Canções da Alma – 28ª Mensagem

Oração

“Tua Palavra, ó Pai, é o instrumento que Tu usas para purificar nosso coração. Purifica-nos enquanto ouvimos Tua voz nas páginas desse livro santo. Em Nome de Jesus, amém!”.

 

Um Coração Impactado Pela Presença de Deus

Sl 26

 

Contextualização

               Somos capazes de guardar segredos, especialmente, quando esses segredos podem comprometer-nos. Uma coisa é aquilo que as pessoas veem em nós e pensam de nós; outra bem diferente é o que Deus vê em nós e o que nós mesmos conseguimos ver quando olhamos no espelho da nossa alma.

               Porém, é aqui que reside uma das principais diferenças entre o crente e o ímpio. Enquanto o ímpio ignora o fato de que Deus o conhece intimamente, o crente, ao saber disso, luta por ter sua consciência limpa diante de Deus.

               Alguns comentaristas entendem que neste salmo Davi está falando profeticamente, ou seja, tudo aqui não pode dizer respeito até mesmo ao mais santo dos crentes pelo fato de todos nós somos pecadores, logo, este salmo é uma profecia a respeito do caráter de Jesus Cristo que foi acusado falsamente por hipócritas, mas, que foi o único realmente que podia alegar pureza e inocência completa diante de Deus[1].

               Ao que parece, este salmo descreve o momento em que Davi estando no Tabernáculo onde estava a Arca da Aliança (símbolo da presença de Deus), ele também se via cercado de hipócritas e homens perversos que faziam acusações falsas contra ele. O coração de Davi estava angustiado com tal situação. Por isso, então, clamava a Deus para que o preservasse em sua integridade, pois, o que o seu coração mais desejava era a presença de Deus.

               Este salmo é a declaração de um coração que se vê profundamente impactado pela gloriosa presença de Deus. O v.3 é o ponto central deste salmo. Ele diz: 3 Pois a tua benignidade, tenho-a perante os olhos e tenho andado na tua verdade”. Davi tinha diante dos seus olhos, isto é, bem viva em sua consciência a benignidade (חֶסֶד – bondade, amor imutável, fidelidade)[2] de Deus, e por isso se sentia profundamente impactado em seu coração tendo a convicção de que estava andando na verdade de Deus, ou seja, de acordo com a Lei de Deus. E, assim, este salmo apresenta “Um coração impactado pela presença de Deus”. E esta é a mensagem de Deus para nós nessa ocasião.

               Um coração que foi profundamente impactado pela presença santa de Deus apresenta algumas características importantes:

1) Confiança plena em Deus, v.1-3

Exposição v.1-3: “Faze-me justiça, SENHOR, pois tenho andado na minha integridade e confio no SENHOR, sem vacilar. 2 Examina-me, SENHOR, e prova-me; sonda-me o coração e os pensamentos. 3 Pois a tua benignidade, tenho-a perante os olhos e tenho andado na tua verdade”.

               Davi clama a Deus para que julgue a sua causa. Ele sabia que era inocente em relação às acusações que se lhe faziam os inimigos. Ele alegou andar na integridade de seu coração, ou seja, aquilo que ele dizia era aquilo que ele fazia porque era aquilo que ele era em seu coração. Mas, sua confiança não estava em si mesmo, pois, embora aqui estivesse alegando inocência em relação àquelas acusações infundadas, ele sabia que era um pecador e por isso mesmo punha sua confiança em Deus, e isso “sem vacilar”. Aqui vemos que a confiança plena é constante; não é intermitente, ora é vista, ora desaparece.

               Por estar em Deus a confiança de um crente, este jamais se portará com autoconfiança. Confiança plena presente no crente é a certeza de que somente Deus pode examinar e sondar nosso coração. A Bíblia nos exorta repetidamente a examinarmos nosso coração (1Co 11.28; 2Co 13.5). Mas, não devemos fazer isso no divã de um psicanalista, ou ao lado de um terapeuta, nem muito menos sozinhos. Devemos examinar o nosso coração na presença de Deus, diante da Sua Palavra pedindo-Lhe que nos mostre o que há de mais secreto em nós (cf. Sl 139.23-24), tratando devidamente do nosso coração.

               Davi tinha o seu coração e pensamentos motivados pela verdade de Deus (v.3), e por isso mesmo almejava continuar num viver santo na presença de Deus.

Aplicação v.1-3: Deus conhece o seu coração. Ele sabe se as suas palavras e ações condizem com seus pensamentos e motivações. Clame a Deus para Ele preserve o seu coração em integridade e em santidade. Alguém que foi impactado pela presença de Deus quererá sempre continuar vivendo em santidade. E esta é justamente a segunda característica do coração que foi impactado pela presença de Deus:

2) Compromisso com a santidade de Deus, v.4-5

Exposição v.4-5:4 Não me tenho assentado com homens falsos e com os dissimuladores não me associo. 5 Aborreço a súcia de malfeitores e com os ímpios não me assento”.

               Essas palavras nos lembram as do Sl 1.1. Davi não tinha qualquer comunhão com os hipócritas que fingiam adorar a Deus e guardar Sua Aliança. As palavras com as quais ele descreve essas pessoas revelam que o caráter deles era totalmente corrompido.

  • Falsos (שָׁוְא)[3], ou seja, imprestáveis, enganosos;
  • Dissimuladores (נַ֜עֲלָמִ֗ים)[4], literalmente, “escondidos”, ou seja, homens que escondem o que realmente são;
  • Malfeitores (מְרֵעִ֑ים)[5] pessoas más, desagradáveis, causadoras de danos, que machucam os outros, trazem prejuízo e calamidade;
  • Ímpios (רְ֜שָׁעִ֗ים )[6] pessoas que agem com impiedade, injustiça, malignidade.

               E não se trata apenas de um não tomar parte nas obras deles. Ele foi mais além e disse que tinha verdadeiro ódio pelos pecados cometidos por eles. O verbo “aborrecer” aqui (שָׂנֵא) é “odiar, desprezar”[7].       

               Alguém que tenha sido profundamente impactado pela presença gloriosa de Deus não tomará parte nos pecados de homens hipócritas, falsos, dissimuladores, malfeitores e ímpios.

               Não se trata de um isolamento do mundo real, mas, sim, de evitar a todo custo qualquer forma de contaminação com tais pecados. Os pecadores precisam ver nosso bom testemunho, precisam ver as nossas obras para glorificarem a Deus (cf. Mt 5.16), mas, é com a congregação dos justos, com os crentes que foram profundamente impactados pela presença de Deus que devemos ter verdadeira comunhão e praticar a verdadeira adoração a Deus.

Aplicação v.4-5: Se você foi profundamente impactado pela presença gloriosa de Deus você não se sentirá à vontade no meio de pecadores que zombam de Deus com seus atos e palavras. Pelo contrário, você demonstrará que o seu compromisso é com a santidade de Deus e não com a amizade de pecadores, e que você odeia o que Ele odeia, não só o pecado nos outros, mas, especialmente os pecados que você encontra em seu coração. Nenhum pecado é verdadeiramente combatido enquanto não o combatermos primeiramente em nós. E isso nos remete à terceira característica do coração que foi profundamente impactado pela presença gloriosa de Deus.

3) Consagração amorosa a Deus, v.6-8

Exposição v.6-8:6 Lavo as mãos na inocência e, assim, andarei, SENHOR, ao redor do teu altar, 7 para entoar, com voz alta, os louvores e proclamar as tuas maravilhas todas. 8 Eu amo, SENHOR, a habitação de tua casa e o lugar onde tua glória assiste”.

               A consagração de um coração a Deus e o culto agradável a Deus são inseparáveis. Nenhum culto é aceitável a Deus se nos corações Ele não for o centro, o tudo. Nenhum ato de culto a Deus cumprirá devidamente seu papel se corações não saírem da presença de Deus mais consagrados, mais devotados e comprometidos com a Sua glória.

               As palavras destes versículos descrevem o cerimonial de culto nos dias do Tabernáculo de Moisés o qual prevaleceu até um pouco depois da morte de Davi, precisamente quando Salomão construiu um templo ao SENHOR Deus que substituiu de vez o Tabernáculo de Moisés.

               Nos tempos do Tabernáculo, entre a tenda e o altar, havia uma bacia onde os sacerdotes lavavam as mãos e os pés antes de se aproximarem ou da tenda e do altar (Êx 40.30-32). Pensando neste momento, é que Davi disse: “Lavo as mãos na inocência e, assim, andarei, SENHOR, ao redor do teu altar” (v.6). A consagração de um coração começa quando ele vê a necessidade de ser limpo por Deus para servir e adorar a Deus. E como essa purificação lhe é possível? Vejamos o próximo versículo.

               Com um coração purificado, Davi concentra toda sua atenção ao redor do altar de Deus, dando voltas em torno do altar. É fato que não há nenhuma ordem na Lei Mosaica para que se dessem voltas ao redor do altar, e provavelmente, Davi estivesse falando figuradamente aqui, ou seja, sendo o altar o local onde o sacrifício era oferecido a Deus, constituía-se o centro da adoração a Deus. Assim, sendo para nós hoje, o nosso “altar”, o centro do nosso culto é o sacrifício do Senhor Jesus o qual nos torna aceitáveis diante de Deus e nos purifica de todo o pecado.

               Se a nossa adoração não for cristocêntrica, se Cristo não for o centro, o alvo, a base e a estrutura do nosso culto, o mesmo não passará de uma cerimônia formal; nossos cânticos poderão ser belos, mas, não comunicarão a Vida em Cristo; nós cantaremos bem alto as maravilhas de Deus, mas, ninguém se impressionará com isso e só ouvirá barulho.

               O coração que foi impactado pela presença gloriosa de Deus purificado pelo sacrifício supremo de Jesus terá um profundo e sincero amor pela Casa do SENHOR tal como disse Davi “Eu amo, SENHOR, a habitação de tua casa e o lugar onde tua glória assiste” (v.8). As pessoas buscam a Casa de Deus pelas mais variadas motivações. Contudo, somente aqueles que buscam estar na Assembleia dos santos de Deus motivados pelo amor a Deus em seus corações é que agradarão a Deus. Davi decididamente odiava o pecado e o ajuntamento dos ímpios, ao passo que decididamente amava a Casa, o Culto e tudo quanto onde Deus Se manifestava em glória. De forma ainda muito mais intensa devemos nós hoje amar a Casa, o Culto e a Assembleia solene dos crentes reunidos em torno de Cristo. Se uma pessoa é um crente verdadeiro demonstrará esse amor pulsando em seu peito.

Aplicação v.6-8: Essa consagração cheia de amor por Deus é vista em sua vida? Você compreende que é impossível para você se purificar sozinho? Você compreende que para isso você necessita totalmente de Deus e de Sua graça? Seu culto a Deus o tempo todo tem como alvo, centro base e estrutura a pessoa bendita do Senhor Jesus e Seu sacrifício na cruz?

A cruz de Cristo é importante porque revela não só o amor de Deus, mas, também a Sua justiça que exige reparação da Sua glória punindo o nosso pecado.    Esta é a quarta e última característica apresentada aqui de um coração que foi profundamente impactado pela glória de Deus:

4) Convicção da Justiça de Deus, v.9-12

Exposição v.9-12:9 Não colhas a minha alma com a dos pecadores, nem a minha vida com a dos homens sanguinários, 10 em cujas mãos há crimes e cuja destra está cheia de subornos. 11 Quanto a mim, porém, ando na minha integridade; livra-me e tem compaixão de mim. 12 O meu pé está firme em terreno plano; nas congregações, bendirei o SENHOR”.

               No meio do povo de Deus, os hipócritas também estão presentes (cf.v.4-5). Em todos os tempos, sempre que os filhos de Deus se reuniam para louvá-Lo, os hipócritas filhos do diabo também se apresentam entre aqueles. As ovelhas e os cabritos, assim como o trigo e o joio sempre estiveram misturados e ainda continuam, mas, no Dia do Senhor Jesus eles serão separados (Sl 1.4-6; Mt 7.21-23; 25.31-46).

               Entre os filhos de Deus lá estavam os hipócritas dissimuladores. Davi sabia que Deus haveria de ceifar os ímpios, pois, tinha convicção da justiça de Deus e, por isso mesmo clamou a Deus para que quando Ele fizesse isso não ceifasse a sua alma junto às dos ímpios assassinos sanguinários (v.9-10), pois, ele andava em sua integridade, e esperava que Deus tivesse compaixão dele (v.11).

               Mas, por que Davi tinha convicção de sua integridade? Porque seu pé estava “firme em terreno plano” (v.12). Vimos no Sl 25 que “caminho, veredas” são figuras para a vontade de Deus. Davi estava certo de que sua vida estava em pleno acordo com a vontade de Deus, a qual é como um caminho plano, sem buracos ou tropeços, e quem anda nesse caminho, isto é, quem faz a vontade de Deus jamais tropeçará e fracassará, tal como diz o Sl 119.165: “Grande paz têm os amam a tua lei; para eles não há tropeço”, ou ainda, como disse Isaías: “Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti” (Is 26.3).

               Devemos sempre estar atentos às influências do mundo sobre nós, especialmente daqueles que usam a religião para encobrir seus pecados. Ao menor traço de hipocrisia e fingimento devemos nos afastar dessas pessoas. Pessoas fingidas são bajuladoras, pois, na verdade, o que elas querem é ser aduladas e bajuladas por nós. Estas pessoas revelam que elas próprias são os deuses delas e que somente a vontade delas é que importa.

               Não nos compete separar os falsos dos verdadeiros. Mas, um dia Deus fará a separação entre as ovelhas e os cabritos, entre o trigo e o joio, entre os crentes e os hipócritas. Clamemos como Davi: “Não colhas a minha alma com a dos pecadores…”.

      

Aplicação v.9-12: Sabendo que este dia chegará você está preparado para ele? Lembre-se de que quem não foi impactado pela presença gloriosa de Deus aqui, não poderá desfrutar de Sua presença gloriosa na eternidade. Clamando pela justiça de Deus, certifique-se de estar envolto pela justiça de Cristo, do contrário você sofrerá o castigo da justiça que tanto clama.

 

Conclusão

               A confiança plena em Deus, o compromisso com a santidade de Deus, a consagração amorosa a Deus e a convicção da justiça de Deus são dádivas concedidas àqueles que estão “olhando firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, Jesus” (Hb.12.2). O coração que foi impactado pela presença gloriosa de Deus nunca desviará o seu olhar da pessoa bendita de Jesus Cristo.

[1] Cf. HENRY, 2010, vol.3, p.295.

[2] VAN GEMEREN, 2011, vol. 2, p.211.

[3] VAN GEMEREN, 2011, vol.4, p.54.

[4] Ibid, p.425.

[5] VAN GEMEREN, 2011, vol.4,  p.1147.

[6] Ibid, p. 1194.

[7] Ibid, p.1249.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas do Livro de Salmos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.