É de barro, mas tem que estar limpo

Por mais que a tecnologia apresente bebedouros de água que purifiquem, ionizem e façam a água ficar cheia de propriedades boas para a nossa saúde, aqueles filtros de barro ainda são os melhores. A água fica fresquinha e agradável, parecendo água de mina. Mas, estes filtros têm que estar limpos e bem vedados para que nada contamine a água.

Isto me faz lembrar as palavras de Paulo em 2Co 4.7 sobre a mensagem do Evangelho a nós conferida: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. Somos “vasos de barro”, e assim como aqueles vasos de borra com água, devemos estar limpos e não contaminados por pecados se não quisermos interferir na mensagem do Evangelho.

Assim como um vaso de barro indevidamente fechado e lacrado permite que poeira, insetos ou qualquer outra coisa contamine a água dentro dele, o pecado em nosso coração pode contaminá-lo e assim macular o santo Evangelho. Se estivermos em pecado, entregues a práticas pecaminosas, contaminamos no Evangelho com a nossa hipocrisia; as pessoas não acreditam em quem fala uma coisa e vive outra. Se alimentarmos e nosso coração pecados como vaidade e desejo de ser glorificados pelos homens, contaminaremos o Evangelho roubando para nós a glória que deve ser dada somente a Deus.

Todos nós já ouvimos declarações como: “O fulano é um grande homem de Deus!”. A bem da verdade, não existem grandes homens de Deus; apenas pecadores que foram salvos e alcançados pela graça do Grande Deus. Todo crente, quer seja um pastor, pregador ou um membro da Igreja sem nenhum ofício, deve almejar a santidade de Deus, a Sua pureza e ter compromisso com a Sua glória somente. Deve sempre se lembrar que ele é apenas um vaso de barro, e barro não tem glória alguma.

Se é verdade que com o nosso pecado podemos contaminar a pureza do Evangelho, é igualmente verdade que com a santidade de Deus cultivada em nosso coração faremos com que Deus seja glorificado e o Evangelho enaltecido como “o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16). Que o desejo de sermos puros e santos no meio de uma geração pervertida e corrupta seja uma resolução não só de fim de ano, mas, de toda uma vida, especialmente para aqueles que foram chamados a pregar o Evangelho.

About Olivar Alves Pereira

Pastor da Igreja Presbiteriana da Vila Pinheiro, Jacareí - SP, Bacharel em Teologia e Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, professor e membro do Conselho Acadêmico do Centro de Estudos Teológicos do Vale do Paraíba (CETEVAP), São José dos Campos -SP, onde iniciou em 2020 seu Mestrado em Aconselhamento Bíblico. É associado à Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos - ABCB. Na Política sou Conservador. Casado com Janaina F. S. A. Pereira e pai de Ana Cristina S. Pereira.
This entry was posted in Aconselhamento Bíblico, Confessionalidade Presbiteriana Puritana, Reflexão Bíblica and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.