O QUE É UMA MENSAGEM EVANGELÍSTICA?

Aqueles que pregam expositivamente as Escrituras, e se empenham em mostrar o que elas dizem de fato, inevitavelmente têm de pregar as doutrinas da Fé Cristã. Os sermões assim pregados são conhecidos como “sermões doutrinários”, e como tudo o que é “doutrina” causa um ojeriza nas pessoas, pregadores expositivos e doutrinários não têm muito prestígio em nossos dias, afinal o que prevalece é o que as Escrituras dizem em 2Tm 3.1-7: “(1) Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, (2) pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, (3) desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, (4) traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, (5) tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes. (6) Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões, (7) que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade”. E também em 2Tm 4.3-4: “(3) Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; (4) e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”. Mas, o que importante não é o pregador ter prestígio, mas, sim, a mensagem que ele traz (cf. 2Co 4.7).

Por conta disso (ojeriza à mensagem doutrinária e expositiva) há uma confusão sobre o que é de fato “uma mensagem evangelística”. Para ajudar-nos a entender melhor recorro ao sermão de Pedro registrado em At 2.14-41.

1) Uma mensagem evangelística é uma advertência séria aos pecadores (v.14-15)

Pedro advertiu àqueles homens que entre os quais uns ficaram atônitos com o que estavam vendo (v.12) e outros zombando (v.13). Quando disse “tomai conhecimento disto e atentai nas minhas palavras” (v.14). E em seguida, ele repreende aqueles homens mostrando que o que acontecera aos discípulos era obra de Deus.

Uma mensagem evangelística tem de chamar a atenção dos pecadores para; (1) suas concepções equivocadas sobre as coisas de Deus, e (2) para a sublimidade da Obra de Deus. Se numa pregação não houver esses dois elementos logo no início, então a mensagem estará seriamente comprometida. Os pecadores têm uma concepção totalmente equivocada sobre Deus e Sua obra, e somente as Escrituras podem lhes mostrar a Verdade.

2) Uma mensagem evangelística apresenta Cristo em toda a Escritura (Antigo e Novo Testamentos)

Nos v.16-21 vemos Pedro tomando o Antigo Testamento (até porque o Novo nem havia começado a ser escrito ainda) expondo tudo quanto foi dito a respeito do Messias, o Senhor Jesus. Ele lhes mostrou Cristo nas Escrituras (entenda-se Antigo Testamento).

Quantos hoje pensam que o “Evangelho” se encontra somente no Novo Testamento, e que por isso, até mesmo desprezam o Antigo Testamento dizendo que ele já não tem mais valor. Que blasfêmia!

Tomando a profecia de Joel (Jl 2.28-32), Pedro mostrou-lhes que Aquele de quem Joel havia falado, este era o Senhor Jesus, e que a obra que Ele e o Espírito Santo  fazem no coração do pecador leva-o a conhecer a Deus (v.17-18).

Nos v.19-20, Pedro lhes mostrou que os sinais de que falara Joel aconteceram na crucificação de Cristo e no dia do Pentecostes com a descida do Espírito Santo, e assim Pedro mostrou que não faltou da parte de Deus provas incontestáveis de que Jesus é o Cristo e o Senhor. Deus deu provas extraordinárias na vida, morte e ressurreição de Jesus, e para os que não O viram (como é o caso dessas pessoas aqui que ouviam a Pedro) Deus derramou o Espírito Santo acompanhado de sinais maravilhosos. Uma mensagem evangelística apresenta Cristo através das Escrituras e leva o pecador a conhecer a Deus.

No v.21 Pedro mostrou aos seus ouvintes que eles precisavam invocar o Nome de Jesus para serem salvos. Invocar é muito mais do que chamar alguém pelo nome. Invocar significa clamar desesperadamente, reconhecendo que Jesus é a única salvação, a única forma de escapar de ira de Deus. Uma mensagem evangelística não omite o sério risco que a pessoa está correndo se não clamar por Jesus; tal mensagem tem como objetivo trazer desespero aos corações ímpios a fim de que clamem pela misericórdia de Deus.

3) Uma mensagem evangelística apela ao coração do pecador no seu conteúdo e não no final da mesma

O Evangelho não é uma filosofia de vida; não é um amontoado de informações sobre Jesus, Deus, o Espírito Santo, céu, inferno, etc. O Evangelho é o próprio Senhor Jesus. Qualquer religião sobrevive sem seus fundadores, mas, o Evangelho não existe sem Cristo. Não há Evangelho Verdadeiro se Cristo não for o cerne do mesmo.

Nos v.22-36 vemos Pedro tocando num ponto crítico: o pecado. Eles expõe claramente os pecados daquelas pessoas, e, inclusive põe sobre elas a culpa da morte de Cristo. Ele lhes disse: “este Jesus, que vós crucificastes” (v.36). E o tempo todo ele os confrontou na sua incredulidade, pois, mesmo tendo visto Jesus realizar tantos sinais, prodígios e milagres (cf. v.22), não creram Nele. Uma mensagem evangelística aponta o pecado do pecador e lhe mostre que este (o pecado) é a causa de todo o seu sofrimento nesta vida e na eternidade. Pedro lhes mostrou que um dia todos haveremos de comparecer perante Este que hoje está na mais alta glória (cf. v.32-33).

Esteja certo, querido leitor, que uma mensagem evangelística é uma mensagem doutrinária, e uma mensagem doutrinária tem de ser evangelística. Logo, estamos diante de um equívoco quando afirmamos que ambas são coisas diferentes.

Infelizmente, o conceito de “mensagem evangelística” em nossos dias é de uma mensagem em que o pecador tem de dar uma change para Jesus transformar a vida dele. Daí práticas nada bíblicas como a de apelos caracterizarem as “mensagens evangelísticas em nossos dias”. Muitos pregadores acreditam que é necessário este momento de “decisão” no qual a pessoa deve vir à frente da igreja para mostrar que assumiu um compromisso com Cristo, ou, que caso se sinta constrangida que levante uma de suas mãos, ou ainda simplesmente repita em seu coração uma oração feita pelo pregador. E, assim, a ilusão de que esses simples gestos tornam salva uma pessoa.

Agora, observe como Pedro encerrou seu discurso e qual foi a reação daqueles homens que o ouviam. Pedro não faz nenhum apelo apelativo tal como “Quem quiser receber a Jesus como seu Salvador pessoal levante uma de suas mãos, ou venha até aqui onde estou e eu orarei por você!”. Nada disso. O que se vê foi um “apelo invertido”. Aqueles homens sentindo seus corações ferroados, feridos pelas palavras de Pedro, e desesperados clamaram (apelaram): “Que faremos, irmãos?” (v.37). Aqueles corações compungidos constataram seu pecado, buscaram socorro e receberam o consolo da promessa de Deus (v.38-39), a qual era o Espírito Santo que havia sido derramado sobre os discípulos. Mas, este consolo viria somente o arrependimento e o compromisso do batismo, bem como o desejo de conhecer mais de Cristo (v.40). E naquele dia quase três mil novos membros foram acrescidos à Igreja de Cristo (v.41). Uma mensagem evangelística não precisa de apelos apelativos ao final da mesma, mas, sim, de conteúdo bíblico que será utilizado pelo Espírito Santo para converter a quem Ele quiser converter.

Concluindo, toda vez que você pensar em criticar seu pastor dizendo que as mensagens dele não são evangelísticas porque não têm apelos ao final das mesmas, avalie bem as mensagens dele e se elas contiverem esses três elementos elencados aqui (advertência aos pecadores, apresentação de Cristo em toda a Escritura, e, todo o conteúdo da mensagem apela ao coração do pecador) então, agradeça a Deus pela vida do seu pastor, interceda por ele junto a Deus para que ele continue assim como está e nunca caia no pecado de achar que ele precisa dar uma ajuda para o Espírito Santo na conversão dos pecadores.

Rev. Olivar Alves Pereira.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

2 Responses to O QUE É UMA MENSAGEM EVANGELÍSTICA?

  1. Francisco Silva says:

    Acredito que a maneira que se usa após uma pregação chamada por alguns de apelo,vem da própria escritura que diz em Mt.10.32.O cenário que Jesus apresenta aqui me parece ser uma reunião cultual.Rm 10.9 diz que se deve fazer confissão com a boca.Mt 18.18 fala sobre o poder da Igreja em ligar uma outra pessoa a Cristo em oração.Acredito que um Pastor que tem um chamado está com a autoridade dada por Deus para fazer esta oração pela pessoa que quer se apresentar como um novo membro do corpo de Cristo.Se uma Igreja devido suas normas e costumes não fazem assim com os novos conversos,acho que não deva condenar as outras Igrejas que assim o fazem,pois quando se convida vir a frente alguém,se convida a vir à frente de Jesus que está presente onde está dois ou três reunidos em seu nome.Quanto ao demaisa conteúdo do nobre Pastor,achei de grande importância para quem deseja pregar a palavra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *