O Preço do Discipulado

Rev. Olivar Alves Pereira

A nossa salvação não nos custou nada; ela foi efetivada pela Graça de Deus que manifestou-se no sacrifício de Cristo lá na cruz a nosso favor. Contudo, há um preço que devemos pagar se quisermos seguir a Cristo, ao que Ele chama de “ser meu discípulo”.

Em Lc 14.25-33 encontramos a seguinte situação. Numerosas multidões acompanhavam a Cristo (v.25). Ele então Se voltou para elas e disse: “Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo” (v.26-27).

Em seguida, Ele usa duas ilustrações: a do construtor e do rei que devem ser prudentes. O construtor prudente avalia antes de começar a construir uma torre se ele tem as devidas condições de começar e concluir a obra, a fim de que ninguém venha a zombar dele caso ele não tenha os recursos necessários e sua obra fique inconclusa. Da mesma forma o rei prudente é aquele que avalia se o seu exército é suficiente para lutar e vencer o exército do rei inimigo que vem contra ele; cosa perceba não ter condições de lutar e vencer o inimigo, ele enviará uma embaixada propondo um termo de paz para evitar a guerra e não ser vergonhosamente derrotado.

Infelizmente, muitos separam essas ilustrações do contexto das palavras de Cristo às multidões, e usam essas ilustrações para falar sobre prudência e planejamento. Dessa forma, perder de vista o que Cristo está ensinando aqui.

Quando Ele disse que o Seu discípulo deve aborrecer seus familiares para ser de fato Seu discípulo, Ele não está nos ordenando a causarmos inimizade e nem mesmo odiar os nossos familiares. Antes, o que Ele está nos mostrando aqui é a necessidade de renunciarmos aquilo que consideramos essencial para nós por amor a Ele. Em outras palavras, ninguém deve ser mais amado, desejado e precioso para nós além de Jesus. No v.33 isto fica claro: “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”.

Todos nós concordamos que as pessoas mais importantes para nós são os nossos familiares, não é mesmo? Eles são o nosso “essencial”, aqueles por quem estamos dispostos a fazer o que for possível para o bem deles. O que Cristo está nos mostrando é que, se não O amarmos mais do que à nossa família, não podemos ser Seus discípulos. É aqui que as ilustrações do construtor e do rei prudentes fazem todo o sentido. Muitas pessoas afoitamente se dispõem a seguir Jesus, mas, a maioria delas não calcula o preço do discipulado, a saber, o que elas devem renunciar para serem identificadas como discípulos de Cristo de fato. Por isso mesmo, há muito escândalo no meio do povo de Deus. Muitos que se dizem crentes vivem igual ou pior que os ímpios. São egoístas, materialistas e avarentos, e chamam isso de “prosperidade”. Vivem quebrando os mandamentos de Deus e justificam dizendo que “estão na era da Graça e não da Lei”. Lidam com seus pecados e vícios como meras “fraquezas”, mas, não cuidam de fortalecer sua comunhão com Deus e com os irmãos, não usufruem dos Meios de Graça para santificarem-se e assim, honrarem a Deus. Essas pessoas não calcularam o preço do discipulado, ou seja, não tomaram a cruz e nem renunciaram a si mesmas por amor a Cristo, e, por isso mesmo trazem vergonha para o Nome de Cristo e Sua Igreja. Se você ainda não pôs Cristo acima de tudo em sua vida, você é só mais um no meio de uma multidão que ainda não entendeu o que é ser discípulo de Cristo.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Aconselhamento Bíblico, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.