Canções da Alma – 39ª Mensagem

Oração

“Eterno e Santo Deus. Nosso coração precisa ouvir Tua voz. Somos totalmente dependentes do Teu Santo Espírito lançando luz nas sombras de nossa alma, conduzindo-nos em nosso entendimento das Tuas Verdades Eternas. Pai Santo ouça a nossa oração. Em Cristo Jesus, amém!”.

 

Canções da Alma

Uma Exposição do Livro dos Salmos

Um Dilema que Só os Crentes Têm

Sl 37

Introdução

                  Quero meditar com você nesta ocasião sobre: Um dilema que só os crentes têm. Mas, qual seria este dilema? Este dilema está expresso nos v.1 e 8.

Exposição v.1,8:

                  Este dilema que sempre esteve presente diante dos filhos de Deus desde a antiguidade consiste em como não permitir que o nosso coração se ire e se revolte contra Deus ao vermos os ímpios prosperando? Como não sentirmos inveja deles ao vê-los prosperando a despeito de suas maldades?

                  Dois pecados rondam o nosso coração diante desse dilema (v.1): ira por ver os malfeitores fazendo coisas erradas e “se dando bem” enquanto estamos andando em retidão na presença de Deus e não desfrutando das mesmas coisas que os ímpios desfrutam, e, por isso mesmo a inveja encontra espaço em nosso coração e passamos a invejar o “sucesso” dos ímpios. Quem de nós nunca questionou isso? O que precisamos saber é que tal ira é contra Deus, pois, é Ele quem permite que essas coisas sejam assim[1]. Por isso mesmo, o v.8 diz:1 Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade”.

Temos uma ordem para deixarmos de lado a ira, e abandonarmos a fúria, não perdermos a paciência. A ira que não pode achar lugar em nosso coração a qual estes versículos se referem é aquele ataque de raiva, surto de fúria, um contender acalorado. Não devemos fazer isso, pois, “certamente, isso acabará mal”8 Deixa a ira, abandona o furor; não te impacientes; certamente, isso acabará mal”.

Aplicação v.1,8: Questionar as ações de Deus para entender o que Ele quer para a nossa vida é algo que sempre devemos fazer (cf. Ef 5.17). Mas, quando esse questionamento se transforma em contestação então você está pecando. Quem pode questionar os atos de Deus?

                  Temos de admitir: que dilema horrível. Como resolvê-lo? Esse dilema só pode ser respondido se:

1- Deus for o prazer e o deleite da sua alma

Exposição v.3-7:

                “3 Confia no SENHOR e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade”. Ao escrever este salmo, sem dúvida alguma Davi tinha em mente o contexto histórico do Terceiro Discurso de Moisés no qual ele solenemente promulgou a Lei de Deus (Dt 27 – 28). Deus havia prometido ao povo de Israel que este haveria de possuir toda a terra de Canaã, e por isso estabeleceu uma aliança com o povo que exigia da parte deste a confiança plena em Deus e a obediência irrestrita a Ele (Dt 29 – 30). Essa mesma ideia de “possuir a terra” é repetida nos v.9,11,22,29 e 34. Observe que a primeira atitude que você deve ter para não deixar que a ira e a inveja contra os ímpios tomem conta de você é a confiança em Deus.

Quanto mais confiar Nele tanto mais você se deleitará Nele e encontrará o prazer e satisfação que você não encontra em lugar algum. Só Deus pode tornar plenamente feliz a sua alma. Quando Deus for único prazer da sua alma seus desejos serão conformes a vontade Dele, e por isso mesmo Ele realizará os desejos do seu coração, pois refletirão a vontade Dele (1Jo 5.14)4 Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração.

Você deve entregar a Ele as suas decisões, os seus projetos de vida, pois, Ele tem o poder para realizar cada um deles se estiverem de acordo com a Sua vontade. 5 Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará”.

Um motivo para você não permitir que a ira cheia de vingança tome conta do seu coração, a justiça de Deus. Ao ser injustiçado e atacado covardemente pelos ímpios, Deus fará justiça por você e lhe exaltará. Se é bom vermos alguém sendo declarado inocente, muito mais o é vermos Deus exaltando um servo Dele declarando a sua inocência6 Fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia”.

Esta ordem que soa como um convite maravilhoso: descanse nos cuidados de Deus e não perca a paciência ao ver alguém prosperando apesar de romper todos os limites da sua perversidade. Descanse no SENHOR!7 Descansa no SENHOR e espera nele, não te irrites por causa do homem que prospera em seu caminho, por causa do que leva a cabo os seus maus desígnios”.

Aplicação v.3-7: Se o seu coração não estiver satisfeito com Deus, não estará satisfeito com o que Ele lhe der, não compreenderá os propósitos Dele para a sua vida. A alma que não se aquieta em Deus não sabe o que é felicidade. Vive tomada pela ira por não se conformar com a situação, e consumido pela inveja, pois, se vê melhor que os outros. Deleitar-se em Deus é não somente considerar o mundo como ilusão, mas, saber que Deus é a única e real felicidade.

                   Você encontrará a resposta para esse dilema se

2- Não seguir o caminho dos ímpios

                   Para entender o “caminho” (caráter) dos ímpios veja o contraste que o salmo faz com o “caminho” (caráter) dos justos.

O caráter dos ímpios

Exposição v.12,14,21a,32:

                  Não só as ações deles são malignas, mas, os seus sentimentos em relação aos filhos de Deus também o são.


Os ímpios vivem planejando o mal contra o justo, e assim fazem porque têm tanto ódio contra os justos a ponto de ringirem os dentes como bestas feras. 12 Trama o ímpio contra o justo e contra ele ringe os dentes”.

Os maus têm tanto ódio dos filhos de Deus que não hesitam em puxar da espada para mata-los. Você não deve alimentar nenhuma esperança de ser amado pelo mundo. Se quiser glorificar a Deus saiba que você despertará o ódio dos ímpios contra você.14 Os ímpios arrancam da espada e distendem o arco para abater o pobre e necessitado, para matar os que trilham o reto caminho”.

O ímpio não só toma o que não é seu como não se importa em não devolvê-lo. Sua consciência não o acusa de nada. 21a O ímpio pede emprestado e não paga”.

Ele se comporta como um animal traiçoeiro espreitando a sua presa, pois, seu desejo é atacar e destruir o justo porque vê sobre o justo a bênção de Deus. 32 O perverso espreita ao justo e procura tirar-lhe a vida”.

O caráter dos justos

Exposição v.16,21b,26,27,30,31:

                   O ímpio tem ódio do justo porque lhe é inconcebível que mesmo tendo tão pouco ele é mais feliz que todos os ímpios juntos com a abundância de seus bens. O justo põe o valor de sua vida não na abundância de seus bens, mas, em Deus (cf. Lc 12.15). “16 Mais vale o pouco do justo que a abundância de muitos ímpios”.

26 É sempre compassivo e empresta, e a sua descendência será uma bênção”.

21b o justo, porém, se compadece e dá”. 

27 Aparta-te do mal e faze o bem, e será perpétua a tua morada”.

                  O justo olha para os seus poucos bens e entende que nem isso é seu. Por esta razão ele, cheio de compaixão dá o que tem, ao contrário do ímpio que não tem e toma emprestado e nunca mais devolve. A compaixão no coração do justo não só é uma bênção para os necessitados como também um exemplo para os seus descendentes que são uma bênção a exemplo dele.

31 No coração, tem ele a lei do seu Deus; os seus passos não vacilarão”.

30 A boca do justo profere a sabedoria, e a sua língua fala o que é justo”.

                  Seus lábios comunicam o que está em seu coração: “a lei do seu Deus”. Suas palavras refletem a justiça da Palavra de Deus e por isso mesmo comunicam vida. E porque a lei de Deus está em seu coração, “os seus passos não vacilarão”, isto é, seu comportamento glorificará a Deus.

Aplicação v.12,14,16,21,26,27,30-32: Não siga o caminho dos ímpios. Esse caminho é de morte. Se o coração é mau, os pensamentos, as palavras e as ações também serão maus. Como disse o Senhor Jesus: O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração” (Lc 6.45). Em Mt 6.21 o Senhor Jesus disse: “porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”. Não se ire e nem tenha inveja do ímpio, pois, se você é um filho de Deus você tem um tesouro que o ímpio jamais terá: o próprio Deus.

                  Mas, este salmo ainda mostra que você só terá resposta a esse dilema se

3- Atentar para o fim que cada um terá

                  Os que são adeptos do ateísmo nos insultam dizendo que somos fracassados buscando consolo numa vida após a morte porque nesta vida sempre seremos desprestigiados e não teremos aquilo que de bom o mundo tem a nos oferecer como riquezas, luxos, etc. É uma espécie de consolo ilusório. Mas, não é isso que a Palavra de Deus nos mostra. O castigo do ímpio é tão real, intenso e eterno quanto o gozo do justo.

O fim dos ímpios

Exposição v.2,9a, 10,13,15,20, 28b,35, 36 e 38:

                  Estes versículos descrevem o terrível fim que os ímpios terão.


20 Os ímpios, no entanto, perecerão, e os inimigos do SENHOR serão como o viço das pastagens; serão aniquilados e se desfarão em fumaça”.

2 Pois eles dentro em breve definharão como a relva e murcharão como a erva verde”.

                  Usando uma figura que é recorrente nos salmos para descrever os ímpios, a planta que murcha e seca, e dessa forma serão como erva seca pegando fogo; os inimigos do Senhor se tornarão em fumaça (v.20).


28b mas a descendência dos ímpios será exterminada”.

9a Porque os malfeitores serão exterminados”.

38 Quanto aos transgressores, serão, à uma, destruídos; a descendência dos ímpios será exterminada”.

                  Veja que o fim dos ímpios é a destruição. Já nesta vida amargarão tal sofrimento que nem de longe pode ser comparado ao que haverão de sofrer. E não só eles, mas, também a sua descendência.

Este versículo traz uma verdade que já vimos no Sl 2.4, a saber, Deus ri dos ímpios. Enquanto eles ringem seus dentes expressando seu ódio pelos santos (cf. v.12), Deus, em retribuição a essa maldade, ri zombando e desdenhando dos ímpios para mostrar que toda maldade deles nada é contra o Seu poder em castiga-los. Não é curioso que as únicas passagens na Bíblia que falam de Deus rindo é nessa circunstância de juízo contra os ímpios? 13 Rir-se-á dele o Senhor, pois vê estar-se aproximando o seu dia”.


17a Pois os braços dos ímpios serão quebrados”.

15 A sua espada, porém, lhes traspassará o próprio coração, e os seus arcos serão espedaçados”.

                  Suas próprias armas serão usadas contra eles mesmos (v.15) e quebrará os braços dos ímpios (v.17a). Deus vingará neles toda a maldade que praticaram contra os Seus filhos.


35 Vi um ímpio prepotente a expandir-se qual cedro do Líbano”.

10 Mais um pouco de tempo, e já não existirá o ímpio; procurarás o seu lugar e não o acharás”.

36 Passei, e eis que desaparecera; procurei-o, e já não foi encontrado”.

                  Estes versículos nos mostram que como será repentina a destruição deles. Usando a figura de uma árvore frondosa para descrever o ímpio, Davi mostra que tal árvore num dia estava viçosa e exuberante, mas no dia seguinte ela já não mais estava ali. Isso nos lembra a figueira que o Senhor Jesus amaldiçoou, a qual imediatamente secou (Mt 21.18-22), o que nos mostra que não devemos jamais duvidar do juízo de Deus ainda que nos pareça demorado.

O fim dos justos                    

 

v.9b,11,22,29,34

                  Enquanto o fim dos ímpios é terrível, o dos justos, por sua vez é completamente diferente.

                  9b mas os que esperam no SENHOR possuirão a terra”.

                  “11 Mas os mansos herdarão a terra e se deleitarão na abundância de paz”.

22 Aqueles a quem o SENHOR abençoa possuirão a terra; e serão exterminados aqueles a quem amaldiçoa”.

29 Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre”.

34 Espera no SENHOR, segue o seu caminho, e ele te exaltará para possuíres a terra; presenciarás isso quando os ímpios forem exterminados”.

                  Estes versos devem ser entendidos à luz do contexto de Israel possuindo a Terra Prometida. Israel seria estabelecido na terra se fosse obediente a Deus. Os v.9b e 11 nos reportam a Mt 5.5 onde o Senhor Jesus diz: “Bem-aventurado os mansos porque herdarão a terra”. A mansidão é o poder sob controle. Os mansos herdarão a terra, ao passo que os valentes e cheios de avareza e ganância, são possuídos pela terra, isto é, pelos desejos gananciosos. Os mansos são livres! Eles não são possuídos por suas posses como os ímpios. Porém, mais do que possuir esta terra, os crentes herdarão o “novo céu e a nova terra” (Ap 21.1ss). Deus abençoa os justos dando-lhes a terra, e amaldiçoa o ímpio (v.22). Os obedientes a Deus recebem Dele a terra e nela viverão para sempre (v.29). Por isso mesmo devemos esperar no Senhor e seguirmos nossa vida, pois, Ele nos honrará dando-nos a terra por herança enquanto os maus são destruídos (v.34).

v.17b,1819,25

                  17b mas os justos, o SENHOR os sustém”.

                  “18 O SENHOR conhece os dias dos íntegros; a herança deles permanecerá para sempre”.

                  “19 Não serão envergonhados nos dias do mal e nos dias da fome se fartarão”.

25 Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão”.

                  Deus sustenta os Seus servos (v.17b); a vida dos retos está diante dos olhos de Deus e Ele conhece cada um e cuida deles e dos seus descendentes (v.18). Em tempos difíceis não sofrerão vergonha, pois, Deus mostrará o Seu cuidado a eles fartando-lhes de tudo (v.19). No v.25 Davi afirma que em toda a sua vida jamais viu um justo ser desamparado por Deus e os seus descendentes mendigarem o pão. Mas, como fica este versículo diante de casos de servos de Deus que passam por penúria e dificuldade? Sabemos que essas são exceções à regra, e se Deus assim permite que Seus filhos passem por privação e provação, jamais os desamparará.

v.23,24

                  “23 O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz”

                  “24 se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão”.

                   As decisões de um homem bom são confirmadas por Deus e o seu comportamento agrada a Deus (v.23); mesmo que tropece e caia não ficará no prostrado no chão, porque o Senhor lhe estende a mão e o sustenta (v.24).

v.28a,33 39 e 40

28a Pois o SENHOR ama a justiça e não desampara os seus santos; serão preservados para sempre”.

                   “33 Mas o SENHOR não o deixará nas suas mãos, nem o condenará quando for julgado”.

                  “39 Vem do SENHOR a salvação dos justos; ele é a sua fortaleza no dia da tribulação”.

40 O SENHOR os ajuda e os livra; livra-os dos ímpios e os salva, porque nele buscam refúgio”.

                   O Senhor ama a justiça e é fiel em preservar os Seus santos para sempre (v.28a). Deus não deixará o ímpio prevalecer sobre o justo, e o declarará inocente diante do tribunal (v.33). É Deus quem salva os justos, pois, confiam Nele; Ele os protege no meio da tribulação (v.39). Deus é quem os ajuda e os livra das mãos dos ímpios, porque Nele buscam refúgio (v.40).

v.37

37 Observa o homem íntegro e atenta no que é reto; porquanto o homem de paz terá posteridade”.

                   O v.37 nos manda prestar atenção ao homem íntegro e observe quem é reto e vermos que o futuro dele é de paz.

Aplicação v.2,9a,10,11,13,15,17-20,22-25,28a,29,33-40: Não se ire e nem perca a sua paciência quando lhe parecer que Deus está demorando para fazer justiça contra a maldade dos ímpios. Ele tem o tempo certo de agir, e certamente o fará. O amor de Deus para com Seus filhos tem por base a Sua fidelidade. Por isso mesmo, não permita que a impaciência em seu coração se abrigue e o leve não somente a duvidar do cuidado de Deus, como também até mesmo a agir por suas próprias forças sem confiar Nele.

Conclusão

                   Deus tem de ser não só o maior deleite e prazer de sua alma, mas, o único prazer e satisfação de seu coração. Confie Nele, agrade-se Dele, entregue-se a Ele e descanse Nele. Só assim pecados como a ira e a inveja jamais se aninharão em seu coração. E se o seu coração quiser irar-se por ver os ímpios prosperando e até sentir inveja deles, lembre-se que a vida deles não deve em nada ser invejada por nós, pois, o fim deles é terrível. Quem tem a Deus tem vida abundante.

[1] Cf. CALVINO, 1999, vol.2, p.135-174.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.