O Profeta Elias e a Depressão (?)

É muito comum ouvirmos pastores tentando ajudar suas ovelhas que sofrem com a depressão lhes dizerem que até o profeta Elias teve depressão, logo, isso é mais normal do que se pensa, e até mesmo grandes servos de Deus estão sujeitos a isso. Esse é o tipo de ajuda que não ajuda. Partindo da premissa que a depressão é um estado de profunda tristeza e desilusão com a vida, até se pode afirmar que Elias teve depressão, veja 1Rs 19.4, ele pediu a morte para Deus. Mas aqui, não quero focar nesse ponto, mas, sim, no que causou essa profunda tristeza e desilusão em Elias (parto da premissa que depressão não é “causa”, mas, sim, “efeito”). Então vejamos a causa (ou as causas).

Em 1Rs 18 vemos Deus usando poderosamente o profeta Elias para destruir a idolatria em Israel (v.1-40). Ainda neste mesmo capítulo o vemos sendo acreditado por Deus diante do povo, pois, assim como ele anteriormente orara a Deus para que não chovesse por 3 anos e meio, agora, ele ora a Deus e a chuva veio abundantemente.

Mas, no capítulo 19 encontramos outro Elias. Ameaçado de morte pela perversa rainha Jezabel, ele foge para o deserto, e lá sozinho debaixo de um pé de zimbro pede a Deus a morte. Deus envia um anjo que o acorda e o alimenta (v.5-6), mas ele continua do mesmo jeito. Novamente o anjo o acorda e o alimenta, e com a força daquela comida ele caminha 40 dias e 40 noites rumo ao Monte Horebe (v.7-8), onde se abrigou numa caverna. Lá no monte, Deus o chamou para fora perguntando-lhe o que ele fazia ali (v.9). Elias apresenta a sua queixa cheia de autocomiseração alegando que era o único fiel a Deus em Israel dando a entender que Deus não estava cumprindo o Seu papel em protege-lo diante das ameaças de Jezabel (v.10).

Deus revelou-Se de forma poderosa a Elias ali. “Eis que passava o SENHOR…”. Um forte vento que movia as pedras, um terremoto, e um fogo, mas o SENHOR Deus não estava em nenhum desses três elementos da natureza (v.11-12). Mas, foi no “cicio tranquilo e suave” que Deus Se revelou a Elias (v.13).

Novamente, o vemos apresentando sua autojustiça e autocomiseração diante de Deus (v.14). Os versos seguintes (v.15-18) Deus dá ordens ao profeta mostrando não somente o que ele deveria fazer, mas, principalmente, que Ele é o Deus presente que tem tudo sob Seu controle.

Voltando nossa atenção para o v.3 encontramos a primeira raiz da tristeza de Elias: “Temendo, pois, Elias, levantou-se para salvar sua vida, se foi, e chegou a Berseba, que pertence a Judá; e ali deixou o seu moço”. Aqui encontramos algumas “raízes” da “depressão” de Elias: medo, preocupação consigo mesmo, falta de confiança no cuidado de Deus (e confiança em si mesmo) e isolamento. Nos v.4-5, encontramos outras “raízes”: não conformação à vontade de Deus (“Basta”, ele disse), autocomiseração  (“não sou melhor que meus pais”), a qual muitas vezes se apresenta com uma roupagem humilde, mas, esconde arrogância e prepotência (mesmo tendo sido socorrido duas vezes por Deus através de um anjo, v.6-7, Elias ignorou a ordem de Deus). Nos v.10 e 14 encontramos a última “raiz” da tristeza de Elias: autocomiseração. Se antes ele se via aparentou humildade alegando não ser melhor que seus pais, aqui ele deixa transparecer toda a sua arrogância, pois, aos seus olhos ele era o único servo de Deus em Israel, a quem, do seu ponto de vista, Deus havia abandonado, sendo injusto para com Seu servo fiel. Mas, Deus lhe mostrou que havia preservado para Si 7.000 fiéis (v.18).

A depressão pode ser o resultado de todos esses pecados. Enquanto tais pecados não forem confessados, abandonados, e, no lugar deles, obras de justiça que glorificam a Deus não forem implantadas e praticadas pelo coração que se encontra em depressão, a situação não mudará.  Elias cometeu os pecados aqui descritos, mas, ele não teve depressão. Alguém com depressão não teria caminhado o tanto que ele caminhou por 40 dias.

Contudo, afirmar que Elias teve depressão com base no que vemos aqui nestes textos, é distorcer o significado do texto bíblico e demonstrar pouco conhecimento sobre o que é a depressão.

Soli Deo Gloria!  

Rev. Olivar                                                    

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Aconselhamento Bíblico. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.