O uso correto da Bíblia

Não interprete a Bíblia partindo da cultura em que você vive. Assim você estará usando os “óculos” ao contrário. É a Bíblia que deve ser usada para interpretar a cultura.
Nesse sentido tenho visto muitas práticas sendo justificadas com o seguinte argumento: “Mas, os tempos mudaram. A cultura nos tempos bíblicos era outra. Hoje é diferente”. De fato, a cultura era outra, os tempos eram diferentes, mas, a Palavra de Deus continua sendo a mesma. Ela tem o poder de mudar qualquer cultura, e nenhuma cultura tem o poder de mudar a Palavra de Deus, mas, quando muito de desobedecê-la. E as “mudanças” que vejo muitos fazendo em relação à cultura e a Bíblia, não são mudanças, mas, desobediência.
Um exemplo disso é a prática da ordenação feminina para serem pastoras, presbíteras e diaconisas (não vou nem falar de “bispa” porque isso não existe nem na Gramática, o que se dirá na Bíblia!). Essa prática está em pleno acordo com uma cultura que pôs tudo de pernas para cima, mas, nada tem a ver com o que a Bíblia diz e ordena sobre a estrutura da liderança.
Não se trata de capacidade da mulher ou do homem, nem mesmo de dedicação de um ou do outro. Trata-se de um princípio bíblico que Deus estabeleceu. Conheço muitas mulheres competentes, que fariam muito bem aos seus esposos, lares, igrejas e outras instituições se decidissem cumprir o papel que Deus lhes deu: auxiliadoras. Porém, se elas estão aí ocupando a liderança que Deus determinou ao homem, elas não são as únicas rebeldes e culpadas por essa desobediência. A “safra” de homens irresponsáveis, frouxos e folgados está aumentando a cada geração. É uma praga! E por isso está aumentando? Não é por causa da “inversão de papéis”. Não existe inversão de papéis, mas, sim, abandono dos papéis: a mulher deixou de ser auxiliadora para ser a líder, e o marido deixou de ser líder do lar para ser apenas um peso morto sobre o sofá.
Voltemos à Palavra de Deus. Homens, sejamos cabeça de nosso lar (cabeça pensa, direciona, cuida do corpo); mulheres, mostrem para nossas crianças que a competência de nada vale se não estiver associada à obediência à Palavra de Deus.

Rev. Olivar Alves Pereira

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Apologética, Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

26 Responses to O uso correto da Bíblia

  1. Sirleide says:

    Reverendo, tenho encontrado nos textos que li, a representação escrita do que acredito, embora os tempos tenham realmente mudado, defendo que o cristão precisa ter uma cosmovisão bíblica, não importa as regras que o mundo dite, um crente precisa defender e viver o que a bíblia manda e isso é regra de conduta para absulutamente TUDO.

    • Olivar Alves Pereira says:

      Olá irmã,
      Obrigado por sua participação.
      Saiba que somos um grupo cada vez menor nessa cultura e mundo. Mas, não se preocupe. O compromisso de Deus é com o Seu “remanescente fiel”.
      Deus a abençoe.

  2. Marcos says:

    Boa tarde!
    Pastor o senhor poderia tirar algumas dúvidas minha?
    O dom de línguas ainda existe ?

  3. Marcos says:

    falar em mistérios é falar línguas estranhas?

  4. Marcos says:

    Obrigado pastor!
    Vou reformular a pergunta.
    Nos dias de hoje existe o dom de línguas,e se falar em mistérios é falar em línguas estranhas?

  5. Marcos says:

    Pastor, os petencostais afirmam que 1Co 14.2 prova a existência de línguas estranhas. Eles dizem quem fala em línguas estranhas fala em mistérios, que esse mistério quer dizer línguas .
    estranhas. O senhor poderia explicar este texto?

  6. Marcos says:

    Pastor, obrigado!
    Pastor, hoje eu li um documento do supremo Concílio da ipb em 1996 ,que a igreja acredita na soberania de Deus e que ele pode conceder a igreja o dom de línguas lhe aprouver,em qualquer período da história.
    Mas numa manifestação genuína segundo o padrão das Escrituras

  7. Marcos says:

    Mas cabe aos que acreditam em tem ensinado que Deus tem renovado esse dom na igreja contemporânea, o ônus da prova.

  8. Marcos says:

    Pastor, a minha opinião que pode acontecer o dom de línguas se for no padrão das Escrituras, creio no dom de línguas estrangeiras e não em línguas estranhas .

    • Olivar Alves Pereira says:

      Penso igual. As línguas que os apóstolo falaram em At 2, não eram estranhas, mas, estrangeiras. E o Espírito Santo concedia a cada um dos apóstolos que fossem falando na língua de um povo específico, até que todos, cerca de 15 grupos étnicos diferentes ali naquele momento, pudessem compreender em sua própria língua, os mistérios de Deus.

  9. Marcos says:

    Estou repetindo, pois não sei se escrevi que só acredito no do de línguas estrangeiras e de acordo com o padrão bíblico.

  10. Marcos says:

    Bom dia, pastor!
    Eu acredito que o senhor já pregou aqui em Resende na ipb de itapuca.

  11. Marcos says:

    Temos um amigo em comum, o pastor Marco urbano .

  12. Marcos says:

    O senhor está ainda em São José?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.