Integridade e Pureza

No Sl 101.2 e 3 lemos: “Portas a dentre, em minha casa, terei coração sincero. Não porei coisa injusta diante dos meus olhos…”. O rei Davi sabia perfeitamente que o lugar onde somos mais conhecidos é dentro de nossa própria casa. É em casa que a gente vê se aquele santarrão dos domingos na igreja é mesmo o que ele diz ser. É dentro dos círculos familiares que vemos se a pessoa pratica o que diz que crê, e crê de fato a ponto de praticar.

 Essa junção da fé e da prática recebe o nome de “integridade”. E o lugar em que mais devemos zelar por ela é dentro de nosso lar, especialmente se nossos filhos são pequenos. Observando nossa integridade por amor a Deus, eles perceberão e aprenderão a importância de tudo isso.

 Mas, o rei Davi falou de outro assunto: como manter a pureza dentro de casa. E ele adotou um princípio radical: não colocar nada de injusto (impuro, pecaminoso) diante de seus olhos. Ele sabia que os olhos são uma porta de entrada para a alma e que o que por eles entra ficará gravado no coração. A estratégia dele aqui é não permitir que algo entre, pois, para retirar depois será necessário muito maior empenho, isso sem falar no estrago que tal coisa pode fazer.

 Davi não convivia com a internet, TV e outras formas que hoje são utilizados para a propagação de coisas impuras como a pornografia. Mas, ele tinha outros meios tão perigosos quanto estes. Basta lembrarmos que foi de dentro de sua casa, andando pela sacada de seu palácio, que numa tarde, depois de haver acordado (como um rei poderia dormir à tarde enquanto seus soldados estavam na guerra?), que ele viu Bate-Seba tomando banho e a cobiçou e com ela cometeu adultério (veja 2Sm 11.1-5). É bem provável que quando ele escreveu o Sl 101 ele ainda não havia cometido esse pecado de adultério. Contudo, se ele escreveu o Sl 101 depois do adultério ele estava falando de algo que ele sabia muito bem pela experiência: o perigo de não cuidar do que os olhos estão vendo.

 Para manter a integridade e a pureza necessitamos mais do que nossa força de vontade, pois, nossa força é pouca e a nossa vontade é corrompida. Precisamos do poder de Deus por meio do Espírito Santo.

Rev.Olivar Alves Pereira  

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.