“Mas, livra-nos do mal”

Parte da oração dominical ensinada pelo Senhor Jesus em Mateus 6.9-13, essas palavras nos remetem a uma verdade presente em nossa vida o tempo todo. O mal é uma realidade presente nos relacionamentos, no cotidiano, nos pensamentos, nas palavras e nas ações… o mal está presente no coração do homem.

Entendendo nossa realidade

Mais do que atentarmos para o mal ao nosso redor devemos atentar para o mal em nosso coração. Enquanto a Sociologia diz que o homem é resultado do meio em que ele vive (e em alguns aspectos eu concordo com essa afirmação), a Bíblia nos mostra justamente o contrário. O mundo é o que é hoje por causa da maldade dos corações. Enquanto muitos são vergonhosamente explorados, poucos detêm o poder e os benefícios. Enquanto muitos vivem miseravelmente, poucos são abastados e se empenham para reter ainda mais em suas mãos. Casamentos são desfeitos porque os cônjuges querem ser felizes ainda que para isso tenham de trazer terríveis tormentos e dores aos corações de seus filhos. O que é isso senão o egoísmo?

Uma avaliação honesta

Diante disso precisamos ter a honestidade que teve o apóstolo Paulo quando disse: “Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto… Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo… Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim” (Romanos 7.15,18 e 21).

O mal reside em nosso coração. Quer ver um exemplo? Quando alguém lhe faz algo ofensivo, que sentimentos pairam em seu coração em relação àquela pessoa? Raiva? Vingança? Indiferença? O que são essas coisas senão pecados?

E quando alguém não lhe dá o reconhecimento que você julga merecer? Como você se sente? Injustiçado? Não reconhecido? O que é isso senão o desejo de ser glorificado pelos homens, de querer para si a glória que deve ser creditada a Deus?

A boa notícia

Em todo canto vemos o mal porque todos os seres humanos são maus por natureza. O que essas pessoas precisam não é de terapia para mudar seus comportamentos, não é de um sistema religioso que funcione como um entorpecente. O que as pessoas precisam é de uma transformação profunda em seus corações. A Bíblia chama isso de “novo nascimento”. Não basta mudar de hábitos, é necessário uma transformação profunda e completa do coração, fazendo com que a nossa vontade seja submetida à vontade de Deus.

Quando você orar pedindo a Deus para livrá-lo do mal, saiba que Ele é poderoso para isso, pois, quem tem poder para transformar corações também é poderoso para protegê-los de tropeços (cf. Judas v.24 e 25).

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.