Cristo e a Sua Gloriosa Igreja – 24ª Mensagem

A Reputação de um servo de Deus

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Caminhamos agora para o fim da Carta aos Efésios. Hoje veremos apenas os v.21,22 que tratam das informações sobre Tíquico, o portador desta carta. Essas informações que Paulo dá sobre Tíquico dizem respeito à sua reputação. Por isso meditemos sobre: A reputação de um servo de Deus.

Conforme temos visto desde o início dos nossos estudos em Efésios, quatro cartas foram escritas no mesmo período e são conhecidas como as cartas da prisão, e são elas: Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom. Há muita informação comum nas quatro cartas, tais como: nomes, situações e a própria mensagem. Colossenses e Efésios são muito parecidas sendo esta última considerada uma “ampliação” da outra.

Levando em consideração a ocasião em que essas cartas foram escritas e o portador delas, Tíquico, ao dizer “…para que saibais também a meu respeito e o que faço…”, estaria Paulo deixando claro que essa carta aos Efésios é uma carta circular, ou seja, uma carta que deveria ser lida por várias (ou todas) igrejas? Seja como for, Efésios é uma carta que pode ser aplicada a qualquer Igreja daquela época, bem como para as igrejas da atualidade.

Tíquico era um dos amigos íntimos de Paulo, de quem ele desfrutava de grande prestígio. Ele era originário da Ásia, e acompanhava Paulo de desde o final da sua terceira viagem missionária, quando estava voltando da Grécia via Macedônia, e logo depois de cruzar a Ásia Menor se dirigia a Jerusalém levando os donativos arrecadados àqueles irmãos que passavam por carestia (At 20.4). Nesta viagem, Tíquico foi à frente de Paulo esperando-o em Trôade. Agora, uns quatro anos mais tarde depois de haver estado algum tempo com Paulo por ocasião da primeira prisão do apóstolo, Tíquico foi comissionado por Paulo para levar essas cartas a seu destino, como fica bem claro à luz deste texto, e de Cl 4.9 e Fl 1.8-22. Além disso, em 2Tm 4.12, Paulo fala a Timóteo que enviara Tíquico de Roma à Éfeso, o que indica que ele serviu a Cristo ao lado de Paulo até o fim da vida deste.

De Tíquico Paulo diz: “…o irmão amado e fiel ministro do Senhor…” (Ef 6.21), “…irmão amado, e fiel ministro, e conservo no Senhor…” (Cl 4.7), o que deixa em evidência a confiança que Paulo tinha nele, sendo Tíquico capaz e confiável para levar as notícias a respeito do apóstolo e dos irmãos crentes da cidade de Roma. Muito mais coisas haviam de ser passadas aos efésios que por carta não daria, por isso Paulo diz que Tíquico lhes faria conhecer tudo o que se passava ali.

Tíquico tinha duas tarefas ao ser enviado por Paulo aos efésios: (1) informar-lhes tudo: sobre Paulo, sobre o trabalho, sobre o desenvolvimento do Reino naqueles lugares, etc; (2) encorajar-lhes o coração. O verbo “encorajar” (parakale,w) também pode ser traduzido aqui por “consolar”. O ato de consolar é em si um ato de encorajar, dar ânimo e forças a quem se encontra descaído. Quais seriam os temores dos efésios não podemos definir com clareza. A julgar pelo próprio teor da carta, a circunstância em que Paulo se encontrava (numa prisão!) os efésios estavam ansiosos por saberem algo de seu apóstolo querido. Tíquico os encorajaria mostrando que o apóstolo estava firme na presença de Deus em meio às terríveis lutas que enfrentava.

 A reputação de um servo de Deus é algo com o qual deve-se ter muito zelo. Tíquico era:

1)      Um amado irmão

Chamar alguém de irmão é apontar para algo em comum, a saber, a mesma graça que me salvou também salvou a você. Outro fator que nos torna irmãos é a fé no mesmo Senhor e Pai. Essa fraternidade deve ser cercada pelo amor. Somente os laços do amor podem fortalecer a comunhão.

Uma Igreja onde o amor não é vivenciado, onde os irmãos não se amam de verdade não pode ser considerada a Gloriosa Igreja de Cristo.

Em Hb 10.24 a Palavra de Deus nos exorta a considerarmos uns aos outros “para nos estimularmos ao amor e às boas obras”. Considerar (katanoe,w) quer dizer: olhar com atenção, reparar, observar. Lá nas Minas Gerias dizemos: “Olha para você ver”. Se não nos olharmos com atenção não veremos a luta, a dor e  a necessidade de cada um. Foi por amor que a Igreja foi salva; é por amor que muitos ainda são salvos e alcançados pela Graça.

2) Um fiel ministro de Cristo

A confiança que Paulo depositava em Tíquico não se baseava numa coisa qualquer, mas, fidelidade a Cristo que Tíquico mostrava em seu viver o tempo todo. Uma pessoa que se revela fiel a Cristo em tudo é digna de confiança da parte dos demais, pois, os padrões dessa pessoa são elevados, a saber, a glória do nome de Cristo. Como ministro, Tíquico não se colocava acima dos demais, como comumente acontece em nossos. Antes, ele sabia que como ministro ele era um serviçal, alguém que estava disposto a servir em vez de ser servido. Essa é outra virtude que precisa ser cultivada na Igreja de Cristo, a saber, a humildade para servir.

Enquanto abrigarmos em nossos corações o desejo de sermos servidos, estaremos muito longe do ideal de Cristo para nós.

3) Um encorajador digno de confiança

Tíquico tinha a tarefa de acalentar e fortalecer os efésios. Uma das grandes tarefas dos crentes e serem consoladores de corações. Em nosso meio precisamos de pessoas mais dispostas a encorajarem os irmãos. Assim como nos dias de Paulo, nossos dias também são difíceis, e existem muitos irmãos sucumbindo diante das lutas. Daí a necessidade de sermos encorajadores, consoladores de corações. Nosso encorajamento terá mais eficácia quando formos dignos de confiança, pois, nossas palavras terão mais credibilidade.

Mas, encorajar não significa bajular, adular, massagear o ego da pessoa. Encorajar significa dizer as palavras certas para a ocasião certa com o propósito certo. Às vezes uma palavra de encorajamento necessitará primeiramente ser uma palavra de confrontação onde um erro precisa ser contestado e corrigido para que a pessoa então viva conforme Cristo deseja.

O encorajamento é feito com eficácia quando é a Palavra de Deus o instrumento para corrigir, instruir, aconselhar e fortalecer.

O que Deus quer que você faça?

Seguindo o exemplo de Tíquico, que você zele pela sua reputação, pois, sobre você está o nome de Cristo. Então que você seja:

1)      um crente cheio de amor pelos irmãos

2)      um crente cheio de humildade para servir

3)      um crente cheio da Palavra para encorajar quem precisa.

 

 

Conclusão

Nossa dignidade está em Cristo Jesus. Zelar por essa dignidade é zelar pelo Nome de Cristo.

Rev. Olivar Alves Pereira

São José dos Campos, 24/04/2013

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Mensagens expositivas em Efésios, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *