Canções da Alma – 42ª Mensagem

Oração

“Eterno e Santo Deus. A Ti nos achegamos humildemente suplicando Tua graça e bondade em instruir nossos corações. Somos totalmente dependentes do Teu Santo Espírito, o Divino Preceptor. Abra os nossos ouvidos e olhos para que a Tua Palavra ache guarida em nosso coração e, assim, com amor e obediência a Ti vivamos para a Tua glória. Tende piedade de nós. Oramos em Nome de Jesus, amém! ”.

 

Canções da Alma

Uma Exposição do Livro dos Salmos

Ações de Um Coração que Glorifica a Deus

Sl 40

Introdução

                  Sempre no começo de cada ano fazemos uma lista (escrita ou apenas idealizada) dos projetos que queremos realizar no ano que se inicia. Você já fez a sua lista? Se sim, qual é a coisa mais importante que você planejou e que você considera imprescindível fazê-la?

                  Se eu lhe disser que você deverá sempre ter como o principal objetivo de sua vida a glória de Deus, com certeza você concordará comigo. Mas, na prática, o que significa viver para a glória de Deus? Viver para a glória de Deus significa não fazer da glória de Deus um meio para realizar as coisas que você planejou, mas, sim, realizar cada uma dessas coisas objetivando a glória de Deus e Ele ser honrado e reconhecido em todos os seus passos.

Contextualização

                  Neste salmo que Davi compôs e deixou aos cuidados do “mestre de canto”, vemos as Ações de um coração que glorifica a Deus, o que será o tema dessa mensagem.

                  A ocasião em que ele o compôs nos é obscura. Mas, é fato que este salmo é resultado da reflexão de Davi sobre os atos misericordiosos de Deus para com a sua vida.

                  Este coração que glorifica a Deus revela as seguintes ações:

1- Testemunha da Graça de Deus, v.1-5

Exposição v.1-5

                   No Sl 39.7 Davi declarou que a sua esperança era o próprio Deus e agora ele declara:

                   A cena aqui nos lembra um pai que se agacha para atender ao seu bebezinho que lhe pediu colo. Davi esperou confiantemente o SENHOR agir em seu favor, e Deus veio ao seu encontro e ouviu o seu clamor. No hebraico há um jogo de palavras (קַוֹּ֣ה קִוִּ֣יתִי) que literalmente traduzido é “Esperei esperando” Ou “Esperando, esperei”, conotando assim, não só um ato de esperar por Deus agir no tempo certo, mas, esperar com plena confiança e certeza de que Deus haveria de agir ouvindo o seu clamor.1 Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro”.

Aplicação v.1 Que bendita esperança tem o filho de Deus! Tal como Abraão que “esperando contra a esperança, creu para vir a ser pai de muitas nações” (Rm 4.18), o crente espera Deus agir mesmo quando todas as circunstâncias lhe são desfavoráveis. Irmão espere com plena confiança e paciência pelo SENHOR Deus. Ele agirá na hora certa. O sucesso final depende da fé em Deus e da paciência do crente em esperar Deus agir.

3 E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR”.2 Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre a rocha e me firmou os passos”.

                   Deus sabe honrar os que Nele confiam. Davi sentindo-se como que preso num poço lamacento e fatal, e atolado num charco de lama e lodo, no momento em que ele clamou a Deus e ele O viu resgatá-lo dali e coloca-lo sobre a rocha firme onde ele podia andar com segurança. O que Davi estava dizendo aqui é que ele viu sua vida ameaçada por inimigos que queriam mata-lo (como Saul), mas, Deus o tirou das mãos do inimigo, qual um pastor livra suas ovelhas do lobo.

                   Seus lábios que clamaram pelo socorro de Deus, agora são recipientes de “um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus”. Em seus lábios Deus colocou um novo cântico no lugar do clamor. Muitos veriam isso e se sentiriam movidos a temer e a confiar no SENHOR.

Aplicação v.2-3 O testemunho que você deve dar a respeito do que Deus tem feito em sua vida e o louvor a Ele são resultados do agir de Deus. Isso nos mostra que tudo é Dele, por meio Dele e para Ele, e, por isso, a Ele toda a glória deve ser dada (cf. Rm 11.36). É impossível alguém que tenha sido resgatado por Deus calar-se e não louvá-Lo diante dos homens. O seu testemunho é um instrumento importante para que outras pessoas reconheçam a Soberania de Deus. Como tem sido o seu testemunho? As pessoas têm ouvido de seus lábios o novo cântico que Deus colocou no lugar do clamor?

                   Continuando ainda sobre o bom testemunho que o servo de Deus deve dar diante do mundo, Davi ressalta que o crente deve curvar-se diante de Deus, mas, nunca curvar-se diante dos arrogantes e mentirosos. Pender para os arrogantes e mentirosos não é só não seguir o exemplo deles, mas, também não admira-los e reverenciá-los. Muito feliz é o homem que confia no SENHOR e não pende, isto é, se curva respeitosamente perante os soberbos e os que se deleitam na mentira.4 Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança e não pende para os arrogantes, nem para os afeiçoados à mentira”.

Aplicação v.4 O crente não imita e nem admira a conduta do ímpio. Aquele que se diz crente e nenhuma diferença em sua conduta ele mostra em relação ao ímpio, é um iludido infeliz. Mas, se em vez disso ele pôr a sua confiança no SENHOR, com certeza será feliz de verdade. Não há frustração para aquele que confia em Deus. O filho de Deus se inclina em reverência diante de Deus e não tem parte alguma com as obras dos ímpios.

                   Davi reconheceu que Deus fez muitas maravilhas pelo Seu povo.  Além disso, ele via os pensamentos e propósitos de Deus estarem muito acima da sua compreensão; Deus é incomparável. Davi até gostaria de contar os feitos do SENHOR um a um, mas, eles são inumeráveis.5 São muitas, SENHOR, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os teus desígnios para conosco; ninguém há que se possa igualar contigo. Eu quisera anuncia-los e deles falar, mas, são mais do que se pode contar”.

                   Ao fazer uma retrospectiva do que Deus havia feito não só em sua vida, mas, também na vida do povo de Israel, Davi constatara os muitos feitos do SENHOR. Ao dizer que queria contar as maravilhas que Deus fizera em sua vida, mas, não poderia fazer por serem numerosos demais, Davi  está mostrando que por mais que nos esforcemos para agradecer a Deus e reconhecer Sua misericórdia para conosco, sempre estaremos aquém do que deveríamos estar. O fato de não conseguirmos enumerar as bênçãos de Deus, deve despertar em nós a mais profunda gratidão.

Aplicação v.5 Reconhecer os poderosos feitos de Deus em sua vida e exaltar a Deus é um bom testemunho que você pode dar diante das pessoas. Você tem falado mais do que você tem desejado ter, ou do que tem recebido de Deus?

                   O coração que glorifica a Deus com suas ações também

2- Consagra-se sinceramente a Deus, v.6-10

Exposição v.6-10

                   A maior alegria e bênção que você pode ter é de consagrar-se totalmente a Deus entregando-Lhe o seu coração, porque ninguém sabe cuidar tão bem de você como Deus, e ninguém o ama mais do que o próprio Deus.

7 Então, eu disse: eis aqui estou, no rolo do livro está escrito a meu respeito”.6 Sacrifícios e ofertas não quiseste; abriste os meus ouvidos; holocaustos e ofertas pelo pecado não requeres”.

8 agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei”.

                   Estes versículos são citados em Hb 10.5-9, e, por esse motivo, muitos entendem que este salmo é um salmo messiânico. Contudo, essa porção seja de fato messiânica, todo este salmo está falando da experiência de Davi no qual ele confessa o seu pecado, o que de forma alguma diz respeito ao Senhor Jesus.

                   Deus não quer sacrifícios por nossos pecados. O único sacrifício que nos garante diante de Deus é o de Cristo. O que Ele quer de nós Ele mesmo nos dá: ouvidos atentos para ouvi-Lo.

                   Davi ao ouvir o chamado de Deus dispôs a Ele o seu coração a cumprir tudo o que estava escrito no livro da Lei e que ele deveria fazer. O prazer do servo de Deus está em fazer a vontade Dele e dentro do seu coração está a Lei de Deus. Não existe sacrifício que supere a obediência. O sacrifício de Cristo foi aceito por Deus porque Ele foi obediente até à morte, e morte de cruz (cf. Fp 2.8).

Aplicação v.6-8 Você tem disposto o seu coração a obedecer a Deus cumprindo tudo o que a Sua Palavra lhe ordena cumprir? Você tem alimentado em seu coração a arrogante pretensão de agradar a Deus com sacrifícios em vez de confiar somente no sacrifício supremo de Cristo e obedecê-Lo sem questionar? Consagração é entregar a Deus o controle de sua vida, e se submeter à vontade Dele.

10 Não ocultei no coração a tua justiça; proclamei a tua fidelidade e a tua salvação; não escondi da grande congregação a tua graça e a tua verdade”.9 Proclamei as boas-novas de justiça na grande congregação; jamais cerrei os lábios, tu o sabes, SENHOR”.

                   A verdadeira consagração a Deus é um exemplo para outros levando-os a fazer o mesmo. Na presença de todo o povo de Deus, Davi anunciou as promessas de Deus e não se calou; e Deus era sua testemunha disso. Ele não guardou em segredo as promessas de Deus, e com zelo e fervor ele anunciou a fidelidade e a salvação de Deus, e não escondeu do povo a graça e a verdade de Deus. Em dias tão relativistas como os nossos muitos têm falado da graça de Deus de uma forma tão omissa e descompromissada com a Palavra de Deus esquecendo-se de que devem também anunciar não somente o amor de Deus, mas, também a Sua verdade, que é a única verdade.

Aplicação v.9-10 Irmão, não se cale diante do mundo. Anuncie a graça de Deus que alcança o miserável pecador, mas, também anuncie a verdade do Evangelho. Não minimize a poderosa mensagem do Evangelho. Como disse John Knox, é melhor feri-los com a verdade do que iludi-los com mentiras. A graça de Deus só pode ser apreciada de fato quando a verdade for plenamente anunciada. Um coração consagrado a Deus se revelará através de lábios que proclamam a graça e a verdade de Deus!

                   Por fim, um coração cujas ações glorificam a Deus também

3- Confia totalmente em Deus, v.11-17

Exposição v.11-17

                   Nos versículos finais deste salmo é como se Davi tivesse terminado o seu culto a Deus no Templo, e, agora, estivesse voltando para as suas atividades como rei em seu palácio. As responsabilidades do seu ofício de rei eram pesadas e ele necessitava totalmente da graça de Deus. A adoração não é uma fuga da vida, mas sim uma oportunidade de honrar ao Senhor, de ser preparado para enfrentar a vida e de viver para a glória de Deus[1]. Então ele suplica a Deus a Sua graça para realizar o que Deus lhe confiara.

12 Não têm conta os males que me cercam; as minhas iniquidades me alcançaram, tantas, que me impedem a vista; são mais numerosas que os cabelos da minha cabeça, e o coração me desfalece”. 11 Não retenhas de mim, SENHOR, as tuas misericórdias; guardem-me sempre a tua graça e a tua verdade”.

13 Praza-te, SENHOR, em livrar-me; dá-te pressa, ó SENHOR, em socorrer-me”.

                   Davi clamou a Deus que nunca apartasse dele as Suas misericórdias e que Deus sempre o protegesse com Sua graça e verdade, as quais ele proclamara diante da grande congregação. Ele necessitava da graça e da verdade de Deus, pois, sentia-se cercado por males; as suas iniquidades o alcançaram e estavam sobre ele sufocando-o, e ele não conseguia fugir. Por isso mesmo clamou a Deus para que tivesse compaixão dele e o socorresse depressa.

                   Seus pecados eram mui numerosos, e isso lhe tirava o ânimo e o fazia desfalecer. Anteriormente dissera que as maravilhas de Deus a seu favor e a favor do povo de Deus eram inumeráveis; agora, ele diz a mesma coisa sobre suas iniquidades. Estaria ele anulando o que dissera anteriormente? Com certeza não. O que ele está dizendo aqui é exatamente o que Paulo disse em Rm 5.20: “onde abundou o pecado, superabundou a graça”. Para um coração que desfalece sufocado num mar de pecados, somente a superabundante graça de Deus é a resposta.

Aplicação v.11-13 Não importa quantos e quais pecados você cometeu, o que importa é que Deus ao revelar-lhe Sua graça destruirá todos os efeitos e feitos dos seus pecados. Não importa o quão pesadas sejam as suas responsabilidades, Deus sustentará seu coração e você realizará as obras que Ele lhe confiar. Confie totalmente em Deus!

15 Sofram perturbação por causa da sua ignomínia os que dizem: Bem-feito! Bem-feito!”.14 Sejam à uma envergonhados e cobertos de vexame os que me demandam a vida; tornem atrás e cubram-se de ignomínia os que se comprazem no meu mal”.

16 Folguem e em ti se rejubilem todos os que te buscam; os que amam a tua salvação digam sempre: O SENHOR seja magnificado!”.

                   Nestes versículos vemos outros problemas que Davi tinha de enfrentar. Não bastando os seus próprios pecados, ainda tinha de lidar com o pecado dos outros. Contrastando os ímpios e os crentes, ele orou a Deus para que intervisse em sua situação:

  • Ele pediu que aqueles que queriam assassiná-lo fossem envergonhados em seus propósitos malignos; que fugissem correndo envergonhados aqueles que queriam o seu mal; que ficassem desolados e confundidos aqueles que faziam troça dele dizendo: “Ah! Ah! Bem-feito!”.
  • Mas também pediu a Deus que abençoasse os que buscavam a Sua graça. Os que buscam a Deus e desejam a Sua salvação são cheios de alegria e louvam constantemente a Deus dizendo: “O SENHOR seja magnificado!”.

Aplicação v.14-16 A verdadeira alegria é a que glorifica e exalta a Deus e é a força do crente (cf. Ne 8.10). É impossível o crente encontrar esta alegria fora de Deus.

                    Encerrando este salmo, Davi faz a confissão que todo crente verdadeiro deve fazer. Reconhecendo sua miséria e carência, Davi ora a Deus dizendo: “Tu és o meu auxílio e o meu libertador; vem depressa me socorrer, meu Deus!”. O futuro lhe era incerto (assim como para nós), mas ele conhecia o Deus a quem consagrara a sua vida e de quem testemunhava cheio de júbilo. Sabia que Deus está no controle de tudo, e de somente das mãos de Deus viria o seu sustento e socorro.17 Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim; tu és o meu amparo e o meu libertador; não te detenhas, ó Deus meu!”.

                   Ele sabia quem ele era por isso disse: “Eu sou pobre e necessitado”, mas, também sabia quem Deus era e por isso disse: “Tu és o meu amparo”. O conhecimento verdadeiro de Deus revelado nas Escrituras nos faz conhecermos a nós verdadeiramente. A máxima filosófica encontrada no templo pagão de Delfos “Conhece-te a ti mesmo”, só é possível quando conhecemos a Deus tal qual nos revelam as Escrituras. Aquele que conhecer a Deus reconhecer-se-á pobre e totalmente necessitado de Deus.

Aplicação v.17 Há em seu coração esse reconhecimento? Você se vê como pobre e necessitado diante de Deus? Você vê que somente a graça e a misericórdia de Deus podem socorrê-lo e tirá-lo de seu estado miserável?

Conclusão

                   As ações de um coração que glorifica a Deus como vimos são: testemunho, consagração e confiança. Se você se diz um crente, mas, não apresenta em seu relacionamento com Deus essas ações, você não estará vivendo para a glória de Deus, e o resultado será uma vida de mentira e ilusão. Não tem como servir a Deus sem Deus; é impossível ser feliz sem Deus! Reconhecendo a glória de Deus, reconheça também a miséria do seu coração.

Oração

“Ó Deus Todo-Poderoso. Obrigado por olhar para nós com misericórdia e nos socorrer quando clamamos por Ti. Obrigado por revelar em nós as maravilhas da Tua graça. Que a nossa vida assim reflita diante do mundo a Tua maravilhosa graça e que o nosso coração seja totalmente e somente Teu. Em Ti está o nosso socorro, a nossa alegria e sustento. Não permitas que O troquemos por nada e ninguém. Que a Tua glória seja o alvo da nossa vida hoje e sempre. Em Cristo Jesus, amém!”.

[1] Cf. WIERSBE, 2010, vol.3, p.167.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas do Livro de Salmos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.