Fuja dos gravetos mágicos

Conta-se que uma senhora escocesa vendia artigos de armarinho à domicílio. Toda vez que ela se deparava com uma encruzilhada e precisava escolher uma direção, tomava um graveto e o jogava para cima. Na direção que ele apontasse quando caísse ela então seguia.

Certo dia alguém observou que ela repetidamente jogava o graveto para o alto e perguntou-lhe: “Vejo que a senhora insiste em jogar esse graveto para o alto. Porque?”, e ela então respondeu: “É que ele insiste em cair apontando para a direita e eu quero ir para a esquerda”.

Semelhantemente, agimos no que diz respeito à nossa vontade e à vontade de Deus. Dizemos estar dispostos a fazer a vontade Dele, desde que, é claro, ela esteja de acordo com a nossa. Como a senhora escocesa da história, insistimos com Deus teimosamente, e ainda, “validamos” nossa teimosia justificando-a sob o nome de “perseverança em oração”.

Duas lições podemos tirar aqui. A primeira diz respeito à vontade de Deus ser soberana. Ele sabe o que é melhor para nós, e quando Sua vontade é diferente da nossa é porque a nossa é ruim, ao passo que a Dele sempre é “boa, agradável e perfeita” (Rm 12.2). Não devemos insistir contra a vontade de Deus. Antes, devemos nos entregar a Ele e ao Seu querer. Como alguém já disse com muita propriedade, a vontade de Deus nunca nos levará a um lugar onde a Sua graça não poderá nos sustentar.

A segunda lição que tirarmos aqui, é que em decorrência da vontade de Deus ser “boa, agradável e perfeita”, é loucura de nossa parte se entregarmos a direção da nossa vida à direção dos “gravetos mágicos”, como aquele da senhora escocesa. Com muita facilidade inventamos artifícios mentirosos que alimentam nossa vontade e egocentrismo. Tudo isso é insensatez. Nossa vida é muito valiosa para a direção dela ser entregue a nós mesmos. Precisamos fazer a oração de Salomão em 1Re 3.7: “…não passo de uma criança, não sei como conduzir-me”.

Confie a direção de sua vida a de Deus. Aquele que tem poder para salvá-lo da condenação eterna, também tem todo poder para guiá-lo nesta vida rumo à glória eterna.

 

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

4 Responses to Fuja dos gravetos mágicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.