Canções da Alma – 32ª Mensagem

Oração

“SENHOR Deus, hoje ouviremos sobre como teu servo Davi transbordou de gratidão, esperança e júbilo em Tua presença depois que testemunhou o Teu cuidado e favor em sua vida havendo humildemente reconhecido seu pecado. Pedimos ao SENHOR que também nos dê essa mesma bênção. Por Teu Filho, Jesus Cristo, amém!”.

 

Canções da Alma

Uma Exposição do Livro dos Salmos

Um Coração Transbordante

Sl 30

Contexto[1]

“Salmo de Davi. Cântico da dedicação da casa”.

No original essa frase fica um pouco diferente: “Canção da dedicação da casa de Davi”, mas as duas traduções sejam corretas[2]. Que casa seria essa? O contexto em que este salmo foi escrito está relacionado com o ocorrido em 2Sm 24.10-17 quando Davi levantou teimosa e arrogantemente o censo em Israel, exibindo assim o seu poderio bélico de 1,3 milhões de soldados (2Sm 24.9). Tal ato provocou a ira de Deus porque este demonstrou que sua confiança não esta em Deus, mas, no seu exército. Deus, então, deu a Davi três opções de castigo: (1) sete anos de fome sobre a terra, ou, (2) três meses fugindo dos inimigos, ou, (3) por três dias Deus enviaria uma peste sobre Israel. Davi escolheu a última, pois, cria que Deus era misericordioso. Neste castigo, 70 mil pessoas morreram. Quando um governante é imprudente, o povo sofre. Ao ver que o Anjo de Deus parara sobre a eira de Araúna, Davi entendera que o castigo de Deus havia chegado ao fim, e, ali, erigiu um altar ao SENHOR Deus, comprando aquela montanha para fazer dali seu lugar de adoração (2Sm 24.18-25). Uma fato impressionante é que o Anjo do SENHOR era o próprio Senhor Jesus Cristo pré-encarnado, e, a montanha de Araúna, séculos depois foi o Calvário, onde a ira de Deus voltaria a ser derramada, só que sobre o Senhor Jesus Cristo para salvar os eleitos de Deus.

A mensagem desse salmo é clara: Deus perdoara Davi e o abençoara com um novo começo[3]. Assim sendo, este salmo é a expressão de louvor de um coração que transborda de intensa alegria diante de Deus, louvando-O por Sua bondade e misericórdia por conceder um novo começo, uma nova chance aos Seus filhos. A frase-chave deste salmo está no v.11: “Converteste o meu pranto em folguedos”. Por isso mesmo quero falar com você nesta ocasião sobre: Um coração transbordante.

Um coração ao qual Deus concede um novo começo transborda:

 

1- De gratidão sincera, v.1 a 4.

Exposição v.1-4: Eu te exaltarei, ó SENHOR, porque tu me livraste e não permitiste que os meus inimigos se regozijassem contra mim. 2 SENHOR, meu Deus, clamei a ti por socorro, e tu me saraste. 3 SENHOR, da cova fizeste subir a minha alma; preservaste-me a vida para que não descesse à sepultura. 4 Salmodiai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e dai graças ao seu santo nome”.

Ao levantar o censo em Israel, Davi cometera terrível pecado contra Deus, pois deixara de confiar no SENHOR dos Exércitos para confiar no exército de homens. Ao receber de Deus a opção de um entre três castigos ele disse: “Estou em grande angústia; porém caiamos nas mãos do SENHOR, porque muitas são as suas misericórdias; mas, nas mãos dos homens, não caia eu” (2Sm 24.14). A ira de Deus se manifesta contra a maldade dos homens. Davi mesmo sabendo que Deus é severo em Seu juízo, também sabia que a Sua misericórdia era a sua esperança. Ao ver que Deus o livrara do vexame da morte, também sabia que seus inimigos não teriam do que zomba-lo, pois, o mesmo Deus que castigara Davi, também lhe era misericordioso.

Se Davi estava enfermo de fato, ou se a sua aflição era como uma enfermidade que o afligia, pouco importa aqui. Deus o livrara respondendo-lhe ao seu clamor por socorro. Neste versículo ecoam as palavras do Sl 34.19: “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra”.

A angústia havia se apoderado de Davi e ele se via como que posto com vida numa sepultura (שְׁאוֹל); porém, a poderosa mão de Deus o puxara para fora não permitindo tamanha desgraça sobre Seu servo.

Davi sofreu muito ao ver o povo sofrendo debaixo da ira de Deus (2Sm 24.17). Mas, quando Deus revelou Sua misericórdia, Davi compartilhou com o povo a bênção que recebera do SENHOR Deus, e por isso, ele conclamou a todo o povo a que cantasse louvores da Deus demonstrando gratidão. Ele os chama de “seus santos”, isto é, santos do SENHOR. A palavra “santos” (חֲסִידָ֑יו) vem da mesma raiz da palavra “bondade, lealdade, fidelidade” (חֶסֶד), o que mostra que aqueles que receberam da misericórdia de Deus, também foram caracterizados por ela em suas vidas[4]. Logo, ser um santo de Deus significa expressar a santidade de Deus neste mundo. É significativo o fato de Davi convocar seus irmãos à adoração a Deus, o que nos mostra a importância que deve ser dada ao culto comunitário. Davi sabia que não deveria adorar sozinho a Deus. Como disse Warren Wiersbe: “A adoração pessoal que não enriquece nosso culto como congregação pode se tornar egoísta e gerar ainda mais orgulho!”[5]. Todas as vitórias dos filhos de Deus são melhores desfrutadas na presença de outros filhos de Deus. O nome disso é comunhão!

Aplicação v.1-4: Por vezes nos sentimos como que lançados numa cova. Olhamos ao nosso redor e não vemos uma saída, a não ser para cima. Mas, se de dentro dessa cova olharmos para cima, para Deus e por Ele clamarmos, Ele nos socorrerá. Quanto mais profunda for a cova do nosso desespero tanto maior será o livramento de Deus em nossa vida. Um coração que foi alcançado pela graça de Deus expressará essa graça como a principal característica vista de sua vida, tal como aconteceu com Barnabé ao chegar em Antioquia e ver naqueles irmãos a graça de Deus (cf. At 11.23). Além disso, este coração também sempre quererá a presença de outros santos de Deus para juntos adorá-Lo.

Um coração ao qual Deus concedeu um novo começo transborda

 

2- De esperança plena, v.5-10

Exposição v.5-10: 5 Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã. 6 Quanto a mim, dizia eu na minha prosperidade: jamais serei abalado. 7 Tu, SENHOR, por teu favor fizeste permanecer forte a minha montanha; apenas voltaste o rosto, fiquei logo conturbado. 8 Por ti, SENHOR, clamei, ao Senhor implorei. 9 Que proveito obterás no meu sangue, quando baixo à cova? Louvar-te-á, porventura, o pó? Declarará ele a tua verdade? 10 Ouve, SENHOR, e tem compaixão de mim; sê tu, SENHOR, o meu auxílio”.

Davi escolhera três dias em que “a espada do SENHOR, isto é, a peste na terra”  (1Cr 21.12) viesse sobre o povo. Três dias de peste foram menos que sete anos de fome ou três meses de ataques dos inimigos, contudo, foram dias nos quais a ira de Deus foi derramada sobre o povo. O contraste entre “momento” e “vida” aqui ressalta que Deus corrige Seus filhos em momentos que eles precisam ser corrigidos, porém, por toda a vida deles Ele lhes revela o Seu favor (bondade, misericórdia). Para quem é filho de Deus, Sua ira é um momento, mas, Sua misericórdia é por toda a vida. O choro causado pelo derramamento da ira de Deus é descrito como um hóspede que chega por uma noite apenas, mas, que ao raiar do dia dá lugar à alegria que a graça de Deus traz. “A luz do amor de Deus expulsa a noite de tristeza e sombras”[6].

O v.6 é o momento mais importante na interpretação deste salmo. Quando percebeu a gravidade do seu pecado em arrogantemente levantar o censo, Davi entendera o quanto ele ofendera a Deus. Em 2Sm 24.10 lemos sua confissão: “Sentiu Davi bater-lhe o coração, depois de haver recenseado o povo, e disse ao SENHOR: Muito pequei no que fiz; porém, agora, ó SENHOR, peço-te que perdoes a iniquidade de teu servo; porque procedi mui loucamente”. Arrependimento e remorso são coisas muito diferentes. Enquanto o remorso nos faz lamentar o que perdemos e o que perderemos, o arrependimento nos faz lamentar a Quem ofendemos, a saber, Deus.

Davi estava arrependido do seu pecado, e experimentou novamente o “favor” de Deus. Ele temia o fato de Deus desviar-lhe dele o Seu olhar de misericórdia. Só em pensar nisso Davi ficara “conturbado”. A “montanha” a qual ele se refere aqui, certamente é a eira de Araúna, onde ele edificara um altar a Deus e transformou-se em seu lugar particular de adoração. O que ele está dizendo aqui é que Deus não somente teve misericórdia dele poupando a sua vida, como ainda continuava aceitando-o em Sua presença. Este é o verdadeiro perdão, que não só perdoa como ainda restabelece o relacionamento.

Davi clamou ao SENHOR e por Seu socorro implorou (v.8). Ele aprendera a duras lições que não era no seu exército que ele deveria por sua confiança, mas, somente em Deus.

Em seu clamor a Deus ele argumentou que de nada ele serviria se estivesse numa sepultura. Devemos tomar cuidado aqui, para não concluirmos que não existe vida além do túmulo. O que Davi tão somente está dizendo aqui é que se Deus preservasse a sua vida ele poderia contar a todos sobre os poderosos feitos de Deus; mas, se Deus não lhe preservasse com vida, então ninguém mais aqui poderia ouvir dos lábios de Davi o seu testemunho.

Além disso, ele também pediu perdão a Deus (“tem compaixão de mim”) e também por graça para ajudar em tempos de necessidade (“sê tu, SENHOR, o meu auxílio”)[7]. Por meio de Jesus Cristo, hoje, nós podemos nos achegar ao trono da graça de Deus e clamar por perdão e graça (cf. Hb 4.16).

Aplicação v.5-10: A esperança plena começa quando nos arrependemos do nosso pecado e sentimos profunda tristeza por termos ofendido a Deus. Mas outro passo tem de ser dado: confessarmos os nossos pecados e a nossa pecaminosidade latente. Corações que não admitem o seu pecado não alcançam o favor de Deus. Em terceiro lugar é necessário pedirmos perdão a Deus; se ficarmos somente no arrependimento e na confissão, mas, não buscarmos o Seu perdão, não teremos esperança nenhuma. E por fim, é necessário conversão a Deus; sendo o arrependimento a mudança de nossa mentalidade, a conversão é a mudança de comportamento e conduta (cf. Pv 28.13). Enquanto você não passar por tudo isso, jamais experimentará a esperança plena transbordando em seu coração. A esperança para o crente vem da sua fé, obediência e prática da Palavra de Deus.

Por fim, o coração que Deus concedeu um novo começo transborda:

3- De louvor incessante, v.11-12.

Exposição v.11-12: 11 Converteste o meu pranto em folguedos; tiraste o meu pano de saco e me cingiste de alegria, 12 para que o meu espírito te cante louvores e não se cale. SENHOR, Deus meu, graças te darei para sempre”.

Da mesma forma como ele começou este salmo, ele também o termina. Ele começou falando de sua exultação em Deus por tudo o que Ele fizera em sua vida, e agora, o termina dizendo exatamente a mesma coisa.

Ao ver Deus respondendo aos seus clamores e refreando a Sua ira que havia sido derramada por causa de seu pecado, Davi experimentou a mais profunda alegria. Deus havia mudado não só as circunstâncias, mas, o próprio coração de Davi. Ainda que Deus possa mudar as circunstâncias, o alvo Dele sempre é mudar nosso coração. Nas Escrituras, uma mudança dramática na vida de uma pessoa (e às vezes, até nações) é muitas vezes, marcada pela troca de roupas por vestimentas de pano de saco, um material rude (Gn 35.2; 41.14; 45.22; Êx 19.10,14; 2Sm 12.20; Lc 15.22). Deus havia transformado o pranto de Davi em dança. Isso é muito significativo, pois, a ideia de servos de Deus não sofrerem ou chorarem, em momento algum encontra respaldo na Palavra de Deus. Os servos de Deus choram, e porque choram serão consolados (Mt 5.4).

O choro foi interrompido, e, em seu lugar, louvores transbordavam do coração de Davi. Ele disse: “para que o meu espírito cante louvores e não se cale”. É em louvar a Deus que Davi encontrava a razão de sua existência. Interromper o seu louvor a Deus era algo que o seu coração não queria, e, por isso mesmo ele fez um voto a Deus: “SENHOR, Deus meu, graças te darei para sempre”. Essas palavras mostram a decisão de Davi em perseverar até o fim em seu ato de louvor a Deus. O choro de Davi foi interrompido para que o louvor a Deus não o fosse.

Aplicação v.11-12: O desafio que temos aqui é o de louvarmos a Deus ininterruptamente. Ainda que estejamos passando pela disciplina do Senhor Deus como aconteceu com Davi, devemos louvá-Lo, pois, Sua disciplina é uma demonstração palpável do Seu amor por nós (cf. Hb 12.4-13). Ou se estivermos desfrutando da alegria que veio expulsar a tristeza de nossa alma, nosso coração deve sempre ter como alvo o louvor a Deus, pois, fora disso nossa vida não tem qualquer sentido.

 

Conclusão

Depois de tudo o que ouvimos sobre um coração transbordante, eu lhe pergunto: do seu coração têm transbordado gratidão sincera, esperança plena e louvor incessante? Se, porventura não for este o seu caso, faça como Davi: arrependa-se dos seus pecados, confesse-os a Deus, peça o Seu perdão e converta o seu coração a Deus abandonando tudo aquilo que o separa da graça e da misericórdia de Deus.

 

Oração

“SENHOR, Deus meu. Ouve o clamor destes corações que suplicam por Teu perdão. Toca-lhes no mais profundo de seus pensamentos e converta-os a Ti. Que cada um de nós aqui esteja transbordando sempre de gratidão, esperança e louvor em tua presença, para a glória do Teu Nome. Em Cristo Jesus, amém!”.

 

[1] Para Calvino, este salmo tem como contexto as perseguições de Absalão (1999, vol.1, p.623). Porém, discordo. Vejo o contexto deste salmo relacionado ao censo que Davi levantara em Israel (2Sm 24).

[2] Cf. KIDNER, 1980, p.147.

[3] Cf. WIERSBE, 2010, vol.3, p.145.

[4] Cf. HARMAN, 2011, p.149.

[5] WIERSBE, 2010, vol.3, p.145.

[6] HARMAN, 2011, p.150.

[7] Cf. HENRY, 2010, vol.3, p.308.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas do Livro de Salmos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.