratória e eloquência, surgiu até uma facção dentro da igreja de Corinto que se dizia “de Apolo”, enquanto outros se diziam ser “de Paulo”, outros ainda, “de Cefas” e, outros, “de Jesus” (1Co 1.12). Ressaltamos que facções dentro da Igreja de Cristo são reprováveis aos olhos do Senhor!

              Olhando para a vida de Apolo destaca-se uma verdade preciosa, a saber, o conhecimento de Deus, assunto este que será o tema da nossa mensagem nessa ocasião.

              Quando falamos do conhecimento de Deus referimo-nos ao conhecimento que podemos ter de Seu santo ser com base nas Escrituras Sagradas. Assim sendo, o conhecimento de Deus:

1)     Deve ser adquirido, v.24, 25a

 

              O conhecimento, não importa em que área seja, é adquirido. Se isso é verdade nas coisas terrenas, o que se dirá nas coisas espirituais envolvendo o ser de Deus?

              Não poderíamos jamais conhecer a Deus se Ele não tivesse se revelado a nós. Neste sentido, as Escrituras Sagradas são os registros da revelação de Deus a nós.

              Apolo conhecia a Deus. No v.24 vemos que ele era um homem eloquente, isto é, habilidoso com as palavras, usando com sabedoria o conhecimento adquirido através das Escrituras[3]. No v.25 vemos que “Era ele instruído no caminho do Senhor”, o que conota um ensino por meio de repetição constante.

         Só podemos conhecer a Deus por meio do Senhor Jesus, e este conhecimento é encontrado somente nas Escrituras. A nossa vida consiste em um ato contínuo da busca do conhecimento de Deus. Nas palavras do profeta Jeremias: mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR” (Jr 9.24).

         Outro fator importante para adquirirmos o conhecimento é a humildade. Apolo se submeteu à instrução de Priscila e Áquila. É curioso que Lucas coloque o nome dela antes do de seu esposo. Apolo se submeteu não só à instrução de outros, mas, de uma mulher.

Aplicação: Você tem empenhado seu esforço, tempo e recursos em conhecer cada vez mais a Deus? Onde você tem buscado o conhecimento de Deus? Se não for nas Escrituras Sagradas você jamais poderá conhece-Lo como Ele quer que você o conheça. Um coração que se dedica em conhecer a Deus cada vez mais será tomado de entusiasmo e fervor como aconteceu com Apolo. Também revelará humildade e disposição para aprender ainda mais.

              Mas o conhecimento de Deus também:

 

2)      Deve ser transmitido, v.25b, 26a

               Priscila e Áquila transmitiram o conhecimento que tinham de Jesus Cristo a Apolo.

               Apolo não somente era um homem culto e instruído nas Escrituras Sagradas; ele também as expunha com fervor em seu espírito, ou seja, entusiasmo. Mas, nem só de entusiasmo vivia esse irmão. Ele também “falava e ensinava com precisão a respeito de Jesus” (v.25). Ainda que conhecesse apenas o batismo de João e não soubesse nada da obra do Espírito Santo, Apolo se dedicava ao ensino preciso a respeito de do Senhor Jesus.

               Ele ainda ensinava com ousadia (v.26), isto é, com intrepidez não temendo nenhuma possível retaliação por parte de quem quer que fosse. Como sempre temos visto em Atos, os servos de Jesus sempre oraram pedindo essa ousadia para pregarem mesmo diante das mais terríveis ameaças.

               Em seu coração também estava o zelo pelo crescimento dos seus irmãos, e depois que foi instruído por Priscila e Áquila, ele foi para a Acaia.

               Com Apolo aprendemos que a pregação do Evangelho deve ser feita com:

Com grande entusiasmo: fervor de espírito, pois, estamos falando da verdade eterna;

Com precisão: para isso é preciso profundo conhecimento das Escrituras, pois, de conhecimento superficial das Escrituras não produz mudança no coração – somente um profundo conhecimento do Ser de Deus pode mudar um coração.

Com ousadia: que o único temor encontrado no coração de um pregador seja o temor a Deus diante do qual todos os outros temores se vão.

Com zelo: se não estivermos preocupados com o crescimento espiritual daqueles que nos ouvem jamais lhes mostraremos o perigo que ronda seus corações.

Aplicação: Há em seu coração entusiasmo quando você fala de Deus? Existe precisão no seu ensino e a pessoa de Jesus é o centro da sua mensagem? A ousadia para pregar não importando quem se levanta contra você é vista em sua vida? Você tem sido zeloso em procurar o ver o crescimento daqueles que ouvem você?

               Infelizmente, a frieza com que muitos têm pregado o Evangelho parece estar se tornando uma regra em nossos dias. Não se vê ousadia, fervor e zelo nas muitas pregações de hoje. E essa frieza tem sido refletida no dia a dia das pessoas que estão vivendo suas vidas com uma caricatura de Deus e por isso mesmo se comportam como ímpios. O temor de Deus deve ser visto primeiramente na pregação.

               Por fim, o conhecimento de Deus

3)     Deve ser completo, v.25b, 26b, v.27 e 28

               Apolo conhecia tudo sobre a vida de Jesus, mas, nada sabia sobre o Espírito Santo. Ele conhecia “apenas o batismo de João” (v.25b), ou seja, o batismo de arrependimento (At 19.4). O mesmo acontecia com os discípulos em Éfeso (At 19.1,2).

               Foi percebendo esse conhecimento incompleto de Apolo que o casal Priscila e Áquila “tomaram-no consigo e, com mais exatidão, lhe expuseram o caminho de Deus” (v.26b). Para alguém que expunha com precisão o que conhecia das Escrituras, Priscila e Áquila tiveram o desafio de expor “com mais exatidão” ainda, as verdades concernentes ao Evangelho. Nunca alguém pode dizer que atingiu todo o conhecimento. Sempre haverá mais o que aprender, principalmente se o assunto for o Ser de Deus!

               Havia muito mais para Apolo saber. Ele conhecia sobre o Senhor Jesus. Ouvira sobre o Seu nascimento, Sua obra e morte vicária. Sabia que Ele era o Cristo (v.28), mas, nada sabia sobre o Espírito Santo. Ele sabia sobre o “conteúdo” do Evangelho, a saber, Jesus Cristo; mas, nada sabia sobre Aquele que é quem “aplica” o conteúdo do Evangelho ao nosso coração, a saber, o Espírito Santo. Tão importante quanto conhecer a história de Jesus é também ter essas verdades aplicadas ao coração por meio do Espírito Santo.

               Assim que foi devidamente instruído nas verdades que ainda faltava conhecer, Apolo desceu aos irmãos da Acaia e ali encontrou irmãos que também precisavam de mais conhecimento sobre Deus. Estes já haviam crido, mas, foram ainda mais fortalecidos através do trabalho de Apolo. Além dos que já haviam crido, outros judeus foram convencidos pelo Espírito Santo mediante a eloquência de Apolo, que “provando, por meio das Escrituras, que o Cristo é Jesus” (v.28).

               Tanto Apolo quanto os irmãos da Acaia precisaram que alguém lhes ajudasse a se aprofundar ainda mais no conhecimento de Deus. Mesmo os que têm muito conhecimento acerca de Deus ainda têm muito a aprender.

Aplicação: Você pode mensurar o conhecimento que você tem de Deus? Você está satisfeito com esse conhecimento ou tem buscado ainda mais conhecimento de Deus? O conhecimento que você tem de Deus é suficiente para convencer alguém que tem um conhecimento distorcido acerca de Cristo? O conhecimento que você tem de Deus tem lhe dado confiança e tranquilidade diante daqueles que se opõe ao Evangelho, ou você se cala por não ser eloquente? Eloquência não significa falar alto e se impor numa situação, mas, sim, ser habilidoso com as palavras mostrando a coerência das Escrituras.

               Você pode ter profundo conhecimento das Escrituras, saber sobre tudo da vida de Jesus, ser eloquente enquanto prega, demonstrar fervor de espírito, mas, se não tiver o Espírito Santo em sua vida, você não pode se declarar sequer um crente em Cristo Jesus. É a presença do Espírito Santo no seu coração que fará toda a diferença não só na sua pregação, mas, em sua vida.

Conclusão

               A pregação do Evangelho não se resume ao púlpito de uma Igreja. Começa ali, mas, se expande para o dia a dia de todos aqueles que se aprofundam no conhecimento de Deus.



[1] Cf. KISTEMAKER, 2006, vol.2, p.231.

[2] Cf. BRUCE, 2012, p.1237.

[3] Cf. MARSHALL, 2005, p.285

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em Atos dos Apóstolos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.