O único poder capaz de transformar você

De todas as necessidades que você possa ter nesta vida, sem dúvida alguma, a maior de todas é a de reconciliação com Deus. Se você já compreendeu essa verdade, é bem provável que você já tenha se reconciliado com Deus quando entregou sua vida a Ele. Se você se assustou com o que eu disse que precisa se reconciliar com Deus, com toda certeza você ainda permanece em inimizade com Dele.

Em Rm 5.1-11, a Palavra de Deus nos revela que antes de alguém ser justificado (declarado justo por causa da justiça de Cristo que lhe foi imputada por meio do sacrifício Dele), esse tal é um inimigo declarado de Deus; está em guerra com Deus, “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós sendo nós ainda pecadores” (v.8). Assim sendo, Deus vendo o nosso estado de morte espiritual no qual nem dávamos conta de nossa miséria absoluta, veio ao nosso encontro e “…nos deu vida juntamente com Cristo…” (Ef 2.5), justamente por éramos totalmente incapazes por nós mesmos de nos reconciliarmos com Ele.

Essa reconciliação com Deus é resultado do poder Dele efetuando em nós a vontade Dele. Por esta razão, o poder de Deus é o único poder capaz de transformar a sua vida.

O texto de Rm 1.16,17 é considerado o texto que Deus usou para converter Martinho Lutero, e, consequentemente, promover a Reforma Protestante. Ao compreender que a salvação não é resultado do que o homem produz, mas, sim, um ato da livre e soberana vontade de Deus, e que, a esse ato misericordioso e gracioso de Deus o homem deve responder com fé, por que é pela fé que se apropria dessas verdades, Lutero sentiu sua alma abraçada por Deus, e, aquele peso que trazia em seu coração se desfazer como um gelo debaixo do sol. O que Lutero descobriu é o que eu quero que você entenda e conheça através dessa mensagem: O único poder capaz de transformar você.

O apóstolo Paulo depois de introduzir o assunto de sua carta aos romanos mostrando-lhe o seu desejo de visitá-los (1.11), para pregar-lhes o Evangelho (1.15), declara: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (v.16). Não sabemos ao certo se Paulo fora acusado de sentir vergonha ou medo de pregar o Evangelho em Roma, e por isso ele enfatizou que não tinha ido até então a Roma porque Deus não abrira-lhe as portas, e que no que dizia respeito a ele, de forma alguma sentia qualquer coisa vergonhosa em relação ao Evangelho, mas, sim, ele sentia-se honrado, maravilhado, salvo e transformado por Deus, e, por isso, pregar o Evangelho era para ele a maior honra de sua vida.

A salvação é obra exclusiva de Deus. É pelo Seu poder que Ele o salva. O Evangelho não é uma filosofia de vida, nem apenas um sistema para guiar a sua vida. Ele é o poder de Deus para a salvação daquele que crê que Deus pode salvá-lo.

Quero chamar-lhe a atenção para esse ponto, a saber, o que consiste essa salvação que o Evangelho efetua no coração daquele que crê.

Em relação à eternidade, essa salvação significa vivermos eternamente ao lado de Cristo lá na Glória eterna. Tal esperança, certeza e verdade deve ser o combustível para vivermos neste mundo da forma mais dedicada e apegada a Deus.

Em relação a esta vida, ser salvo mediante o poder de Deus revelado no Evangelho, quer dizer, passarmos por uma transformação profunda em nosso caráter.

Algo que me deixa intrigado com a Psicologia Moderna é que ela afirma que não é possível mudarmos o caráter de uma pessoa, porque o caráter é a marca mais essencial do ser humano. Quando muito, o que uma pessoa pode fazer é disciplinar-se em relação aos seus impulsos, ou seja, ela propõe uma mudança comportamental e nada mais. Para mim nada pode ser mais covarde, e mais ilusório do que isso. É covarde porque exige uma mudança sem dar-lhe os recursos para essa mudança; é ilusório porque qualquer coisa que uma pessoa puder fazer, não será realmente eficaz promovendo uma mudança permanente, porque mudanças permanentes só são possíveis se ocorrerem no caráter da pessoa! Por isso mesmo, somente o Evangelho de Cristo pode fazer essa transformação.

Implicações e Aplicações

No v.17, citando as palavras do profeta Habacuque (Hc 2.4), Paulo enfatiza a importância da fé para se alcançar a salvação. Por três vezes ele usa o substantivo “fé” neste verso. Por isso quero me deter nas palavras: “O justo viverá por fé”. Quais as implicações e aplicações dessa afirmação? O que isso tem a ver com o único poder capaz de transformar sua vida, o Evangelho?

1) Você é transformado para a obediência

Cristo não veio para libertá-lo somente de uma condenação eterna; Ele veio para transformar você num filho de Deus (cf. Jo 1.12; Rm 8.12-17).

Ele veio para libertá-lo da escravidão do pecado, para que você, uma vez justificado se rendesse a Ele em plena e sincera obediência.

Temos ouvido pregadores (até mesmo alguns que abraçam a Teologia Reformada) anunciarem o Evangelho com muita deficiência por enfatizarem que a salvação é pela fé somente, como se nada mais estivesse incluso.

Se você não é convertido a Deus e vier a fazer coisas “boas” e “corretas” que estão em conformidade com o que Deus exige dos homens, não será salvo por isso. Mas, depois que, pela fé você receber a salvação, então receberá também a ordem de Deus de viver em obediência à vontade Dele.

A salvação é obra da Soberana Vontade de Deus, e o propósito Dele é a obediência de todos à Sua vontade, porque ela “…é boa, agradável e perfeita” (Rm 12.2).

Você foi liberto de um senhor tirano chamado pecado, mas, não para viver sem o senhorio de alguém, até mesmo porque você se tornaria o senhor de si mesmo, e rapidamente voltaria à escravidão do pecado. Deus salva você para viver em obediência a Ele.

Isso nos remete à segunda implicação e aplicação.

2) Você é transformado pela obediência

Não estou pregando salvação pelas obras. Já deixei bem claro que a salvação é obra de Deus. Quando afirmo que somos salvos pela obediência, estou afirmando que é pela obediência à Palavra de Deus que experimentamos a real e profunda mudança em nosso caráter.

O crente cujo coração está tomado por determinados pecados de amargura, ao abandoná-los passando a obedecer e praticar o que a Bíblia diz em textos como: Is 38.17 (lançar para trás o pecado e não pegá-lo de volta); Mt 5.38-48 (dar a outra face, andar a segunda milha, amar os inimigos); Mt 22.37-39 (amar a Deus e ao próximo), terá seu coração liberto da amargura que o escraviza; ao praticar Ef 4.22-24 (despojar-se do velho homem e revestir-se do novo homem), experimentará a transformação profunda e real em seu coração, e não uma mera mudança comportamental. A transformação pela obediência à Palavra de Deus é o resultado da entrega confiante e cheia de Fé ao poder de Deus revelado no Evangelho.

Conclusão

Eu preciso incomodar seu coração com duas perguntas.

Primeiramente, você tem essa fé salvadora em seu coração? Não se trata de um simples crer que Jesus existe. Trata-se de você ter certeza de que o sacrifício Dele também foi por você e que você está salvo. Você tem essa certeza?

Em segundo lugar, se você tem essa certeza, como está sua obediência em relação à Palavra de Deus em todos os aspectos de sua vida?

Sua obediência é seletiva? Você se permite fazer concessões em relação à vontade de Deus?

Você obedece parcialmente? Não se esqueça que obediência parcial é uma desobediência completa.

Sua obediência é tardia? Você até obedece, mas, só depois de um tempo e não na hora que Deus lhe mandou?

Tudo isso está muito distante da vontade de Deus. A transformação que Deus efetua no coração daquele que Ele salvou e justificou leva o mesmo a querer somente a vontade de Deus para sua vida. Logo, se você não tem a vontade de Deus como o maior objetivo e razão da sua vida, você tem todos os motivos para desconfiar dessa pretensa conversão que você diz ter tido.

Súmula do sermão proferido na Igreja Presbiteriana no Jardim Sul

São José dos Campos, 18/09/2011

Rev.Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

4 Responses to O único poder capaz de transformar você

  1. Sérgio Vinícius says:

    Eu estava presente, mensagem muito edificante.

  2. Sérgio Vinícius says:

    Certamente minhas visitas serão frequentes, devido a dificuldade que tenho de ir a Pinda, ao horario do culto que possibilita que eu busque minha esposa no trabalho e também a benção que é poder participar de um culto teocentrico sem extravagancias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *