Seja feita a minha vontade?

Quantas vezes agimos dessa maneira… Eis a causa de tantas dores, problemas e de tantos desafetos.

A vontade de cada um tem de prevalecer a qualquer custo, afinal “damos um duro tremendo para sustentar nossa casa”, dizem os maridos irados, ou “ralamos o dia todo para mantê-la arrumada” dizem as mulheres, as que não fazem jornada dupla de trabalho, porque as que trabalham fora, em casa ficam reclamando da tal “jornada dupla” (e solitária). Enquanto isso o filho adolescente, lá do fundo de seu quarto todo bagunçado (um verdadeiro campo de guerra), diz: “não me amolem” ou até mesmo coloca uma placa na porta dizendo: “Não perturbe”.

O que essas pessoas têm em comum? Elas são os seus próprios “reis” e “rainhas”. É a vontade delas que está em jogo, e por isso, quando não são atendidos revidam com palavras torpes, xingamentos, resmungões, ressentimentos, mágoas, etc.

Onde foi que o nosso coração aprendeu a ser tão egoísta? Para sermos francos, ele nunca aprendeu a ser egoísta; ele apenas exercitou o que nasceu com ele.

Por essa razão, não basta apenas uma mudança de comportamento, ou buscar ensinamentos belos e altruístas. Necessitamos de um Redentor, de um Salvador que nos redima da nossa miséria.

Precisamos do Rei Jesus que é infinitamente poderoso para desbancar o nosso rei pecaminoso (o ego), e assim, não a nossa vontade ser feita, mas, sim, a vontade de Deus.

Em Rm12.2 lemos que a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita”. Nossa vontade é sempre agradável a nós (do contrário, não a buscaríamos), de vez em quando é boa, mas, nunca, nunca será perfeita. É por isso que entre a vontade de Deus e a minha, escolher a de Deus é um ato de sabedoria, pois, a vontade Dele é incomparavelmente melhor.

Fazer a vontade de Deus não é fácil, porém, não é impossível, para aqueles que creem em Cristo, pois, têm em seus corações tudo o que precisam para realizá-la, a saber, o Espírito Santo de Deus que neles age com Seu infinito poder (leia 2Coríntios 3.5,6).

Quando você estiver diante de uma situação em que a sua vontade entrar em guerra com a vontade de Deus, submeta-se à Dele, pois, Ele tem o melhor para sua vida.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, Teólogo, Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor de Teologia Sistemática, Teologia Contemporânea, Ética e História Bíblica, História e Teologia da Igreja, Educação Cristã e Teologia Sistemática, Sociologia e Ensino Religioso em seminários e escolas na região do Vale do Paraíba, também escreveu lições para a revista de EBD para os adultos da Editora Cristã Evangélica. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou de Direita Conservadora.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *