O Caminho e a Pedra

“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra”.

Este trecho do poema de Carlos Drummond de Andrade intitulado “No meio do caminho” mostra sua habilidade com as palavras, e não é à toa que foi um dos maiores escritores de todos os tempos. Contudo, quero tomar as palavras desse poema para pensar em algo muito mais sério e nobre que exige de nossa parte total consideração e zelo. Quero falar com você sobre o Caminho e a Pedra, Jesus Cristo, o Senhor dos Senhores.

Em João 14.6 lemos algo impressionante que o Senhor Jesus disse de Si mesmo: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Destaco as seguintes observações neste verso:

1) O absolutismo na (e da) pessoa de Jesus – Estou cansado de ouvir esse discurso sem lógica da tal pós-modernidade no qual ela afirma que em nossos dias, qualquer expressão de absolutismo é inviável e contra a tolerância. Para os pensadores pós-modernos, algo que diga ter a verdade absoluta deve ser ignorado e rechaçado porque os nossos dias são “os dias da tolerância para com os que pensam e agem diferente de nós”, e por isso mesmo todos nós devemos ser humildes a ponto de aceitarmos os pensamentos por mais contrários que eles nos sejam, e fazermos uma miscelânea de pensamentos, pois, quanto mais ecléticos formos mais felizes seremos. Concordo que ser humano algum pode bater no peito e dizer que sabe tudo sobre tudo, até mesmo porque a vida é um constante aprendizado (mas, não posso concordar em ajuntar coisas e ideias antagônicas e aí fazer um código de ética só meu), porém, Jesus pode dizer com todo absolutismo e singularidade que Ele é “o caminho, e a verdade, e a vida” (observe os artigos definidos antes de cada adjetivo), pois, Ele é o Deus que se encarnou e que está revestido de glória e majestade. Não se trata de um ser humano fazendo uma afirmação absurda acerca de si mesmo, mas sim, do Filho de Deus que tem toda autoridade (Mt 28.18).

2) A plenitude de Cristo – na língua portuguesa quando alistamos várias características de um sujeito separamos cada uma delas com vírgula e, antes da última característica colocamos a conjunção “e”. Na língua grega (na qual foi escrito originalmente o Novo Testamento) a conjunção kaí faz o papel da nossa vírgula, porém, tem uma conotação especial. A cada vez que kaí aparece antes de uma palavra ele está “somando” valores. É verdade que a vírgula tem essa função quando assim empregada. O que se destaca aqui é a plenitude de Cristo. Ele não é só o caminho, Ele é também a verdade e também a vida. Quando você recebe a Cristo, recebe tudo isso.Não dá para ficar com só uma das características Dele. Ao recebe-Lo como Salvador, você o recebe como Senhor; ao trilhar esse “Caminho”, inevitável e inseparavelmente você terá de aceitar a Verdade e desfrutar da Vida.

3) A finalidade de Cristo – Ele disse: “…ninguém vem ao Pai senão por mim”. Esse é o propósito de Cristo ter vindo ao mundo: resgatar o homem para a glória de Deus. Sempre ouço as pessoas dizerem que “todos os caminhos levam a Deus”, e em certo sentido isso é verdadeiro, “pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus” (Romanos 14.10). Porém, somente Cristo nos conduz a Deus para a salvação, e ninguém “vem” até Deus se não for através de Cristo. Para os que negam a divindade de Cristo, aconselho que observe o verbo “vem”. Cristo não disse: “ninguém vai ao Pai senão por mim”, mas, sim, “ninguém vem ao Pai senão por mim”. Jesus é o único caminho que nos leva a Deus, e, sendo Ele o único caminho, os demais caminhos não são nada mais que atalhos que levam à danação.

Mas, Jesus Cristo também é a Pedra. No Sl 118.22 lemos: “A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular”. Em Mt 21.42ss o Senhor Jesus empregou essas palavras proféticas a Si mesmo. Assim também fizeram os apóstolos Pedro (At 4.11 e 1Pe 2.6,7) e Paulo (Ef 2.20). Vejamos cada uma dessas passagens.

At 4.11: “Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular”.

Ef 2.20: “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular”.

1Pe 2.6,7: “Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. Para vós outros, portanto, os que credes, é a preciosidade; mas, para os descrentes, A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular.

Não posso deixar de comentar sobre a exegese equivocada que a Igreja Romana faz das palavras do apóstolo Pedro, ao afirmar que Cristo fez dele (Pedro) a “pedra angular da Igreja” quando Ele disse: “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). Se Jesus tivesse declarado a Pedro que ele (e não Jesus) era a pedra angular da Sua Igreja, será que Pedro não teria entendido assim? Mas, note que Pedro deixou bem claro que Jesus é a Pedra Angular, a base, o sustentáculo da Sua Igreja.

Deixando essa discussão de lado quero chamar sua atenção para a seguinte verdade. Cristo é a Pedra sobre a qual os que creem Nele edificam suas vidas, ou contra a qual colidem os que não creem  e se despedaçam quais navios que se chocam contra as rochas numa encosta. A ideia que muitos têm de Jesus como sendo Ele todo amor é apenas metade da verdade sobre o Seu Ser. Ele é também todo justiça, e como tal, aqueles que não edificam suas vidas sobre Ele, ou seja, não confiam Nele para receberem a Vida Eterna, terão em Cristo toda a razão de sua condenação eterna. Não há como fugir dessa realidade. Ou você está em Cristo para a Vida Eterna, ou não está em Cristo, e, sofrerá a condenação eterna.

Voltando ao poema de Carlos Drummond de Andrade, no meu caso fica assim:

Em minha vida Cristo é a Pedra e o Caminho
A Pedra e o Caminho em minha vida é Cristo
A minha vida está na Pedra e no Caminho
Em minha vida está a Pedra e o Caminho.

Rev. Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Apologética. Bookmark the permalink.

8 Responses to O Caminho e a Pedra

  1. Sérgio Vinícius says:

    Uma ótima analogia ao poema pastor, só um acrécimo, quando nosso Senhor Jesus afirma que ele é o Caminho a Verdade e a Vida, Ele está atingindo as varias classes de pessoas de sua época, os gentios que buscavam um caminho, os judeus que buscavam a verdade e toda classe de pecador que precisa da vida que só Ele pode dar.

  2. Sérgio Vinícius says:

    Na verdade eu li isso no exame de ordenação do meu ex-pastor, era sobre esse assunto o sermão expositivo que ele deveria pregar. Não lembro se era exatamente essas palavras que ele usou, tenho certeza que o que ele disse foi mais profundo do que isso, mas o sentido é mais ou menos o mesmo.

  3. marina says:

    Boa tarde!!!
    Graça e Paz!!
    Pastor Olivar que saudades!
    Em primeiro lugar obrigada pelo imenso favor que o senhor nos prestou, bem, e aí descansado,revigorado com as merecidas férias? e as meninas Janaína e Ana Cristina estão bem??
    Em segundo lugar, parabenizo uma vez mais pelo texto edificante.
    DEUS o abençõe
    Marina e Marcos

  4. Pr. Terrão says:

    Pastor querido, fiquei muito feliz em encontrar o NOUTESIA, certamente fará parte de minhas leituras diárias. Muito obrigado mesmo por esse presente. Que o Eterno lhe dê sempre disposição para publicar obras primorosas como essa que acabo de ler.

    • Olivar Alves Pereira says:

      Querido colega e irmão,
      A Deus toda glória. Fico muito feliz em saber que de alguma forma estou lhe ajudando. Ore por mim.
      Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.