Cristo é Suficiente – Parte VI – Uma Exposição da Carta aos Gálatas

Parte VI – Gl 3.6-14

[audio:http://www.noutesia.com.br/wp-content/uploads/2012/07/026-Cristo-é-Suficiente-Parte-VI.mp3|titles=Cristo é Suficiente – Parte VI]

A Lei de Deus é perfeita. Sua perfeição não tem limites (Sl 119.96). O mandamento do Senhor (Sua Lei) é “santo, justo e bom” (Rm 7.12), e quem os cumprir, por eles viverá (Lv 18.5).

A Lei de Deus é perfeita nos mínimos detalhes. Não há nada de errado com ela. O problema está em nós. Por sermos pecadores não podemos jamais cumprir plenamente a Lei. Podemos cumpri-la parcialmente, mas, jamais, plenamente. É justamente isso que Paulo afirma em Rm 7.7-25.

Por esse motivo somos chamados a que estejamos sempre Vivendo pela fé em Cristo.

A nossa incapacidade de cumprir a Lei nos mostra que devemos viver pela Fé em Cristo.

Veja os motivos pelos quais devemos viver somente pela fé em Cristo:

 

1)      A justiça de Deus nos é imputada pela fé, v.6-9

Os oponentes de Paulo, os judaizantes, vivam batendo no peito e dizendo que eram “filhos de Abraão”. Nestes versos Paulo mostrou que os verdadeiros filhos de Abraão não são os que praticam a Lei com arrogância e presunção, mas, sim, os que à semelhança de Abraão, vivem pela fé em Cristo Jesus.

Em Jo 8.21-59 o Senhor Jesus confrontou os judeus nos mesmo pecado de orgulho. Eles se apoiavam no fato de serem descendentes de Abraão e de alguma forma criam que a justiça que Deus imputara a Abraão foi-lhes transmitida por eles cumpriam a Lei. No entanto, o Senhor Jesus os acusou de serem filhos do diabo porque viviam praticando a mentira e não a Lei (v.44).

A justiça de Deus não vem a nós por nosso merecimento, mas, pela graça de Deus. Nestes versos Paulo recorre ao grande vulto da Fé Cristã , Abraão, para nos mostrar como é que devemos viver.

Abraão: o pai de fé, v.6. A vida de Abraão é marcada pelo fato de Deus sempre ter posto à prova sua fé. Ele foi chamado por Deus do meio de um povo pagão – e creu naquela voz que o chamava. Ele peregrinou por vários lugares até que Deus lhe mostrou a Terra prometida. Ele abraçou a promessa de Deus de que seria pai de uma numerosa nação, e, quando Deus pediu-lhe em sacrifício o filho da promessa, ele obedeceu. Poderíamos citar muitos outros momentos da vida de Abraão, mas, estes são suficientes para nos mostrar o porquê ele é considerado “o pai da fé”.

A descendência de Abraão, v.7. Da mesma forma devem viver aqueles se são descendentes do “crente Abraão” (v.9). Os filhos de Abraão não são meramente os biológicos, mas, sim, os que creem em Cristo.

O Evangelho preanunciado a Abraão, v.8. Soa como um anacronismo dizer que Abraão vivia pela fé em Cristo, porém, não há anacronismo algum. Todos os servos de Deus no Antigo Testamento viveram pela fé no Messias (o Cristo) que deveria vir ao mundo. O Messias deveria (humanamente falando) vir da descendência da Abraão. Algumas palavras aqui precisam ser avaliadas com mais cautela. A primeira frase é: “…tendo a Escritura previsto…”. Note que as Escrituras têm a mesma autoridade de Deus, pois, na verdade, as Escrituras são o próprio Deus falando. A segunda frase é “Em ti serão abençoados todos os povos”. Não se trata aqui de universalismo (todo ser humano será salvo), mas, sim, que a salvação será anunciada a todos os povos e em todos os povos existem “filhos de Abraão”. Esta frase está mostrando que é o Descendente de Abraão, Jesus Cristo, a grande bênção da humanidade caída – Cristo é a salvação! E é dessa forma “…que os da fé são abençoados com o crente Abraão” (v.9).

Somente quem crê em Cristo é salvo. Quem vive praticando a Lei depositando nela sua confiança deve atentar para o fato de que basta quebrar apenas um de seus mandamentos para se tornar culpado e condenado à perdição. Ou confiamos somente em Cristo que cumpriu toda a Lei em nosso lugar, ou jamais seremos salvos.

A nossa incapacidade de cumprir a Lei nos mostra que devemos viver pela Fé em Cristo, por que:

2) A Lei de Deus: um padrão intangível, v.10-12

Nestes versos Paulo expressa o mesmo que ele disse nos versos anteriores só que numa perspectiva negativa. Ele mostra:

A maldição da Lei, v.10. Citando Dt 27.26 ele diz: “Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da Lei, para praticá-las”. Se você quiser ser salvo por meio da Lei é bom saber que deve permanecer e obedecer “todas as coisas escritas no Livro da Lei, para praticá-las”. Essa é:

A exigência da Lei, v.11,12. Um cumprimento parcial da lei é desobediência completa. Quem vive confiado na Lei, não vive pela fé em Cristo, é isso que Paulo está dizendo aqui com “…a lei não procede de fé…”. Suponhamos que de hoje em diante você conseguisse viver cumprindo completamente a Lei de Deus. Você seria salvo? Com certeza não, porque como ficariam os pecados que você cometeu antes de hoje? Culpado! Essa é a sua condição. Mas, o que nos diz Rm 8.1? “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”.

O justo, ou seja, aquele que foi justificado por Deus (recebeu a justiça de Deus sobre si) “viverá pela fé”. Já nos tempos do Antigo Testamento, por boca do profeta Habacuque (Hc 2.4) isto tinha sido dito. O que os judaizantes e todos quantos buscam cumprir a Lei para serem justificados não entendem é que a Lei aponta para a Fé em Cristo, e no momento em que alguém deposita sua fé em si mesmo cumprindo a Lei acaba quebrando a Lei no seu ponto mais central que é conduzir um coração à Fé em Cristo.

O v.12 é uma citação de Lv 18.5 onde Deus diz ao Seu povo que Ele é o SENHOR e tem o direito de lhe impor as leis que quiser. No entanto, Ele por Seu amor e misericórdia lhe daria todas as condições para cumprir Seus mandamentos. Agora observe como somos depravados em nosso coração. Recebemos algo tão puro das mãos de Deus (a Sua Lei) para vivermos de maneira agradável a Ele, e conseguimos transformá-la numa “muleta” para o nosso orgulho, numa moeda de troca com a qual nos aproximamos de Deus com arrogância e Lhe dizemos: “Dá-nos a salvação porque fomos obedientes ao Senhor”. Se alguém ainda tiver dúvidas de quão vil e depravado é o coração humano que, por favor, explique como é que o homem que tem a Lei de Deus em suas mãos consegue ser tão arrogante e mesquinho assim.

É por esse motivo que a nossa incapacidade de cumprir a Lei nos mostra que devemos viver pela Fé em Cristo, por que:

3) Cristo, o nosso substituto perfeito, v.13.14

A Lei é perfeita, e por esse motivo exige um viver perfeito. Mas, quem de nós é capaz de viver assim em relação à Lei? Ninguém.

A Lei exige um sacrifício perfeito para livrar da condenação o pecador. Quem de nós poderia oferecer tal sacrifício? Ninguém.

Somente Cristo poderia cumprir plenamente a Lei e oferecer tal sacrifício em nosso lugar.

Ele se fez maldição por nós, v.13. A Lei pronunciou a sentença: “A alma que pecar essa morrerá” (Ez 18.20). Assim sendo, todos (judeus e gentios) estavam condenados.

A frase: “Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro” é extraída de Dt 21.23. No contexto veterotestamentário não se tratava da morte por crucificação, até mesmo porque tal pena de morte nem era conhecida dos judeus de então. Era costume pregar o cadáver de um assassino ou malfeitor num poste ou até mesmo numa árvore. O que Paulo está ressaltando aqui é que se aos olhos de Deus o pregar o corpo de um morto num poste ou madeiro era considerado uma maldição, quanto mais pendurar o corpo de uma pessoa viva, e ainda mais se esta pessoa fosse o Seu santo Filho, Jesus Cristo?!

Na cruz Cristo pagou o preço do nosso resgate. Na cruz Ele satisfez as exigências da Santa Lei de Deus e esta agora não mais pode condenar aqueles que estão em Cristo.

Além disso tudo, Cristo também nos concede:

A bênção de Abraão: o Espírito Santo em nós, v.14. A salvação foi revelada primeiramente aos descendentes biológicos de Abraão (Jo 1.11), mas, nos planos de Deus estavam inclusos também os gentios. Os crentes gentios são também descendência de Abraão, sim, são sua descendência espiritual. Através de Abraão, mais precisamente, através de Seu Descendente santo, Jesus Cristo, os judeus e gentios constituiriam o povo de Deus, selado e marcado com o Espírito Santo da promessa recebido por meio da Fé em Cristo.

Implicações e aplicações

Primeira

Empenhe-se em cumprir a Lei mesmo ela sendo um padrão inatingível. Ao contrário do que muitos pensam a Lei é expressão da Graça de Deus. Não merecíamos esse perfeito código de conduta, mas, mesmo assim, Ele nos deu para o nosso bem e, em cumprindo-a nós viveremos em paz.

A Lei de Deus é o seu padrão de vida. Ainda que ela seja perfeita e você imperfeito, não desista de cumpri-la. Ela é o mais elevado padrão de vida que existe.

Segunda

Mas, deposite em Cristo toda a sua esperança. Contudo, nunca confie e deposite sua esperança na sua capacidade de cumprir a Lei, até mesmo porque você é incapaz de cumpri-la totalmente. Deposite somente em Cristo toda a sua esperança. Só Ele cumpriu a Lei completa e perfeitamente. Por isso mesmo, só Ele pode garantir sua salvação diante de Deus.

Cumpra a Lei por amor; ame a Cristo acima de tudo.

Conclusão

Cristo é suficiente para torná-lo justo diante de Deus.

Mensagem proferida na Igreja Presbiteriana no Jardim Sul em 15 de julho de 2012

Rev.Olivar Alves Pereira

 

 

 

 

 

 

 

 

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Mensagens Expositivas na Carta aos Gálatas - Cristo é Suficiente. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.