Boiada de piranha

Lá no Pantanal do Mato Grosso há uma estratégia utilizada pelos pantaneiros tocando a boiada que até virou música e ditado popular: o boi de piranha. 

A estratégia consiste em que quando os pantaneiros têm de atravessar a boiada por um rio infestado de piranhas, um boi fraquinho que não terá condições de chegar ao destino é ferido até sangrar e lançado distante da boiada, para que enquanto as piranhas o devoram o resto da boiada atravessa o rio ilesa.

Neste fim de semana vimos o contrário acontecer no cenário político brasileiro: uma boiada inteira (ou pelo menos boa parte dela) foi “entregue às piranhas” para que um único boi, o touro, o macho alfa da boiada fosse poupado (ou melhor, blindado). Refiro-me aos mensaleiros condenados (justamente) que aqui foram a “boiada de piranha” e o blindado Lula, o touro principal dessa boiada que sai ileso.

Mais uma vez Lula escapou. Mais uma vez os holofotes se voltaram para seus comparsas e ele posa perseguido e injustiçado. Vejam bem, a minha bronca não é contra o PT, até mesmo porque Zé Dirceu tem razão (como é difícil para mim dizer que ele tem razão!) quando disse que o mensalão tucano também deve ser investigado. Isso mesmo! Que venham todos os outros tipos de falcatruas para erem descobertos, denunciados e julgados. A Política brasileira precisa mesmo ser moralizada. A única coisa que não podemos permitir é que somente parte de uma boiada seja lançada às “piranhas” quando deveria ser toda ela.

Rev. Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.