Recuso-me a chamar de apóstolo

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem não viveu nos dias apostólicos do Novo Testamento, sendo uma testemunha ocular dos feitos do Senhor Jesus encarnado, que O tenha apalpado com suas próprias mãos, que com seus ouvidos ouviram Seus ensinamentos os quais deveriam ser transmitidos à Igreja Cristã em seu nascedouro (cf. 1João 1.1-3).

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem não recebeu a revelação do Evangelho tal como aconteceu com o apóstolo Paulo nos três anos que esteve no deserto da Arábia para depois se encontrar com os demais apóstolos e mostrar-lhes que o que ele recebera de Cristo e pregava aos gentios era exatamente igual ao que Pedro, Tiago e João (apóstolos que andaram pessoalmente com Jesus) também do Mestre receberam e pregavam (cf. Gálatas 1 e 2).

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem usa desse título sem atentar para o ministério que este traz consigo, a saber, o apostolado foi dado exclusivamente àqueles a quem seriam dados os mistérios do Evangelho e assim, por obra do Espírito Santo fossem escritos os livros do Novo Testamento, ao que nos estudos teológicos chamamos de “Cânon do Novo Testamento”. O ministério apostólico foi usado por Deus para revelação das Escrituras do Novo Testamento, logo, quem se intitula “apóstolo” hoje, deveria acrescentar “herege-maldito” ao título, pois, segundo Apocalipse 22.18,19 ao texto das Escrituras nada se acrescenta e nada se retira. Como o ofício apostólico já passou (porque o Cânon do NT já está fechado), qualquer coisa extra que esses ditos apóstolos autodenominados disserem que não estiver em acordo com a Bíblia, estão acrescentando, e qualquer coisa que deixarem de pregar estarão omitindo; e se pregassem exatamente o que a Bíblia diz, nunca cometeriam esse ato insano de vaidade de se autodenominarem apóstolos.

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem assim se intitula mas nunca saiu de sua terra e país para levar o Evangelho num país e cultura diferentes (e lá viver nem que seja por poucos anos); que pensa que realizar “campanhas evangelísticas” (que mais são um show de horrores do que qualquer outra coisa) é o mesmo que fazer discípulos de Cristo. Sim, recuso-me chamar esses tais de “apóstolos” porque só querem a “lã” e a “gordura” das ovelhas de Cristo.

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem diz que realiza milagre, mas, que longe está de ser como os que foram realizados por Cristo e por Seus verdadeiros apóstolos; milagres verdadeiros e não coisas forjadas, manipuladas e mentirosas como o que estes tais “milagreiros” fazem. Além disso, os milagres que os verdadeiros apóstolos fizeram glorificavam a Deus e O exaltavam por Sua Graça e Misericórdia, algo muito, muito diferente do que fazem esses enganadores ludibriando as pessoas com suas mentiras e astúcias roubando toda a glória para si mesmos, pois, alguns já não se contentando mais com o título de “apóstolo” já foram além e se intitularam “pais-póstulo” (não sei o que é isso e nem adianta me perguntar, pois, a coisa mais próxima seria “Pais apostólicos” o que na verdade não se trata de pessoas, mas, sim de escritos teológicos dos primeiros séculos da Era Cristã), e por fim, até um desses envaidecidos cheios de si mesmos, se intitulou “Patriarca” (só essa que faltava para os evangélicos brasileiros: ter um papa!), e pasmem, o que não tem faltado é gente para apoiar tal asneira.

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem não se contentando com o título (e o cargo) de “pastor”, “presbítero (bispo)”, olha para os seus companheiros de trabalho eclesiástico e os vê como inferiores e não como iguais, como subalternos e não como companheiros amados cuja autoridade veio também de Deus por meio das Escrituras com o fim de pastorear o rebanho de Cristo não por ganância ou orgulho, mas, por amor ao Senhor Jesus e pelas Suas ovelhas (cf. 1Pedro 5.1-4) sabendo que o Supremo Pastor é o Senhor Jesus.

Recuso-me a chamar de “apóstolo” quem está preocupado em expandir seu “império de ilusão” estampando sua foto na entrada dos seus templos, do que em propagar o Verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus Cristo e plantar igrejas verdadeiramente bíblicas (se eles fizessem isso, jamais cometeriam tantos erros e abusos!).

Por esses motivos me recuso chamar de “apóstolo” estes tais que estão por aí se vangloriando e até mesmo zombando de Cristo com suas atitudes malignas travestidas de “autoridade divina”. E antes que alguém me critique por me apresentar como “Reverendo” digo que a reverência aqui evocada não é à minha pessoa, mas, sim, à tarefa que Deus incumbe homens como eu, pecadores redimidos por Cristo. Além disso, “reverendo” é pronome de tratamento e não um título que uso para me diferenciar dos meus presbíteros que comigo labutam no cuidado do Rebanho de Cristo. Mas, se este pronome de tratamento lhe causar algum desconforto, me chame de “pasto”, ou melhor ainda, “irmão”.

Rev.Olivar Alves Pereira

São José dos Campos, 13 de janeiro de 2013.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador.
This entry was posted in Apologética. Bookmark the permalink.

16 Responses to Recuso-me a chamar de apóstolo

  1. Começamos bem o ano, meu irmão. Você anda inspirado por esses dias. As férias lhe fizeram bem.

    • Olivar Alves Pereira says:

      (Risos)
      Verdade, meu irmão. Estou voltando a aproveitar melhor meu tempo com o que é útil mesmo. Ontem comecei a ler seu artigo (a 5ª parte) sobre “O cristão e o uso do álcool” mas, por conta de uma pane na minha conexão não consegui terminar. Farei isso hoje.

  2. Muito oportuna a reflexão do irmão. Sinceramente gostaria de ter um veículo de comunicação que alcançasse a todos aqueles que são enganados pelos falsos “apóstolos”, que não são poucos.
    O interessante que qualquer movimento que apresenta alguma pretensa “nova” descoberta, evento, movimento, benção, mover, seja lá o que for, dentro (???) das fileiras das igrejas evangélicas, tem por principal característica se dizer mais abençoado, mais cristão, mais crente, mais fervoroso, mais poderoso, mais avivado, mais milagroso, MAIS!!!!! Enquanto que a retórica do próprio Jesus sempre foi: “seja o menor”.
    O que eu fico questionando ao ver tais inicitivas: Será que o individuo não nota que a Igreja do Senhor Jesus veio por 2013 anos muito bem, e trouxe o evangelho até aqui, sem este novo “mover”? Sem este nova visão? Sem estes novos “apóstolos”? Simplesmente movida pelo poder de Deus através de servos humildes, que preferem se manter anonimos para o mundo.

    • Olivar Alves Pereira says:

      Irmão, esse erro não é só dos nosso dias não. Começou com a Igreja Católica dizendo que há uma “sucessão apostólica” na pessoa do papa, e que este é o representante direto dos apóstolos. Resultado disso é que heresias das mais diversas foram introduzidas através das “bulas papais” e a Palavra de Deus foi suplantada. O que esses malucos de hoje que se intitulam apóstolos estão fazendo, não é nem um pouco diferente do que a Igreja Católica fez e faz. E no meio disso tudo precisamos levantar a voz do Verdadeiro Evangelho que visa glorificar somente a Cristo e a ninguém mais.

  3. Ótimo texto, escrevi para o boletim de nossa igreja algo semelhante, vou mandar no seu email.

    abraço

    Daniel F. Moura (Genro do Rev. Ivan Ross)

  4. Mauri Alves da Cunha says:

    Muito bom Pr. Olivar, precisamos fazer da nossa vida ser refletida ao autor e consumador da nossa fé.
    Deus abençoe.
    Abraço / Mauri

  5. Rev Olivar ,

    oportuno e carajoso ( antipático para muitos , com certeza ) este seu artigo , mas extremamente necessário .
    Se me permitir , assino em baixo .
    Infelizmente dentro das características que o senhor colocou também nossas igrejas term os seus “papas” ou “apostolos”, que não tem os títulos , mas agem como tal e isto é uma pedra no sapato da igreja .
    Quanto a tratá-lo de REVERENDO e o ser muito me alegra … ser PASTOR no entanto é cumprir a própria ordem de JESUS CRISTO ao apóstolo Pedro : ” apascenta as minhas ovelhas ” … Quem apascenta é PASTOR e pela graça de DEUS e SUA misericórdia , todos nós somos pastores das OVELHAS DE JESUS CRISTO ….

    Coragem está faltando aos verdadeiros PASTORES das OVELHAS DE JESUS CRISTO … coragem para usar o cajado e com ele tocar um “bucado” de lobos no meio de nós .

    DEUS CONTINUE DANDO AO IRMÃO CORAGEM E SABEDORIA …

    Posso gravar e colocar na rádio fidelidade ?

    rev ronaldo bezerra de oliveira e souza
    um amigo e pastor junto com o senhor

    • Olivar Alves Pereira says:

      Querido irmão, Rev. Ronaldo.
      O senhor tem razão e eu não ignoro esse mal dentro da nossa amada IPB. Fico impressionado em ver adúlteros (com dois, três e até quatro casamentos subsequentes a divórcios) continuarem pastoreando em nossa IPB. Outros que inventam manias e “ministérios” dos mais estapafúrdios e continuam amparados por seus amigos. É lamentável mesmo.
      Quanto a utilizar meu artigo, fique à vontade. Pelo menos assim diminuo minha dívida com o irmão em contribuir com a Radio Fidelidade, essa preciosa bênção para todos nós.

  6. Marcos says:

    Como sempre Pastor Olivar um excelente artigo, e como disse sabiamente o Pastor Ronaldo Bezerra a quem tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, corajoso, coragem é o que falta a muitos para denunciar tais atrocidades em nossos dias, que DEUS o abençõe amado pastor e irmão em Cristo

    • Olivar Alves Pereira says:

      Irmão, alimento a esperança em ver o dia em que cada crente, devidamente instruído pela Palavra de Deus tenha a coragem, mas também a condição de combater essas atrocidades. Infelizmente, enquanto o povo não conhecer o Verdadeiro Evangelho, será apenas massa de manobra na mão desses lobos.

  7. Realmente muito bom a matéria, esses tais “apóstolos” de hoje não passam de apostatas da fé, é impossível existir Apóstolos depois que o livro de apocalipse se findou, queria ver esses tais “apóstolos” abandonarem sua fortuna dando tudo que conseguirão com extorsão de dinheiro de fiéis cegos ao pobres e mais queria ver eles deixarem seus programas de tv e irem Evangelizar os povos e se preciso fosse estarem dispostos até mesmo a morrer pelo Evangelho. Graça e Paz de Cristo Jesus.

    • Olivar Alves Pereira says:

      Caro Wagner
      Como disse John Piper sobre os proponentes da teologia (?) da prosperidade, eu duvido que esses caras (Malafaia, Valdomiro, Macedo, Soares, Stevan e Sônia, entre outros) tenham coragem de ir no mundo islâmico e pregar o “evangelho” deles. Somente os missionários do verdadeiro Evangelho fazem isso.

  8. Bene Soleo says:

    Pr Olivar
    Eu não tenho teologia ,leio a Biblia muita veze nem entendo oque leio
    mas uma coisa sei que o Sr JESUS me substituiu naquela cruz,e creio que é
    o meu unico e suficiente salvador,por isso fico indignada quando vejo essas barbarie
    em nome do meu salvador,fazendo balcão de negocio ,desviando as pessoas do foco
    que é a salvação em CRISTO, o qual esses ja o colocaram la no cantinho de suas igrejas.
    Gostaria de ver mais Prs serios comprometido com o evangelho se manifestarem contra heresia que tem sido
    pregada nas igrejas.DEUS te abençoe Pr.

    • Olivar Alves Pereira says:

      Querida irmã, Bene Soleo
      Primeiramente, manifesto aqui a minha gratidão a Deus por sua vida. Em segundo lugar, por participar desse site. Seja bem-vinda e fique à vontade para comentar, discordar, concordar, e se julgar útil divulgar este site que tem como único propósito edificar o povo de Deus e levar o Verdadeiro Evangelho para a glória Dele somente.
      Às vezes sou tido como intolerante e até mesmo recalcado porque ataco esses abusos. Deixo bem claro que ataco o pecado, e, como não é possível atacarmos o pecado sem mexermos com os pecadores, daí acabo arrumando briga com muita gente. Mas, esse não é o meu objetivo.
      Por fim, não se preocupe pelo fato de não ter teologia, apenas aproveite as oportunidades que Deus lhe der para aprender mais. Porém, o MAIS IMPORTANTE a senhora já tem: a convicção de que Cristo assumiu o seu lugar lá na cruz e a salvou. ÔH, bendita certeza, gloriosa esperança!
      Que Deus a abençoe muito também. E mais uma vez, obrigado por entrar em contato.
      Em Cristo
      Seu irmão

      Olivar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *