Seu Filho é o Centro do Seu Lar?

A criança nos seus primeiros dias de vida ainda não tem uma ideia do mundo em que vive. Esta criança é naturalmente egocêntrica, pensa que o mundo gira em torno dela. Quando vai crescendo e começa a ter noção da dimensão do mundo a criança percebe que não é o centro de tudo, mas seu desejo é assumir este papel central.

Crianças que desejam ser o centro manifestam a idolatria do seu coração. Um ídolo chamado “eu” ocupa um trono no coração desta criança. O egoísmo desta criança faz com que ela tenha prazer em estar no centro, se não do mundo, pelo menos da família.

Infelizmente em nosso tempo podemos observar pais que permitem e até conduzem seus filhos a ocuparem uma posição central na família. Estes pais permitem que a agenda familiar seja estabelecida pelos filhos e não pelo relacionamento prioritário de esposo e esposa. Lou Priolo destaca que um lar cujo centro são os filhos, é um lar em que a criança acredita que tem a permissão de se comportar como se a casa toda, pais e irmãos existissem só para agradá-la.[1]

Priolo nos ajuda ainda a identificar um lar em que o centro são os filhos. Neste lar os pais permitem que os filhos cometam os seguintes atos:

  • Interromper os adultos quando estão conversando.
  • Manipular e usar de rebeldia para conseguir o que querem.
  • Ditar o horário da família (incluindo as refeições e hora de ir para cama)
  • Ter prioridade sobre o cônjuge.
  • Ter voto igual ou superior nas decisões familiares.
  • Exigir tempo e atenção excessivo dos pais.
  • Escapar das consequências de seu comportamento pecaminoso.
  • Falar de igual para igual com os pais.
  • Ser afagado quando estiver de mau humor.

Crianças criadas num lar em que são o centro crescerão achando que toda sociedade existe para satisfazer seus desejos. Colocar a criança no centro é um pecado que os pais cometem esquecendo-se de que seus filhos, que também são pecadores, usarão este fato para desenvolver padrões pecaminosos.

O conselho para famílias centradas nos filhos é conhecer o padrão bíblico da hierarquia nos relacionamentos, onde o relacionamento marido-esposa é prioritário e os filhos devem viver em obediência aos pais.

Quando os filhos são o centro, passa a existir um distanciamento natural entre os cônjuges. Quando a família gira em torno dos filhos passa a existir um vazio, uma falta de sentido entre marido e esposa pois estes não viveram um para o outro e sim viveram para os filhos.

Os pais devem ser encorajados a oferecem a seus filhos aquilo que precisam para crescer saudáveis espiritual e fisicamente e não aquilo que desejam, mostrando-lhes que os desejos de seus corações podem ser pecaminosos e contrários a vontade de Deus.

Devem reestruturar seus lares de modo que o pai seja o cabeça da família, sua esposa seja a ajudadora idônea e os filhos sejam a coroa desta união honrando seus pais através de uma obediência graciosa.



[1]     PRIOLO, Lou. O coração da ira. São Paulo: NUTRA, 2009. p.30

Rev. Alex Mello*

* Alex Mello é Mestre em Ministérios Familiares pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida e Membro da Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos (ABCB). Serve como pastor na Igreja Batista da Fé em São José dos Campos.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Aconselhamento Bíblico. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.