Cristo, o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna – 18ª Mensagem

Cristo é a Vida Eterna Dada Por Deus

1Jo 5.5-12

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Na última mensagem vimos que a única fé que é capaz de nos tirar desse mundo caído e nos colocar em relacionamento profundo, inquebrável e permanente com Deus, é a Fé Salvadora, que é a Fé que Deus coloca em nosso coração levando-nos a crer em Cristo Jesus e a depositarmos Nele toda a nossa confiança não só para as questões dessa vida, mas, também, para a questão da eternidade.

No v.11 encontramos a ideia central para entendermos este trecho. Nele a Bíblia diz: “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho”. E a palavra-chave aqui é “testemunho”. E encontramos aqui o testemunho da Trindade Santa confirmando que Cristo é a Vida Eterna, e quem está em Cristo tem a Vida Eterna (cf. v.12). Por isso, meditemos hoje sobre: Cristo é a Vida Eterna Dada Por Deus.

Antes de prosseguir quero lhe fazer uma pergunta: você tem certeza da sua salvação e vida eterna? Se você morrer nesta noite, qual será o seu fim: ao lado de Cristo na glória, ou no inferno junto com os demais perdidos? Veja bem, é possível você ser um frequentador de Igreja, levar uma vida moralmente correta e caridosa e ainda assim não ter a Fé Salvadora, e, consequentemente, não ser um salvo em Cristo. Lembre-se de que a vitória sobre o mundo consiste em nascer de novo, ser uma nova criatura em Cristo, e isto implica em saber que fora de Cristo você nunca encontrará a salvação para a sua alma. Por isso:

1) É preciso crer que Cristo é o Filho de Deus, v.5, 6a, 11 e 12

 As palavras “Cristo” e “Filho de Deus” são sinônimos. Ambas indicam que Jesus Cristo é Aquele a quem Deus enviou ao mundo para salvar o Seu povo.

João como sempre é explícito em suas afirmações e diz: “Este é aquele que veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo” (v.6a). E acrescenta: “não somente com água, mas também com a água e com o sangue”. O que isso quer dizer? Lutero e Calvino entendiam que aqui é uma referência aos sacramentos do Batismo e da Ceia. Já Agostinho apontava para o momento em que Jesus morreu e ainda estando na cruz um soldado traspassou o Seu lado com uma lança e do Seu corpo saiu água e sangue confirmando assim a Sua morte. Essas duas interpretações ainda que façam algum sentido deixam alguns pontos a desejar os quais não mencionaremos aqui para não sermos cansativos. A interpretação mais coerente foi adotada por Tertuliano a qual adoto também é a de que “água e sangue” aqui apontam para o início do ministério de Cristo quando Ele foi batizado (com água) por João Batista Seu primo, e para o fim de Seu ministério terreno lá na cruz, quando Ele derramou o Seu sangue.

Assim sendo, o que João está declarando aqui é algo muito importante. Temos de crer em toda obra de Cristo, do começo ao fim. Não foi apenas um aspecto do Estado de Humilhação de Cristo, mas, sim, toda a Sua vida aqui neste mundo, começando na manjedoura, seguindo pelo batismo, passando pela cruz e ressurreição, culminando com a ascensão.

Lembre-se: “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no Seu Filho” (v.11). Novamente João explicita que fora de Jesus não há salvação, não há vida eterna, e por isso: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (v.12). Repito: você tem a Cristo como Seu Salvador pessoal? Você tem a vida eterna?

É preciso também:

2) Crer no testemunho do Espírito Santo, v.6b-8

“E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade” (v.6b). Uma doutrina que escapa ao entendimento humano, mas, que é revelada nas Escrituras é a da Trindade Santa. Em Jo14.6 o Senhor Jesus Se declarou como a Verdade; em 1Jo 1.10 João nos mostra que Deus é a Verdade também, e agora, em 5.6 ele diz que o Espírito Santo é a Verdade.

Ainda falando sobre a Trindade Santa, os v.7 e 8 nos apresentam uma questão. Em nossa versão da Bíblia que usamos há uma parte que está entre colchetes, a qual consiste numa das declarações bíblicas mais claras sobre a doutrina da Trindade. E porque este acréscimo se encontra aí? Isso se explica com o fato de que João Ferreira de Almeida quando traduziu a Bíblia para a língua portuguesa usou uma cópia dos textos originais chamada de Textus Receptus no qual não constava esse acréscimo. Posteriormente, em 1959, a Sociedade Bíblica do Brasil fez uma nova versão que ficou conhecida como “Almeida Revista e Atualizada”, e até essa época foram descobertas várias outras cópias do texto original as quais João Ferreira de Almeida não tinha em sua época. Assim, os revisores acharam honesto colocar esse acréscimo entre colchetes para nos lembrar que este não estava na primeira tradução de João Ferreira de Almeida. Mas, no que isso muda a doutrina da Trindade? Absolutamente nada.

Voltando para o que é o mais importante aqui, a saber, a obra do Espírito Santo no coração da pessoa, João diz que o Espírito Santo desempenha função igualmente importante a de Jesus. É o Espírito Santo que testifica em seu coração se você é ou não um filho de Deus (cf. Rm 8.14,16), é Ele quem convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8); Ele faz você se lembrar do que diz a Palavra de Deus e lhe ensina em tudo o que o Senhor Jesus disse (Jo 14.26). Jesus O chama de “Espírito da Verdade” (Jo 16.13), pois, é Ele quem guia os filhos de Deus a “toda a verdade”, não fala por Si mesmo, mas, pela autoridade de Deus e de Jesus guiando assim todos os filhos de Deus nas coisas de Deus.

Sem o Espírito Santo agindo no coração do pecador, não há conversão, não há convicção de pecado e de necessidade de arrependimento.

João declara que: “o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito” (v.8). Isto quer dizer que conforme a Lei uma acusação só teria valor pelo depoimento de duas ou três testemunhas (Dt 19.15; Jo 8.17,18). Com isso, João está nos mostrando a importância do Espírito Santo na vida do crente. Como lembra Simon Kistemaker, a evidência do batismo de Jesus e a Sua morte está em completa concordância com o Espírito Santo, e por isso mesmo uma pessoa não pode aceitar apenas uma ou duas dessas três testemunhas, mas, sim, as três, pois, do contrário não será salva. João está mostrando que o Espírito Santo é tão importante na salvação de uma pessoa quanto o Senhor Jesus.

É preciso ainda

3) Crer no testemunho do Pai, v.9,10,11

“Se admitimos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior” (v.9), essas palavras apontam para o que foi dito sobre o costume judaico embasado na Lei de que um testemunho tinha de ser confirmado pelo menos por duas testemunhas. O que João está dizendo aqui é: “se em nossa prática diária confiamos num testemunho dado por duas pessoas, quanto mais devemos confiar no testemunho que Deus nos dá por meio do Espírito Santo, da água e do sangue”. E então ele completa: “ora, este é o testemunho de Deus, que ele dá acerca de seu Filho” (v.9). Tudo o que já foi dito até aqui sobre o testemunho de Cristo e do Espírito Santo, é este o testemunho de Deus!

Por isso João completa com o v.10: “Aquele que crê no Filho de Deus tem em si, o testemunho. Aquele que não dá crédito a Deus o faz mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus dá acerca do seu Filho”. Observe que aqui são indicadas duas atitudes antagônicas: a primeira é quem crê em Jesus tem o “testemunho de Deus”, e a segunda é quem não dá crédito ao testemunho de Deus, fazendo Dele um mentiroso, ou seja, duvidando do testemunho Dele como se Ele fosse um mentiroso e não fosse digno de confiança naquilo que Ele diz. Em qual desses dois grupos você está? Você é daqueles que creem em Deus e no que Ele diz em Sua Palavra a respeito de Jesus Cristo, ou você é daqueles que não dão crédito ao que Ele fala?

O v.11 nos mostra que quem nos deu a vida eterna foi Deus quando enviou Jesus a este mundo para nos salvar.

O Deus Pai, o Deus Filho e o Deus Espírito Santo atuam no coração da pessoa testemunhando-lhe sobre a Vida Eterna. O Deus Pai decidiu salvar o pecador, o Deus Filho realizou essa salvação, e o Deus Espírito Santo confirma em seu coração a salvação efetuada por Cristo e planejada por Deus. Diante de tudo isso

O que Deus quer que você faça?

Que você creia em Jesus Cristo e receba a Vida Eterna. Se há outra maneira melhor de alguém glorificar a Deus do que esta, a Bíblia não mostra. A melhor maneira de alguém glorificar a Deus é crendo Nele e entregando-Lhe a sua vida.

Conclusão

O Deus Triúno trabalha em nosso coração para que tenhamos plena certeza da nossa salvação.

São José dos Campos, 08/09/2013

Rev. Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em 1ª João. Bookmark the permalink.

2 Responses to Cristo, o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna – 18ª Mensagem

  1. WAndir Ribeiro de Paula jesus e verdadeiro deus e vida eterna aceitar para obter a salvaçao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *