O retorno

 

Em Eclesiastes 11.1 e 2 o rei Salomão inspirado pelo Espírito Santo disse: “Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás. Reparte com sete e ainda com oito, porque não sabes que mal sobrevirá à terra”. Estes versos estão nos mostrando uma realidade: o que você faz hoje, colherá amanhã. A “semente” que você plantar hoje, produzirá (ou não) o seu sustento no futuro.

Eu poderia explanar sobre esse assunto seguindo muitas vertentes. Contudo, quero aplicá-lo somente a uma área muito importante: criação de filhos.

Desde que me aventurei pelo mundo do magistério sendo professor no Ensino Fundamental II e Ensino Médio tenho me deparado com os mais diversos tipos de pais. Existem aquele que são dedicados e estão sempre presentes nas reuniões de pais e professores porque querem saber como estão seus filhos na escola. São justamente esses que vêem seus filhos serem os melhores alunos, são os mais disciplinados, dedicados e brilhantes. Existem também aqueles pais que nunca aparecem numa reunião de pais, ou quando são chamados pela direção e coordenação porque seus filhos estão causando problemas na escola, logo dizem: “Não tenho tempo para ir aí. Se eu tiver que comparecer à escola todas as vezes que meu filho tiver um problema, eu não farei mais nada na vida”. E se o filho estiver numa escola particular esse pai ainda dirá: “Para quê estou pagando vocês? Cuidem vocês mesmos do problema!”. É claro que existem exceções nos dois tipos pais e filhos. Nem todo pai dedicado tem o prazer de ter um filho dedicado, e alguns pais relapsos têm o prazer de terem filhos dedicados (talvez porque não querem se tornar como seus pais!).

Bem, o que isso tem a ver com os versos de Eclesiastes? Tudo a ver. Todos nós estamos constantemente “lançando o nosso pão sobre as águas” e inevitavelmente, ele voltará para nós. Pais relapsos (que geralmente justificam sua ausência em relação aos filhos com falta de tempo e outras prioridades) estão mandando a seguinte mensagem para os seus filhos: “Você não é prioridade para mim. Meu trabalho, o dinheiro que tenho de ganhar, o status que tenho de manter são mais importantes”. Esses pais se esquecem de que se chegarem à velhice, com muita probabilidade amargarão o abandono de seus filhos. Se não forem colocados num asilo, ficarão em casa, com o telefone nas mãos ligando para os filhos suplicando-lhes um pouco de atenção, mas, sempre ouvindo dos filhos: “Não tenho tempo agora. Não sou aposentado como você”. Ou talvez serão colocados num asilo, e os filhos ocupados dirão quando a direção do asilo chamar: “Se eu tiver que ir aí a cada dorzinha que meus pais sentirem, ou a cada fralda que precisar ser trocada, para quê estou pagando vocês?”. Isso lembra você de alguma coisa?

É claro que encontramos por aí pais que foram dedicados e que seus filhos se tornaram apáticos e alheios a eles, como também encontramos pais que foram relapsos com seus filhos, e que agora na velhice têm recebido o cuidado deles. Mas, são exceções à regra.

Acho maravilhosa a forma como o Antigo Testamento encerra. Em Zacarias 4.6, referindo-se a João Batista que haveria de preparar os corações para a primeira vinda de Jesus, a Bíblia diz: “ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que não venha e fira a terra com maldição”.

Pais, convertam-se (retornem) aos seus filhos; filhos, convertam-se (retornem) aos seus pais. Que os seus filhos sejam realmente o maior tesouro, a herança de Deus para vocês, e que os seus pais sejam para vocês filhos, pessoas muito importantes, dignas de respeito, obediência e cuidado.

É hora de fazer um retorno antes que seja tarde demais. É hora de lançar o pão do amor sobre as águas para que mais tarde se possa colher esse mesmo amor.

Pode ser que você seja hoje um pai dedicado aos seus filhos e, no futuro, eles venham a abandoná-lo. Bem, se isso vier a acontecer (e pode acontecer), você sofrerá muito, mas, pelo menos, não amargará o pesar de ter sido um pai relapso. Você estará em paz com sua consciência e com Deus. Não há nada melhor que isso.

Rev.Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

8 Responses to O retorno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.