Enfrentando a secura da alma

Leia Sl 42 e 43.

Quantas necessidades você tem? Qual delas é a mais importante? Alguém disse que a necessidade mais importante é aquela que necessita ser satisfeita o quanto antes.

Estes dos salmos que originalmente formam um único salmo expressam a maior necessidade que o homem tem: Deus! Não há necessidade maior que essa, e enquanto a sede da sua alma não for saciada em Deus, você continuará sofrendo terrivelmente.

Não sabemos ao certo quem foi que os escreveram, só sabemos que foram os descendentes de Corá, os quais eram sacerdotes de Deus.

O que nos dá a entender, é que o salmista se encontrava exilado, numa terra distante, longe do Templo do Senhor, o qual era muito importante para sua adoração a Deus. O motivo desse exílio nos é desconhecido.

Ao analisarmos esses dois salmos vemos o salmista Enfrentando a secura da alma. Uma situação que pode muito bem ser a sua.

Num primeiro momento (Sl 42.1-5) ele nos dá a entender que ele está longe do templo do Senhor, do lugar onde Deus era adorado. O israelita tinha profundo apego pelo templo do Senhor. Em terras distantes ele não conseguia adorá-lo. Ele tinha sede de estar novamente na presença de Deus, no Seu santo templo.

Ele se vê como a corsa que anseia pela corrente das águas, onde possa molhar seus cascos por alguns instantes, para continuar a correr por mais por mais tempo. O só estar no templo do Senhor, para aquele salmista, era o necessário para ele continuar a viver por mais algum tempo cheio de esperança e renovado.

Mas, ali, longe do templo do Senhor, só lhe restava a saudade, e as suas lágrimas eram o seu alimento dia e noite, num constante retro-alimentar-se. Quando punha fora sua tristeza, logo, revolvia-se nela, e dela se alimentava, v.3.

Só lhe restava as doces lembranças de um passado que não voltaria mais, v. 2 e 4. Ele que antes era um líder que conduzia o povo na adoração a Deus, agora, não passava de um exilado.

E no meio do seu exílio, de sua dor e sede da alma, uma pergunta sagaz e ardilosa lhe era feita pelos seus inimigos: “…o teu Deus onde está?”.

Antigamente cria-se que havia um deus para cada região, e que um deus não interferia no território de outro deus. Por isso quando as pessoas perguntavam ao salmista onde estava o Deus dele, elas estavam lhe dizendo: “Aqui o seu Deus não manda”. Mas, aquele israelita, sabia muito bem que o seu Deus é o Rei das nações, e que o universo é todo Dele.

Mas, longe da sua terra, longe do templo de Deus, angustiado e sofrendo, ele pergunta para si mesmo: “Porque estás abatida ó minh’alma, porque te perturbas dentro de mim?”, e para si mesmo responde: “…Espera em Deus, pois, ainda O louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”.

Num segundo momento (Sl 42.6-11) o salmista de tanto ouvir aquela pergunta sagaz: “O teu Deus, onde está?”, passa a se questionar também, se de fato Deus ainda se lembra dele: “Porque o Senhor se esqueceu de mim? … por que o Senhor me aflige com tamanha tristeza?… por que?… porque?”.

No v.6 ele levanta sua voz e expressa sua confiança em Deus, mas, no v.7 a sua tristeza dentro do seu coração é como uma cachoeira de águas impetuosas. Basta cair na primeira, que ela o conduz à segunda queda, e esta à terceira, até que ele se vê num rio caudaloso que o afoga numa tristeza sem fim. E agora ele clama a Deus por socorro, mas, parece-lhe que Deus se esqueceu dele.

E continuando a travar essa luta em seu coração, no v.8 ele reafirma sua confiança em Deus. Mas seu coração logo começa a questionar a Deus, e no v.9 o questionando a Deus e até mesmo chegando ao ponto de perguntar: “Deus! Por que o Senhor se esqueceu de mim?”. E novamente, ele se vê esmagado em seu interior, v.10.

A primeira vez que ele se pergunta porque ele está abatido e perturbado (v.5) ele estava tentando manter a sua fé. A segunda vez que ele repete essa pergunta (v.11) ele está com a sua fé abalada, mas, mesmo assim ele reafirma sua fé em Deus: “Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”.

Num último momento (Sl 43) o alento de Deus recobra a fé e a esperança do salmista. Lutando contra tudo, agora o salmista se vê liberto da sua amargura caudalosa. Ele vê que Deus veio ao seu encontro, e no momento em que Deus envia sobre ele a Sua luz e a Sua verdade, os seus inimigos se calam, e aquela pergunta sagaz, não é feita mais, porque seus inimigos tiveram que reconhecer que Deus controla todo o universo, e que controla tudo, diferentemente, dos ídolos.

O salmista tem renovada sua esperança de estar de novo no templo do Senhor. Seu coração ainda vacila (Sl 43.2), mas, ele insiste em confiar em Deus e espera novamente entrar no templo do Senhor para ali O adorar (v.3,4).

E encerrando o salmo, no v.5 ele repete aquele refrão, só de desta vez trazendo ânimo para o seu coração como que dizendo: “Para quê ficar desse jeito? Você não vê o que Deus está fazendo em sua vida?”. E então ele diz novamente: “Espera em Deus, pois, ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”.

 Aplicações Práticas

Quando você estiver passando por um momento de secura em sua alma observe:

 1)Você está longe de Deus

O que pode estar afastando você de Deus tanto pode ser uma circunstância difícil (como aconteceu com o salmista, o exílio), quanto pode ser por pecados cometidos e não confessados. Seja o que for você está afastado de Deus, e afastado Dele, você seca e definha. Quantos que iam bem na presença de Deus, mas, quando lhes sobrevieram tentações, provações e lutas acabaram se afastando de Deus e hoje estão morrendo à míngua. Não permita que tal coisa aconteça com você, porque se você permitir, cuidado:

 2)Você verá Deus distante da sua dor

Quando eu estou longe de Deus, ainda alimento a esperança de que me levantar e voltar para ele, como o fez o filho pródigo. Mas, quando eu vejo que Deus se afastou de mim então eu perco toda esperança. Começo a acreditar nas mentiras que o mundo prega, dou ouvidos àqueles que querem me confundir dizendo: “Mas será que Deus existe mesmo e se preocupa com alguém como você?”. Você pode até ter questionamentos mas, nunca terá o direito de duvidar do cuidado e presença de Deus. Você pode até não entender o porque passar por tais provas, mas, não pode duvidar do cuidado de Deus.

Enquanto você estiver passando por um momento de secura em seu coração, confie:

 3) Você verá que Deus está bem perto

O salmista repetiu a mesma pergunta três vezes, e em cada vez influenciado por alguém. Na primeira vez (42.5) ele foi influenciado por ele mesmo, e por isso, ficava em altos e baixos. Na segunda vez (42.11) ele foi influenciado pelas pessoas que não conheciam a Deus e por isso mesmo sua fé se abalou. Na terceira vez (43.5) ele foi fortalecido por Deus e por esse motivo viu sua esperança ser restaurada pela presença de Deus.

Deus é maravilhoso e restaura a alma daquele que Nele confia e muda o lamento por louvor, o sentimento de abandono por certeza de Sua presença com aquele que nele confia.

 Conclusão

“Espera em Deus, pois, ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”.

 São José dos Campos, 14/08/2011

Rev.Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.