Cristo, o Verdeiro Deus e a Vida Eterna – 2ª Mensagem

Cristo é a Verdadeira Vida

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A forma como as palavras são colocadas num texto dizem muito não só do significado delas, mas, também, do conteúdo do que se quer comunicar. Ao iniciar sua carta, João o faz de forma muito semelhante ao que fez o autor da Carta aos Hebreus. Ele não menciona o seu próprio nome e nem o dos seus destinatários. Tão somente começa mostrando a divindade de Cristo. Com isso João deixa claro em que base ele apoia todo o seu ensinamento, a saber, em Jesus Cristo, o Deus Eterno que Se encarnou, do Qual, ele se tornou testemunha com todos os seus sentidos (olhos, ouvidos e mãos).

Você já pensou que grande privilégio teve o apóstolo João em poder ouvir, ver e até tocar em Jesus? Mas, é aqui que está uma das mais preciosas verdades da vida cristã que dizem respeito a nós, discípulos de Cristo que não O viram, ouviram e nem tocaram Nele como João: nós vivemos pela fé em Cristo, e segundo Ele próprio: “bem-aventurados os que não viram e creram” (Jo 20.29). É nisso que consiste a vida cristã, em caminhar pela fé em Cristo sem precisar ver para crer, até mesmo porque isso não é fé.

Nestes quatro versos iniciais João vem mostrar quem é Jesus (ele fará isso várias vezes nesta carta). Ele então nos mostra que Cristo é a Verdadeira Vida. Meditemos sobre isso hoje.

E o ponto central desses versos é o fato de que a verdadeira comunhão e alegria são resultado da obra de Cristo em Se encarnar e morrer no lugar dos Seus eleitos. Não existe verdadeira alegria no coração daquele que despreza a comunhão que Cristo proporciona entre os irmãos e o Pai. Observe o v.3: “Ora, na nossa comunhão é com o Pai e com seu filho, Jesus Cristo”. Ao mesmo tempo em que as Escrituras apresentam a comunhão entre os irmãos, afirmam que tal comunhão também é com o Pai e com o Filho. Quem despreza a comunhão com os irmãos não tem motivo algum para crer que está em comunhão com Deus.

Como já dissemos na mensagem introdutória da carta (e constataremos isso sempre) João não se preocupa em seguir um raciocínio cronológico (começo, meio e fim). Ele simplesmente, apresenta as verdades evangélicas fazendo afirmações pontuais não se preocupando em obedecer algum esquema ou método. É sempre importante lembrarmos de sua avançada idade quando escreveu esta carta. Um idoso está mais preocupado em dizer o que lhe vem à mente do que formular esquemas de ensino.

Cristo é a Verdadeira Vida

1)      Que foi manifestada, v.2

“e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada”.

O verbo “manifestar” (do grego fanero,w significa “revelar, tonar claro, trazer à luz”. Aqui João está apontando para o fato mais importante da História da Humanidade: a Encarnação de Cristo. Dizem que o dia em que o homem pôs os pés na lua foi o dia mais importante da humanidade, mas, isso não é verdade. O dia mais importante da História foi quando o Filho de Deus pôs os pés neste mundo.

Dois fatos devem ser destacados aqui:

(A) Se Deus não quisesse revelar-Se a nós, jamais O conheceríamos. Ainda estaríamos envoltos nas trevas do nosso coração, tateando em busca de algo ou alguém sem saber o que ou quem. Ainda estaríamos num desespero total sem esperança, sem razão de viver. Portanto, o nosso coração deve ser imensamente grato a Deus, porque além Dele Se dispor em revelar-Se ao mundo, o fez de forma especial aos Seus eleitos dando-lhes a luz que ilumina os seus corações e os torna aptos a compreenderem as maravilhas do Seu amor.

(B) Cabe a nós manifestar Jesus neste mundo. O ue João diz sobre a nossa responsabilidade aqui é muito sério: “…e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos”. É impossível alguém que recebeu a iluminação da manifestação de Cristo em sua vida permanecer calado e não testemunhar diante do mundo. João está aqui falando de sua autoridade apostólica. Ele está dizendo: “Eu vi, ouvi e até toquei em Jesus. Ele existe! E é com base neste testemunho que eu vos testemunho a respeito Dele”. Uma grande verdade sobre a Fé Cristã é que só compartilha de Cristo quem tem a Cristo em seu coração. Não se pode dar do que não se tem.

Jesus Cristo, a Vida Eterna Se manifestou ao mundo; um dia Ele pisou neste solo poeirento. Mas, Ele também Se manifestou pessoalmente ao coração dos Seus eleitos e continuará a fazer assim até que o último eleito seja alcançado. E para que os eleitos sejam alcançados, os outros eleitos já alcançados devem anunciá-Lo o tempo todo.

Cristo é a Verdadeira Vida

2) Que foi constatada, v.1

“O que era desde o princípio…”, o pronome relativo o[  que aqui é traduzido por “O que”, quer dizer “aquilo que era…”. Tanto se refere à preexistência de Jesus como o “Verbo da vida”, como ao próprio Evangelho que João ouviu desde o princípio do ministério de Jesus na Terra.

O Dr. Simon Kistemaker comentando esse pronome diz: “O termo aquilo é mais amplo do que quem, pois, inclui a pessoa e a mensagem de Jesus Cristo. O termo se refere à revelação de Deus, a saber, o Evangelho, que, de acordo com João, é ‘sobre o Verbo da vida’”.

As primeiras palavras dessa carta são semelhantes à abertura do Evangelho de João, onde ele também fala da divindade de Cristo. Também nos remetem a Gn 1.1 onde vemos a expressão “No princípio criou Deus o céu e a terra”. Então, ao aplicar essas mesmas palavras a respeito de Jesus, João está nos mostrando que tudo o que foi dito lá no Antigo Testamento sobre o Messias cumpriu-se na pessoa de Jesus, o Cristo.

Os três sentidos alistados por João, a audição, a visão e o tato são importantes aqui. Através do ouvir as palavras de Jesus, ver os atos de misericórdia, de justiça, de firmeza e de poder com que Ele realizou Seu ministério terreno, e o toque físico que mostra que Jesus não era um espírito que parecia ser um corpo (como afirmava a heresia docetista), mas, sim, um corpo, um ser humano de verdade. Além disso, aqui João está constatando a ressurreição de Jesus (cf. Lc 24.39; Jo 20.20,25,27), doutrina esta fundamental à Fé Cristã, pois, “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã a nossa fé” (1Co 15.14).

Aqueles que não creem no Cristo ressurreto o fazem não por falta de provas; eles não creem porque são cegos espiritualmente, e embrutecidos em seus corações entenebrecidos.

Aqueles que creem têm em seus corações a constatação do Espírito Santo confirmando-lhes não só as verdades do Evangelho, como dando-lhes a certeza da encarnação, morte, ressurreição e glorificação de Cristo. A constatação maior das verdades referentes a Cristo é resultado da ação poderosa e sobrenatural do Espírito Santo no coração da pessoa.

Cristo é a Verdadeira Vida

3) Que foi anunciada, v.3,4

“o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros…”. Observe que o v.2 está entre parênteses. Isso é importante porque João está mostrando que a Vida Eterna da qual ele está falando é Jesus Cristo. Além disso, o v.1 e 3 têm praticamente o mesmo conteúdo. Este é o estilo de João: enfatizar o ensino por meio da repetição.

Novamente ele apela para a autoridade apostólica que se baseia no ter visto e ouvido a Cristo pessoalmente. E uma vez tendo acontecido isso, ele e os demais apóstolos anunciaram “a vida eterna, a qual estava com o Pai…” (v.2).

O verbo anunciar (avpagge,llw) significa: “reportar, declarar, relatar com frequência à fonte da qual procede a mensagem”. Enquanto “testemunhar” aponta para a experiência, “anunciar” indica a autoridade da comissão e ambas enfatizam que a mensagem tem fundamento no testemunho ocular (cf. Rienecker e Rogers).

Mas, porque João anunciava a Cristo, a Vida Eterna? A resposta é: “para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco”. A palavra “comunhão” no grego é koinwni,a  e quer dizer “afastamento dos interesses pessoais e particulares e a união com outras pessoas para cumprimento de alvos comuns” (cf. Rienecker e Rogers). O que você busca quando vem à Igreja? Seus interesses ou os interesses de Cristo? A verdadeira comunhão entre os crentes depende exclusivamente de Jesus Cristo. Se não for Cristo quem nos une, não serão os eventos da Igreja, as programações sociais, as amizades dentro dela que nos unirá e promoverá a verdadeira comunhão. Se não for Cristo o sustento da nossa comunhão, o que teremos quando muito será uma afinidade que ao menor sentimento contrário destruirá completamente essa suposta comunhão.

O v.4 aponta para outra forma como João e os apóstolos “anunciavam” a Cristo: a escrita. Ele escreveu porque o Espírito Santo o orientou a isso (2Pe 1.21), e para que “a nossa alegria seja completa”. A ideia aqui é a mesma de “perfeição, plenitude”, pois o particípio no grego é peplhrwme,nh e aponta “encher, preencher, cumprir”, indicando assim o propósito de Deus em Se revelar a nós, em nos dar a conhecer os mistérios do Seu amor em Cristo Jesus.

A plenitude da nossa alegria está em vivermos intensamente a comunhão com os nossos irmãos resultante da revelação de Cristo, a Verdadeira Vida, a Vida Eterna!

O que Deus quer que você faça?

1)      Anuncie a Vida Eterna. Você tem em suas mãos a única mensagem que pode salvar os pecadores.

2)      Testemunhe da Vida Eterna. Essa mensagem que o alcançou e o transformou fez de você um testemunho vivo do poder Deus.

 

Conclusão

Só podemos compartilhar o que temos. Se temos a Vida Eterna, Jesus Cristo, então temos o que anunciar.

Rev. Olivar Alves Pereira

São José dos Campos, 21/04/2013

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Mensagens Expositivas em 1ª João, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

2 Responses to Cristo, o Verdeiro Deus e a Vida Eterna – 2ª Mensagem

  1. LEANDRO SILVA says:

    Boa noite pastor tenho sido ricamente edificado com suas mensagens gostaria de ouvir o vídeo dessa mensagem, Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *