Seja feita a minha vontade?

Quantas vezes agimos dessa maneira… Eis a causa de tantas dores, problemas e de tantos desafetos.

A vontade de cada um tem de prevalecer a qualquer custo, afinal “damos um duro tremendo para sustentar nossa casa”, dizem os maridos irados, ou “ralamos o dia todo para mantê-la arrumada” dizem as mulheres, as que não fazem jornada dupla de trabalho, porque as que trabalham fora, em casa ficam reclamando da tal “jornada dupla” (e solitária). Enquanto isso o filho adolescente, lá do fundo de seu quarto todo bagunçado (um verdadeiro campo de guerra), diz: “não me amolem” ou até mesmo coloca uma placa na porta dizendo: “Não perturbe”.

O que essas pessoas têm em comum? Elas são os seus próprios “reis” e “rainhas”. É a vontade delas que está em jogo, e por isso, quando não são atendidos revidam com palavras torpes, xingamentos, resmungões, ressentimentos, mágoas, etc.

Onde foi que o nosso coração aprendeu a ser tão egoísta? Para sermos francos, ele nunca aprendeu a ser egoísta; ele apenas exercitou o que nasceu com ele.

Por essa razão, não basta apenas uma mudança de comportamento, ou buscar ensinamentos belos e altruístas. Necessitamos de um Redentor, de um Salvador que nos redima da nossa miséria.

Precisamos do Rei Jesus que é infinitamente poderoso para desbancar o nosso rei pecaminoso (o ego), e assim, não a nossa vontade ser feita, mas, sim, a vontade de Deus.

Em Rm12.2 lemos que a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita”. Nossa vontade é sempre agradável a nós (do contrário, não a buscaríamos), de vez em quando é boa, mas, nunca, nunca será perfeita. É por isso que entre a vontade de Deus e a minha, escolher a de Deus é um ato de sabedoria, pois, a vontade Dele é incomparavelmente melhor.

Fazer a vontade de Deus não é fácil, porém, não é impossível, para aqueles que creem em Cristo, pois, têm em seus corações tudo o que precisam para realizá-la, a saber, o Espírito Santo de Deus que neles age com Seu infinito poder (leia 2Coríntios 3.5,6).

Quando você estiver diante de uma situação em que a sua vontade entrar em guerra com a vontade de Deus, submeta-se à Dele, pois, Ele tem o melhor para sua vida.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Reflexão Bíblica. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.