Cristo e a Verdadeira Doutrina – 2ª Mensagem

Cristo e a Essência da Lei

2Jo v.4-6

[audio:http://ubuntuone.com/1cj0tHBgJPH2Uyf2NpSVpF]

Quando estudamos 1Jo 2.7-11 vimos que João ressaltou aquilo que ele chamou de “mandamento antigo” e mostrou que “esse mandamento antigo é a palavra que ouvistes” (1Jo 2.7). Agora, em 2Jo v.4-6 ele retoma este assunto novamente.

Há um erro cometido até mesmo por muitos crentes sinceros, a saber, o de se pensar que o período da Lei era destituído de amor e que somente na Era da Graça é que o amor de Deus se manifestou plenamente. O período da Lei é visto como um período sombrio, carregado de sisudez, enquanto que a Era da Graça o amor flui com tanta naturalidade e abundância que até parece dizer que a Lei e a Graça nada tem a ver uma com a outra. Mas, nada pode estar mais longe da verdade do que isso.

A Era da Lei não somente estava tomada pelo amor de Deus (lembre-se de que Ele não tinha qualquer obrigação de nos dar uma Lei para nos governar, mas, fez isso por graça!), como também exigia o amor dos filhos de Deus para com seus irmãos e para com o próprio Deus! Em Lv 19.18 temos a ordem para amarmos nossos irmãos: “Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR” e em Dt 6.5 a ordem para amarmos a Deus: “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força”.

Havendo demonstrado essa estreita relação entre o amor e a Lei, quero meditar com os irmãos hoje sobre: Cristo e a essência da Lei.

Assim sendo, não estamos isentos de cumprir o mandamento de Deus como podemos ver que:

1)       Andar na verdade é cumprir o mandamento de Deus (v.4)

O coração do velho apóstolo exultava de alegria. Ele diz que essa alegria se devia ao fato de “…ter encontrado dentre os teus filhos os que andam na verdade, de acordo com o mandamento que recebemos da parte do Pai”.

João destaca a fidelidade daqueles irmãos. Estaria ele querendo dizer que havia duas classes de crentes naquela igreja, um grupo que andava na verdade e outro “mais ou menos”? Pode ser que sim. É fato que dentro de uma mesma comunidade existem crentes dedicados, zelosos, valorosos e que fazem de tudo para preservarem “a unidade do Espírito no vínculo da paz” (Ef 4.3), mas, também encontramos irmãos que vivem relaxadamente em relação ao mandamento do Senhor.

Andar na verdade é permanecer na doutrina de Cristo (assunto que veremos na próxima mensagem), conforme o v.9. Também significa ser obediente ao “mandamento que recebemos da parte do Pai”.

Andar na verdade não é somente fazer apologia da Fé Cristã com argumentos habilidosos, mas, depositar a nossa fé em Cristo somente, é estarmos seguros em Cristo; é também demonstrar amor pelos irmãos, e este é o próximo ponto, pois:

2) Cumprir o mandamento é amar aos irmãos (v.5)

Em Cl 3.14 sabemos que vínculo da paz que mantém a Igreja de Cristo unida no Espírito Santo é: acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição”.

Numa mesma igreja onde todos recebem o mesmo alimento espiritual na Palavra de Deus, são salvos pelo mesmo sacrifício de Cristo, capacitados pelo mesmo Espírito Santo e agraciados com o mesmo amor de Deus é possível que alguns não vivam na prática do amor bíblico.

Andar na verdade é uma atitude que está estritamente vinculada ao andar em amor uns pelos outros. Ser cristão é crer em Cristo e amar àqueles que também creem em Cristo. Como afirma John Stott: “A fé e o amor são sinais do novo nascimento” (1Jo 5.1; 4.7). Mas, não são apenas sinais, são também mandamentos de Deus para nós aos quais devemos cumprir.

O nosso grande problema em relação à fé a ao amor é de vermos a fé como mera intuição, e o amor, como mera emoção. A fé em Cristo não é intuição, é convicção de que Ele é a Verdade e por isso você se lança total e confiantemente no que Ele lhe diz. Citando John Stott novamente: “Mas a fé cristã é uma resposta obediente à auto revelação de Deus em Cristo. Esta revelação tem conteúdo moral. Se os homens odeiam a luz, é porque suas obras são más (Jo 3.19-21). Não creem em Cristo porque estão resolvidos a não obedecer-Lhe”.

De igual forma o amor não é uma emoção (ainda que ele gere em nós emoções maravilhosas), não é uma paixão incontrolável, mais ele é uma ação decidida de fazer pelo outro o que deve ser feito, é um serviço altruísta.

Agora preste atenção na forma amorosa com que João se dirige à Igreja. Como “O presbítero” que era ele poderia mandar e dar ordens, contudo, ele faz um pedido: “…peço-te, não como se escrevesse mandamento novo… que nos amemos uns aos outros”. É um mandamento antigo, dado pelo Pai do qual ele não se esquivava e se eximia de cumprir.

Em nossos dias quando se fala de liderança, destaca-se muitas características que estão longe do que a Bíblia ensina. Bons líderes de acordo com a Bíblia dão bom exemplo com suas vidas, servem amorosamente e tratam gentilmente seus conservos.

Por fim,

3) Amar os irmãos é a essência da Lei (v.6)

No v.6 João faz um trocadilho intencional. Primeiro ele diz que o amor é “que andemos segundo os seus mandamentos”, isto é, os mandamentos de Deus. Depois ele diz que o mandamento de Deus é “que andeis nesse amor”. Dessa forma o amor e a Lei não são incompatíveis, pelo contrário, estão intimamente ligados. Deus nunca exigiu de nós um cumprimento mecânico da Lei, mas, sim, um cumprimento cheio de amor.

É fato que muitas vezes nosso coração encontra dificuldades de expressar uma obediência amorosa. E porque isso acontece? Por que estamos cheios de amor próprio. Amamo-nos demais, e enquanto estivermos cheios desse amor próprio seremos incapazes de amarmos a Deus e aos nossos irmãos porque o que estará sempre em evidência é a nossa vontade, a nossa glória pessoal.

O que Deus quer que você faça?

Observe que por três vezes João repete aqui nestes versos o verbo “andar” que significa “comportar-se”, “agir”.

Então:

1)      Ande na verdade de Deus. Solidifique sua fé em Cristo e em Sua doutrina; a Verdade é Jesus!

2)      Ande nos mandamentos de Deus. Obedeça aos mandamentos de Deus, não para ser salvo, mas, por que você já é salvo. Você foi liberto por Cristo não para quebrar a Lei, mas, para cumpri-la!

3)      Ande no amor de Deus. Amar é uma decisão firme de fazer aquilo que Deus quer que você faça pelos seus irmãos.

 

Conclusão

Andando na verdade, cumprindo o mandamento de amar os irmãos; esta é a vontade de Deus para sua vida.

São José dos Campos, 06/10/2013

Rev. Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em 2ª João. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.